Peter Higgs acusa Dawkins de ser ateu fundamentalista

O físico, à esquerda, criticou  a atitude
"embaraçosa" do seu colega biólogo
O físico teórico Peter Higgs (foto) acusou em uma entrevista ao jornal El Mundo o biólogo evolucionista Richard Dawkins (à direita) de ser ateu fundamentalista pela sua postura intransigente contra as religiões.

A afirmação criou um antagonismo público entre dois destacados cientistas ateus britânicos. Higgs é candidato ao Prêmio Nobel porque em 2012 o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear confirmou a sua teoria de que uma partícula invisível permeia todo o universo. Dawkins é o autor do estudo “genes egoísta”, que lhe deu prestígio científico internacional.

O antagonismo entre os dois é mais amplo porque se estende aos ateus de forma geral. Para uns, como Higgs, a ciência não é incompatível com as crenças religiosa. Para outros, como Dawkins a religião precisa ser combatida porque, entre outras coisas, tem significado ao longo da história um entrave ao avanço científico.

Na entrevista, Higgs disse que Dawkins concentra seus ataques aos religiosos mais conservadores, mas ele mesmo, o biólogo, acrescentou, acaba sendo outro tipo de fundamentalista, “de si mesmo”.

O físico manifestou seu descontentamento com a atitude “embaraçosa” do seu colega em relação aos crentes, embora concorde com Dawkins de que as crenças muitas vezes têm “consequências infelizes”.

"O crescimento da nossa compreensão sobre mundo através da ciência enfraquece um pouco os argumentos dos crentes”, afirmou Higgs. “Mas isso não é a mesma coisa que dizer que eles  [os crentes] sejam incompatíveis com a ciência”, argumentou, acrescentando que vários de seus amigos cientistas acreditam em Deus.

Dawkins tem sido acusado com frequência ser ateu radical, anti-religioso ferrenho, desde principalmente a publicação de “Deus — um delírio”, seu best-seller. Mas essa é a primeira vez que um cientista de prestígio e também descrente faz a mesma afirmação.

Procurado pelo The Guardian, Dawkins não quis responder a Higgs. Mas ele tem se defendido da acusação de ser um anti-religioso radical com o argumento de que as pessoas de uma maneira geral não estão acostumadas com críticas contundentes às crenças. Para ele, as religiões devem ser questionadas tanto quanto outros temas da cultura, como a literatura, por exemplo, sem nenhum tratamento diferenciado.

Com informação do The Guardian, entre outras fontes.





Ciência vai ganhar da religião, afirma Stephen Hawking
junho de 2010

Descoberta do bóson de Higgs consagra o método científico
julho de 2012

Ciência versus religião   Ateísmo   Dawkins


Comentários

  1. Desonestidade intelectual Sr. Higgs...

    Estou com Dawkins ,a crença cega em coisas que não existem faz mal ao desenvolvimento da especie humana ...

    Guilherme Marques

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Richard Dawkins nunca fez nada de útil pela ciência, NADA.

      A hipótese do Gene Egoísta de Dawkins pode ser completamente descartada, veja link abaixo:

      http://pos-darwinista.blogspot.com.br/2012/09/o-gene-egoista-ja-era.html

      Ele é só um ateu fundamentalista que ficou famoso por causa desse mesmo fundamentalismo.

      Perto do Higgs, o Dawkins é um babaca completo, compare a obra de um com a obra de outro. Acho incrível alguém querer colocar um gênio da física no mesmo nível de um idiota completo como o Dawkins.




      Excluir
    2. [MisterKey3 de janeiro de 2013 09:41]
      Isso só significa que o Dawkins não pensou sistemicamente quando criou a sua tese. No mais ele conhece a área na qual tem PhD, e é um fantástico professor.
      Higgs, que também é fantástico, é físico teórico, e não tem o que falar de Dawkins em uma ciência na qual não tem domínio.

      Excluir
    3. Acho incrivel alguem dizer que ciencia e religião são compativeis.
      Acho incrivel um fisico por ser um melhor fisico , ser melhor tamben em responder sobre coisas como o comportamento humano.
      Acho incrivel você ter encontrado na minha postagem uma passagem em que digo que Dawkins é melhor cientista que Higgs.
      Acho incrivel você ter tido realmente a intenção de ter colocado suas ideias dessa forma ...

      Guilherme Marques

      Excluir
    4. [Sid]
      Desde quando o Higgs falou que ciência e fé se misturam? O quê eu lí ali foi o Higgs dizendo que, só porquê você é cientísta, não significa que você não pode acreditar em deus.

      [ejedermal]
      Quando foi que o Higgs criticou a tese do Dawkins quanto a evolução? Higgs so criticou a postura dele quanto a religião.

      Excluir
    5. Quando a religião tenta de toda forma consolidar sua influência e impor seus dogmas a todo um país, ela se torna nociva e deve ser combatida. Estamos vivendo em um momento histórico onde pastores ingressam na política para impor seus valores a todo Brasil através de leis baseadas em seu dito "livro sagrado". Neste contexto a religião deve ser combatida sim!! Não podemos ficar calados enquanto uma determinada religião tenta criar uma teocracia em pleno solo brasileiro!

      Excluir
  2. Não sou um profundo conhecedor dos trabalhos de Richard Dawkins, mas concordo com ele no que diz respeito a combater com pulso firme (de forma pacífica e com bom argumentos) a opressão religiosa.

    ResponderExcluir
  3. Respeito demais os dois. Dawkins tem uma posição mais aguda no que se refere atacar o fundamentalismo religioso.

    Ele está longe de ser um fundamentalista da mesma forma que são os fundamentalistas religiosos.

    ResponderExcluir
  4. Dawkins só é um ateu beligerante porque ele compreendeu melhor a memética (sim, ele inventou o termo "meme")das crenças sobrenaturais e os perigos que ela traz consigo.

    De certo, Higgs não tem o mesmo treinamento técnico na área. O lance dele é física.

    ResponderExcluir
  5. Essa afirmação do Higgs só demonstra um preconceito em relação ao Dawkins. Chamá-lo de fundamentalista é fruto de má interpretação dos seus argumentos aliado à intolerância. O Dawkins é muito bem embasado nas críticas à religião, não tem como chamá-lo de fundamentalista só porque ele a critica.

    ResponderExcluir
  6. Quem diz que o Dawkins é um fundamentalista deve assumir, como consequência da sua afirmação, que os ateus são melhores do que os religiosos em termos morais. Isso porque um fundamentalista muçulmano sequestra aviões e os atira contra prédios, matando milhares de inocentes. Um fundamentalista cristão assassina médicos que trabalham em clínicas de aborto legalizadas. O fundamentalista Dawkins escreve livros e faz palestras...

    É verdade que Dawkins também fez proselitismo ao escrever Deus, um delírio, já que assumiu desde as primeiras páginas do livro que seu objetivo era converter crentes ao ateísmo. Isso é o tipo da coisa que ele não deveria fazer. Mas, apesar disso, Dawkins não incitou a violência, não exortou os ateus a intimidar os religiosos com aquela velha opção: "converta-se ou morra". Limitou-se a argumentar em favor da sua causa, tentando convencer os religiosos com idéias e não com ameaças. Se os métodos proselitistas dos religiosos fossem esses, nós ateus sequer reclamaríamos. O problema é que o proselitismo religioso sempre contém uma ameaça, senão para essa vida, pelo menos para a outra. Qual ateu nunca ouviu que, quando estiver no inferno, vai ter muito tempo para se arrepender?

    Higgs também erra quando afirma que a religião é compatível com a ciência. Isto é uma dessas afirmações condescendentes que certos cientistas fazem de tempos em tempos para não ferir a sensibilidade religiosa. Higgs afirma que há muitos cientistas que são religiosos, o que é verdade, mas isso não quer dizer nada. Há muitos jornalistas na Coréia da Norte e em Cuba, mas isso não prova que a imprensa nesses dois países seja livre.

    A verdade é que a religião só apoia a atividade científica enquanto pode instrumentalizá-la, isto é, enquanto pode fazê-la trabalhar em favor de seus próprios interesses. Enquanto um cientista corroborar os dogmas religiosos, aí tudo bem. Mas, na hora que esse mesmo cientista desmentir os dogmas religiosos, aí ele será perseguido, como aconteceu com Galileu e tantos outros. Numa teocracia, a ciência nunca tem verdadeira autonomia; o cientista é apenas um lacaio do padre.

    Como disse certa George Orwell: "se a liberdade quer dizer alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer o que as pessoas não querem ouvir". Esse conceito de liberdade afronta diretamente o que a religião entende por liberdade. Para a religião, liberdade é o direito que os outros têm de falar bem dela e de apoiar os seus dogmas. Caso isso não aconteça, fogueira neles.






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O oproblema todo é "Ateus são melhores em termos morais". Sou ateu e posso afirmar que existem babacas em toda e qualquer ideologia. Não somos "melhores". Simplesmente não cremos e temos outras soluções para a sociedade.

      Mas quando passamos a defender uma superioridade simplesmente pela descrença, deixamos de ver que babacas podem ser machistas, homofóbicos, racistas, preconceituosos, ignorantes, intolerantes, nazistas, genocídas E Ateus (ou budistas, cristãos, muçulmanos, espíritas, etc).

      Ateísmo é um saco de gatos. Infelizmente, mas é. nos atribuir meias "qualidade moral" é fórmula certa para, quando alguma critica válida sobre algum posicionamento ateísta surgir, ser a critica ignorada e tratada como "desonestidade intelectual", como, aliás, já ocorre.

      Dawkins NEM MESMO é o criador da idéia do Gene Egoísta, apenas seu maior difundidor. Mas essa mesma idéia foi usada por conservadortes como Tatcher e Reagan para abusos econom,icos e políticos nos anos 80. Não existem santos, e poder alguém criticar Dawkins sem que ele seja tratado como messias era, até ontem, uma das poucas qualidades que o ateísmo ainda carregava.

      Mas, pelo visto, até colegas ateus precisam de salvadores dotados de uma aura de inerrância.

      Excluir
    2. Não se combate o obscurantismo e a intolerância se repetindo os mesmos erros. Se assim fosse, mudariam os intolerantes, mas o erro principal e original- a dificuldade de aceitar que outras pessoas pensem de forma diversa da nossa- continuaria a mesma.


      Dawkins manda bem quando defende a teoria da evolução. Só isso. De resto, tem opiniões, boas ou ruins e pode e precisa ser criticado quando alguém dele discorda sem "endeusamento", faz favor.

      Excluir
    3. Grande Rodrigo, acho que vc interpretou p Dawkins erroneamente nessa parte "...já que assumiu desde as primeiras páginas do livro que seu objetivo era converter crentes ao ateísmo". Possa ser que eu tenha mal compreendido tbm, mas até onde eu saiba o que Dawkins disse foi que se todos os crentes lessem o livros, muito poucos continuariam sendo crentes, ele não usou o termo conversão como "quero que todos se convertam".

      Excluir
    4. Que eu saiba a intenção de Dawkins Não é coverter ninguém, em deus um delírio ele afirma que se aqueles que leem o livro terão boas chances de se tornarem ateus.

      Excluir
    5. Não é mentira alguma que a ciência não é incompatível com visões religiosas, e é muito estranho da sua parte fazer essa afirmação sem ser um cientista. Na real conhecemos com plena certeza a constituição de cerca de 5% da massa do nosso universo, e consideramos que possam existir outros infinitos universos. O que nós sabemos sobre a natureza não é nada comparado ao que desconhecemos! Então como você pode afirmar com esse ar de superioridade que não existe nada do que as religiões cogitam?
      Sim, podemos afirmar que o que conhecemos hoje não apoia em nada as visões religiosas, mas dizer que elas eliminam a possibilidade das visões estarem corretas é falacioso. É contrário ao método científico fazer afirmações sobre o que não temos prova também. Por mais que o ônus da prova seja de quem afirme, não podemos afirmar nada também sem as provas.
      Claro que existirem cientistas religiosos quer dizer muitaaa coisa, afinal eles estão cientes de toda informação dos dois lados, tanto religioso quanto científico, e mesmo assim não eliminam os dois. Que é muito diferente do caso que você citou dos jornalistas. Tal que eles não necessariamente concordem com a imprensa não ser livre, eles são obrigados a ficarem sobre tais circunstâncias, ao contrário dos cientistas com livre escolha.

      Excluir
    6. Brega Presley, concordo plenamente com a sua opinião de que os ateus não são moralmente melhores do que os religiosos. Sim, há babacas em todos os lugares. Mas é por isso mesmo que não se deve chamar Dawkins de fundamentalista, porque quem faz isso fica obrigado a seguir a conclusão que eu apresentei.

      Sobre criticar Dawkins, eu não me importo que o façam, desde que seja uma crítica justa. Eu o critico por fazer proselitismo ateu, como deixo claro no meu texto. Além disso, acho que Deus, um delírio é um livro bem ruinzinho, um livro cujas ambições eram muito maiores do que o conhecimento que Dawkins tinha sobre o assunto.

      Unknown, o Dakwins pode até não ter usado no livro dele a frase "quero que todos se convertam". Não tive paciência de reler o Deus, um delírio para confirmar o que você disse. De qualquer forma, ele não esconde de ninguém que seu maior sonho é ver o mundo livre da religião. No site dele, existe ou existia um tópico chamado "o cantinho dos convertidos".

      Abraços.

      Excluir
    7. Dan Idra, você não entendeu o que eu disse. Em tese, nada impede que a ciência venha a confirmar um dia os dogmas da religião. Mas a questão não essa. A questão é: a religião poderia aceitar uma conclusão científica que fosse contrária aos seus interesses? Duvido.

      Vou lhe dar um exemplo. Suponhamos que um cientista ateu descobrisse uma prova irrefutável de que deus existe. Este cientista teria a obrigação de abjurar seu ateísmo e se tornar um crente em Deus. Todo cientista é obrigado a aceitar os resultados provenientes das suas investigações, sejam eles aflitivos ou reconfortantes, agradáveis ou desagradáveis.

      A religião, ao contrário, não poderia aceitar a conclusão científica de que Deus não existe, porque isso inevitavelmente acarretaria a sua extinção. A religião não pode aceitar quaisquer que sejam os resultados de uma pesquisa científica, mas apenas aqueles que confirmam os seus dogmas.

      É nesse sentido que eu digo que ciência e religião não são coisas compatíveis.

      Excluir
  7. Um ateu criticando outro ateu por criticar deuses?

    ResponderExcluir
  8. Sou muito mais o Dawkins .O Sobrenatural não existe! E a crença na sua existência não pode continuar tendo a força que tem nos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  9. Esta havendo uma onda de ateus melindrados que parecem nem aceitar um ateísmo popular.
    Tem alguns que de forma dissimulada querem que ateus sejam uma pequena elite intelectual. No Brasil estamos vendo isso nas redes sociais, no Youtube onde parecem querem ditar regras de etiqueta, livros corretos a serem lidos, cuidado extremo para não abalar a sensibilidade religiosa. Um estranho movimento "Seja ateu no nosso cantinho e bem caladinho".
    Para mim ser ateu já subentende ser livre, ser pensador independente, ter capacidade intelectual de decidir meu caminho, minha ética. Calar, ditar regras, criar clero e cartilha, são as coisas do qual me expurguei deixando as crendices organizadas. Se um ateu faz uso de humor, sarcasmo, deboche, argumentos bons ou ruins, isso tudo é seu direito de cidadão livre, e ele arcar com a responsabilizado deste privilégio. Quero aproveitar plenamente ser livre para criticar idéias, aproveitar enquanto posso, enquanto deixam.

    ResponderExcluir
  10. Higgs está certo, Dawkins chegou ao cúmulo de dizer que a raíz do todo o mal na Terra é a Fé em Deus. O neoateísmo de dawkins acaba sendo um contra-senso para o que ele próprio critica: o fundamentalismo. Foi justamente esse pensamento de que neoateísta que levou Mao-Tse-Tung a matar centenas de milheres de tibetanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gzus all might Lord! Não foi o ateísmo que levou cabo a vida de milhões de pessoas, mas sim o comunismo. Apesar de ser ateu, Mao-Tse-Tung era comunista, e em nome do comunismo ele matou. As mortes foram políticas!

      Excluir
    2. Foi o Comunismo aliado à ideais anti-religiosas, o próprio Mao dizia que "Religião é veneno", algo muito próximo do que Dawkins fala.

      Excluir
    3. Exato, o comunismo foi aliado à ideias antirreligiosas, e o ateísmo não possui dogmas e, portanto, é muita burrice aliar as mortes causadas pelo comunismo ao ateísmo. Mas sim, Dawkins, às vezes,, se exalta e exagera em certos pontos, mas compara-lo ao Mao é muito exagero, pois suas ideias não levam e não levarão a genocídios.

      Excluir
    4. A frase do programa "a raiz de todo o mal" não é do dawkins, ele mesmo disso isso em entrevista, ele acha que a religião é uma das raízes mas não A raiz. Melhor se informar pra depois fazer afirmações infundadas.

      Excluir
    5. rick

      Foi justamente esse pensamento de que neoateísta que levou Mao-Tse-Tung a matar centenas de milheres de tibetanos.

      Errado. Mão-Tsé-Tung era movido pelo culto da personalidade e a única forma de silenciar o ruído era eliminar tudo que proporcionasse feed back.

      Demo

      Excluir
    6. Estão muito desinformados. Mao nunca foi ateu. Para todas as decisões tomadas consultava sempre um adivinho que o acompanhava. Isso é ser ateu ? Mao era apenas um calhorda assassino que usou o comunismo para justificar-se. Da mesma forma, Castro, o doidão da coreia do norte e o piradão que sucedeu Lenin ( dessa escória faço questão de nem lembrar seus nomes)

      Excluir
  11. o deus invisível é igual o homem invisível dos quadrinhos: não existe.

    ResponderExcluir
  12. Uma coisa é criticar o fundamentalismo religioso, outra é atacar a religião em si. Dawkins acaba caindo num contra-senso...

    ResponderExcluir
  13. deus, aquele ser artificial que não existe, vai ficar bravo com os dois.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. "Sou mais o Dawkins" é um comentário típico de torcida, não de troca de argumentação.

    Isso não é futebol, pessoal.

    Refutem argumentos ou os apoiem, não personalidades. Dawkins , se falar mbobagem, pode e merece criticas, como qualquer um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Você realmente acha que se concordam com uma ou duas ideias de Dawkins ja é endeusalo , as a vezes as pessoas tem uma opnião e algumas outras olham e dizem "acho que concordo com isso , realmente é por ai que eu tambem penso " , precisa ser uma pessoa bem "peculiar" para não dizer outra coisa, para ter a linha de pensamente voltada para a descrença no sensus religioso e mesmo assim precisar de um messias.
      Então concordo Dawkins não esta livre de criticas , mas se concordar com suas ideias (não todas) nos joga num balaio de tolos, seguidores ,cegos ,ja é demais .

      Excluir
  16. Esse trecho, ao meu ver, é central:
    "Para uns, como Higgs, a ciência não é incompatível com as crenças religiosa. Para outros, como Dawkins a religião precisa ser combatida porque, entre outras coisas, tem significado ao longo da história um entrave ao avanço científico."

    Posso citar (de novo) uma imensa lista de bons cientistas religiosos. No geral, ciência avança APESAR de entraves religiosos, mas há momentos específicos, como Kepler, que só investiu em momentos iniciais, em suas teorias matemáticas, porque queria provar a perfeição de modelos astronômicos advindos da geometria.

    George Lemaitre, possivelmente, só desenvolveui seu modelo de astronomia por ser padre.

    Em ambos os casos, é claro, só foram aceitos com seus modelos quando suas teorias foram separadas de suas crenças e provadas matematicamente e empiricamente. Mas foram suas teorias possiveis, de inicio, possivelmente, apenas por causa sde sua religiosidade.

    Ciencia não precisa especificamente de ateísmo. Ciencia precisa de idéias e modelos, que possam ser discutidos e ampliados.

    Imagine se o Padre Lemaitre jamais fosse levado a sério, simplesmente piorque "ciencia não pode vir de religião"? Não podemos ser intolerantes. Teorias existem para serem pensadas, afinadas e descartadas ou comprovadas de acordo com as possibilidades de experimentação, mas não podem ser descartadas porque "quem as criou é religioso".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yep! Vejo da mesma forma! A ciência em si não precisa de posicionamento ideológico.

      Excluir
    2. O que o amigo quis dizer é que a religião pode impedir o avanço científico quando a mesma é posta a frente dos objetivos da ciência. Não se deve submeter pesquisas científicas a dogmas religiosos só isso. Muitos cientistas são religiosos, a própria ciência teve parte do seu berço em lares "religiosos" mas não foi a religião de quem faz ciência que tornou a ciência o que ela é hoje. Em resumo: O fato do cientista ser religioso nada afeta em suas pesquisas desde que a religião não seja posta a frente de tudo;

      Excluir
    3. Caro Presley (não me direciono especialmente a você, mas faço uma ponte com seu texto, se me permite), mas a religião pode atrapalhar a ciência quando domina a opinião pública e/ou influencia os governos.
      Acredito que independente de quantos forem os cientistas-religiosos citados por alguém, nada barra os longos períodos na história sem desenvolvimento científico, num sentido amplo da palavra. Pense desde Aristóteles, foram praticamente 1600 anos de estagnação. Muitos religiosos-cientistas e alguns poucos cientistas-religiosos só fizeram grandes descobertas devido ao acesso à informação que somente alguns clérigos e poucos bem dotados de riqueza tinham. Dessa forma, pra mim, a coisa se inverte. Foi exatamente o espírito científico dos humanos, a coragem e talvez alguma genialidade de certas pessoas (clérigos ou não) que levou ao desvendamento de novos conhecimentos para o mundo. Muito provavelmente, se não fosse o domínio religioso, várias descobertas científicas já teriam sido feitas muito antes da data de suas divulgações.

      Embora isso seja passado, a religião ainda mantem algumas garras sobre o progresso científico. O seu último parágrafo demonstra exatamente o que as religiões fazem, mas não a ciência. Não existe a pergunta "você é religioso?" no universo científico. Combater a religião está especialmente localizado no âmbito governamental, onde ela ainda tem muita influência. Mas não esqueçamos que a opinião pública está quase sempre desinformada e é muito sensível a factoides de origem religiosa (como as múltiplas aparições de divindades, por exemplo), especialmente em países pobres como o nosso.

      Excluir
    4. Quando Galileu disse que a terra era redonda e nao o centro do universo entao a igreja colocou-o na prisao! Simplesmente a Igreja como Instituicao,politicamente quer ter o controle na massa.Mas com o desenvolvimento tecnologico,ela perdeu o poder,e esta usando e criando outros tipos de conflitos entre individuos,e todos os métodos sao licítos,para conseguir sua meta.Tanto catolicísmo e islamísmo,a intolêrancia está crescendo de maneira extravagante em diferentes angulos e está comprovado que a história se repete.

      Excluir
  17. A Vovó é chata mesmo.
    Mas ambos tem que parar c/ isso.
    Aliás, nem começaram.É só a imprensa querendo ver o circo pegar fogo.

    ResponderExcluir
  18. É tão evidente o malefício da religiao, que fica obvio o atraso que ela gera quando falamos de pesquisas com células tronco.

    ResponderExcluir
  19. Dawkins é absolutamente coerente e firme. Não se pode tratar as religiões com "carinho especial" ou benevolência, que, aliás, nunca tiveram com os contrários ao longo dos tempos. Religião é um conjunto de sandices. Não é NADA, sem conteúdo aproveitável, portanto, por quê deveria ter um foro especial ?

    ResponderExcluir
  20. Dawkins não é fundamentalista: é realista. Há que se respeitar o indivíduo, mas por que respeitar e 'pegar leve' com a religião se você a tem como algo maligno? A cada dia que passa, concordo mais com Dawkins. Raras vezes concordei tanto com um livro como concordo com Deus, Um Delírio.


    Ruggero

    ResponderExcluir
  21. Eu também estou com Dawkins. Religião não é coisa sagrada! Isso é um grande tabu dizer que a crença seja algo sagrado e que ninguém possa tocar... Acho que sagrado mesmo são entes queridos vivos ou mortos: mãe, pai, filhos, filhas, irmãos, irmãs, bichinho de estimação, o lar, coisas que são sentimentalmente importantes para a pessoa, uma vez que somos animais emocionais com possibilidade de racionalidade, não uma religião, não uma ideologia, não uma política, não uma opinião, uma literatura... os fundamentalistas da religião é que são grandes tolos vivendo na Idade do Bronze.

    ResponderExcluir
  22. O pessoal insiste em misturar fundamentalismo religioso com religiosidade ou a simples crença numa divindade. Dawkins não é nada coerente, exceto quando critica o fundamentalismo religioso. Agora, quando começa a dizer que a fé religiosa é a origem de todo o mal, que a crença em Deus tem que ser extinta, que a religiosidade em si é deletéria, ele nada mais está do que sendo radical. O mal está no ser humano, qualquer coisa pode virar meio de alienação, não só a Religião. A própria Ideologia, pode ser um mecanismo de controle das massas, então teróamos que acabar com as Ideologias (no sentido geral), como Dawkins propõe em relação à Religião (no sentido geral), ou a simples crença no transcendente? "Quando o Céu se esvazia de Deus, a Terra se enche de ídolos", ou seja, com ou sem a crença em Deus, pouca coisa mudaria. Dawkins é um ateu proselitista, mas se ao menos pregasse o ateísmo, mas não, ele é anti-religioso, reducionista, eu diria até intolerante, portanto, Higgs está com toda a razão em criticá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já disse, Dawkins é em tempos exagerado, mas ele não vai lhe enfiar uma AK-47 na boca e lhe converter em ateu, o máximo que ele faz é chamar os religiosos de feios e bobos com uma linguagem mais estridente. Eu, particularmente, não sou muito fã de Dawkins. E concordo que se conseguissemos extirpar as religiões da face da terra, quem garante que o mundo será melhor? Garanto que estaríamos no mesmo buraco de desespero.

      Excluir
    2. Rick

      O pessoal insiste em misturar fundamentalismo religioso com religiosidade ou a simples crença numa divindade.

      O que você entende por fundamentalismo? Excesso… (dirá certamente).

      Já leu o “manual de intenções” cristão (vulgo Biblía?).
      Como define Deuteronômio 13:6-10? senão como violência.

      Como justifica o que se passou com Savita Halappanavar senão como o resultado da violência de um preconceito.

      Tudo o que nos obriga a viver em contradição e negação é violência – e porque contradição e negação são mentira e mediocridade –, logo religião é violência.

      "Quando o Céu se esvazia de Deus, a Terra se enche de ídolos"…

      Isso é folclore. Os ídolos são fruto da submissão humana…

      Demo

      Excluir
  23. Conformem-se, a crença no transcendente faz parte do ser humano, sempre existirá, é utópico propor uma sociedade completamente ateísta, o que devemos combater é o fanatismo, os radicalismos e o fundamentalismo, seja em qual esfera for, religiosa, ideológica, política, midiática, etc. Engraçado que Dawkins fala tão mal da fé, mas muito daquilo que ele mesmo propõe, não passa de anedotismo, ou seja, afirmação de fé, fé ideológica. Se a "fé é a raíz de todo o mal" (título de um dos documentários de Dawkins), então ele também está se valendo desse mal. Não vamos colocar a carroça na frente dos bois, se o problema é o fundamentalismo religioso, é ele quem deve ser combatido e criticado, não a religiosidade ou a fé religiosa em si. Na ânsia de ver uma sociedade livre do fundamentalismo religioso, Dawkins acaba se desesperando, se apressando e se equivocando em suas análises, daí nascem os generalismos, ao invés de curar a infecção retirando a unha encravada, sugere-se que se ampute os pés.

    ResponderExcluir
  24. O Dawkins ta corretíssimo, se não tiver fundamento tem mais é que criticar mesmo, por conta dessa "boa educação" com que tratamos as religiões é que elas proliferam a passos largos, instruindo nossas crianças a acreditar em fadas nos jardins.

    ResponderExcluir
  25. Eu nunca ouvi dizer que fundamentalistas podem se apegar a teorias científicas ou idéias científicas. Todos sabem que uma teoria científica pode ser falsificável, a teoria da evolução por exemplo, basta encontrar um coelho no período cambriano, ou uma galinha da época dos dinossauros que todoa a teoria iria por agua a baixo, agora me digam qual religioso fundamentalista aceitaria que a sua "teoria" pode ser falsa?

    ResponderExcluir
  26. acho justo a crítica. O ateu em questão (da crítica) também já notou que há algo similar com o fundamentalismo religioso no ateísmo. Ainda mais nesses tempos em que a abertura e exposição ficaram maiores.


    o ateísmo não está blindado quanto a isso. Efeitos negativos podem advir dele também. Sabe-se lá o que o futuro nos reserva. Boa coisa eu acho que não, já que o cerne da questão é a própria humanidade: com ou sem ateísmo, acho que, de modo geral, estaríamos lascados também. A única vantagem da diminuição da religião é que haveria menos desgraças. Religião é quase um sinonimo de destruição e sofrimento. Porém, duvido muito que a natureza humana, os impulsos, os instintos, etc seriam facilmente controláveis.


    uma coisa que eu percebi também é que há uma espécie de crença (quase um mito) de que os problemas do mundo acabam quando a religião acabar. Para mim isso não passa de ilusão.

    ResponderExcluir
  27. O negócio é que a gente pode criticar todo tipo de assunto mas "não faaaaaala mal do meus nãaaaaaaaaaao" ¬¬'

    ResponderExcluir
  28. e também acho que a neutralidade (e objetividade cientifica e filosófica) supostamente implicita no ateísmo é outro mito. As pessoas vão defender o partido a que se "apegaram", não estão interessadas na verdade das coisas. A verdade é mero acidente, conveniência.

    não acho que isso seja (ou será) diferente com o ateísmo. São adeptas de uma ideologia, de um corpo de idéias e vão defende-la até onde preciso for. Vemos exmplos disso todo o tempo: no futebol, nas panelas sociais, nos partidos, nos diversos movimentos juvenis, nos nacionalismos, nos bairrismos, etc. O que não falta é exemplo do que estou falando.

    o ateísmo, do jeito como está agora, com esse nível de exposição, começará a apresentar falhas que encontramos em todos os outros grupos sociais, e então o que servirá como base para sua justificação será a deliberação humana, o apego, o sentimento à idéia. A verdade ficará em segundo plano, como sempre.

    ResponderExcluir
  29. Cientistas "religiosos" são a maioria. Sou pesquisador e físico, trabalho dentro de uma universidade brasileira. Vejo constantemente missas e cultos dentro da universidade, sem falar em cerimônias religiosas. Acho isso vergonhoso. Fico muito feliz quando encontro ateus com pouca instrução acadêmica, pessoas que buscam o conhecimento sem medo de encontrar a verdade. Já tive contato com cientistas famosos, mas sendo pastores, religiosos completamente tapados. O que mais tem no meio científico brasileiro são cientistas técnicos. São pessoas que trabalham com a lógica e a razão durante o dia e a noite são pregadores da bíblia em igrejas evangélicas radicais. Respeito o Higgs e seus artigos, mas não é o momento de tentar esfriar o movimento da minoria dos não-crentes em mitos(principalmente no Brasil). Claro que precisamos passar um pouco do ponto! Como podemos tolerar um sujeito com doutorado acreditando que cobra fala, que boi voa, etc... Precisamos fazer mais barulho que o normal, levantar a poeira mesmo. Mais tarde, quem sabe, essa maioria perceba que precisamos ser respeitados. Que não somos drogados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não devemos passar do ponto, ao menos ao meu ver, pois é sempre bom demonstrar ao menos um pouco de respeito. Isso, claro, dependendo das circunstâncias, deve-se demonstrar respeito a quem merece. Mas no caso do pastor físico, apresentado por você, deve-se sim mostrar o devido respeito, não passando do ponto, apenas devemos apresentar nossos argumentos de forma educada e aceitar sua opinião.

      Excluir
  30. Ofereça provas de que deus existe (provas mesmo). Tenho certeza que qualquer ateu passará a acreditar em deus, incluindo Dawkins.
    Isso é fundamentalismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. complicado. Pois a cruzada de dawkins abrange toda a religião, mesmo que ele diga que apenas os extremismos tem que ser combatidos. Está implícito. Ele encana até mesmo com ateus simpatizantes da crença.

      não creio que haja espaço para a religião na visão de dawkins. É evidente o descaso do mesmo para com as religiões. E isso é perigoso, mesmo que em menor grau comparado ao dos efeitos nocivos da religião.

      do jeito como vem sendo feito, passa a impressão de que ele deseja arrancar o direito de crença e não a crença em si. Mesmo que isso seja indiretamente.


      Excluir
  31. Em nenhum momento o Higgs afirma que a religião não pode ser criticada! O que ele afirma é que Dawkins é radical demais, atacando não apenas as religiões, mas os religiosos em si. E isso é verdade, Dawkins faz isso! E, convenhamos, Higgs é um puta cientista de peso, não é qualquer um.
    Uma prova de que existe fundamentalismo ateísta são os próprios comentários que vejo aqui. Muitas pessoas atacam o Higgs apenas por que ele criticou o Dawkins. Ficam tão indignados e ofendidos quanto um crente fica quando falam mal do pastor da igreja dele. Cadê a sobriedade pra receber uma crítica e responder com argumentos e não com histeria? Não estou me referindo a todos, é claro, mas tem uns comentários acima que parecem coisa de crente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Uma prova de que existe fundamentalismo ateísta são os próprios comentários que vejo aqui."

      Na verdade, seria prova do fanatismo ateísta de algumas pessoas, e não do fundamentalismo. Para este, deveria haver uma doutrina básica para todos os ateus.

      No mais, concordo plenamente contigo!

      Excluir
  32. Todo o respeito aos trabalhos do professor Higgs, mas ele não será o primeiro sujeito com doutorado em qualquer coisa que devido seu prestígio critica a ofensiva dos não-crentes. Nesse caso estou do lado do Dawkins. Fico muito feliz, depois do movimento iniciado por Dawkins, quando me deparo com pessoas com pouca instrução acadêmica questionando a existência dos dogmas e mitos. Enquanto isso dentro da academia brasileira está cheia de crentes, missas e cultos, cerimônias religiosas católicas, etc. Sou pesquisador e professor dentro de uma universidade federal, é uma vergonha geral. É comum ver gente com doutorado que acredita que cobra fala, que água se transforma em vinho, que a bíblia é um livro de educação moral, etc. O Dawkins e seus colegas estão certos mesmo, tem que detonar mesmo esses caras. Nesse momento o assunto tem que ser tratado proporcionalmente ao grau de irracionalidade do assunto. Se o sujeito com doutorado quer justificar que uma cobra fala usando provas ontológicas baseadas na razão, só podemos rir desse imbecil. No futuro quando esses arrogantes pararem que bater em nossas portas para nos converter em mitos infantis, iremos respeitá-los.

    ResponderExcluir
  33. Richard Dawkins é um ateu fanatico, como muitos dos crentes fanáticos que ele critica. Não vejo nenhuma diferença entre a sua postura frente a religião e a ciência e a postura de religiosos fundamentalistas e fanáticos em geral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe uma diferença grotesca entre Dawkins e um fanático religioso: Dawkins defende seu ponto de vista argumentando racionalmente e sem recorrer a fantasias, já os religiosos fanáticos se dizem donos da verdade baseados em falácias, mitos e achismos.

      Excluir
    2. Não importa em que se baseia o seu fundamentalismo, é a mesma atitude e pode produzir os mesmos efeitos.
      E pra qualquer religioso, as teorias evolucionistas e outras que procuram explicar a origem do universo, são tão fantasiosas quanto as crenças em deuses são para os ateus.

      Excluir
    3. Essas comparações continuam bem forçadas. Teoria evolucionista só é fantasiosa pra quem deliberadamente fecha os olhos ao mar de evidencias concretas que a corroboram, muito diferente de teorias religiosas. Me parece um esforço extra seu para tentar desqualificar Dawkins a qualquer custo.

      Excluir
  34. Mesmo com essa evolução científica em pleno século XXI, ainda à crença contínua 100 X luz na frente. Os ateus são minoria no Brasil e no mundo,que bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quantidade sem qualidade. Toda maioria é burra (Nelson Rodrigues)

      Excluir
    2. "Mesmo com essa evolução científica em pleno século XXI, ainda à crença contínua 100 X luz na frente. Os ateus são minoria no Brasil e no mundo,que bom!"

      Falácia do apelo à maioria: uma das mais infantis de todas!

      Excluir
  35. A crença em um Deus mágico que criou o universo e que o goverma de algum lugar do espaço cósmico, eu considero um absurdo, e a religião que prega essa e outras bobagens o fazem por que tradicionalmente tem lhe dado prestigio e lucro financeiro.
    As esplicações religiosas da origem do universo só podem ser aceitas por pessoas que tem preguiça de pensar e precisam trabalhar para viver e não se importam como seja a realidade.
    O universo material provem de um campo quântico onde as energias de atração e repulsão se anulavam no ponto zero sem ocupar espaço, pois não havendo deslocamento de energia para criar espaço também não existe tempo. (isso podemos chamar de eternidade sen tempo/espaço)
    Até que algumas partículas virtuais por alguma flutuação do ponto zero das energias deixaram de se aniquilar e se adensaram criando um campo de massa originando a matéria. (bosom de Higgs).

    ResponderExcluir
  36. Higgs demonstrando que opinião é igual a bunda: cada um tem a sua e pronto, sem dramas.
    Sua opinião sobre o assunto não muda em nada o trabalho dele ou do Dawkins. E isso é ótimo.

    ResponderExcluir
  37. Concordo com Dawkins. A religião precisa ser combatida. Basta ver o lunático Silas Malafaia e sua perseguição contra os homossexuais no Brasil. E o mais assustador, é o exército de ignorantes e imbecis que apoiam uma criatura dessas. Religião e fé são sinônimos de ignorância. Quando impostas a todos, a coisa vira doença. Acredito que com uma educação sadia e conhecimento, (sem imposições) possamos combater a religião.

    ResponderExcluir

Postar um comentário