Pular para o conteúdo principal

Morre aos 98 anos o crítico literário Antonio Candido



O crítico literário Antonio Candido (foto abaixo) morreu aos 98 anos na madrugada de 12 de maio de 2017.

Ele foi casado com a ensaísta Gilda de Mello e Souza (1919-2005), com quem teve as filhas Ana Luísa, Laura e Marina.

Entre outros livros, ele escreveu “A formação da literatura brasileira” (publicado em 1959), onde fixa conceitos fundamentais não só da literatura do país, mas da própria sociedade.

Trata-se de um clássico da crítica literária do país.

O carioca Antonio Candido de Mello e Souza dizia ter influência marxista, mas ressaltava não ser seguidor de Marx.

Afirmava, contudo, ser “totalmente socialista”.

Foi um dos fundadores do PT e se distanciou do partido logo que surgiram os primeiros escândalos envolvendo os líderes da agremiação.

Erudito, ele escrevia de maneira clara e objetiva.

Ateu assumido, ele escreveu vários textos abordando a diversidade da religiosidade brasileira, que, inclusive, aflora na literatura do país.

Uma vez ele disse que era ateu porque tinha lido muitos livros sobre Cristo.

O interlocutor duvidou.

Candido, então, rindo, apontou esses livros em sua biblioteca.


Com informação das agências e de outras fontes.

Envio de correção



Ferreira Gullar, ateu famoso

Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19