Judeus e muçulmanos se unem contra veto alemão à circuncisão

A mutilação de bebês faz parte
da tradição judaica e islâmica
O prepúcio de bebês conseguiu algo raro, que judeus e muçulmanos se unam em torno de uma causa em comum. Entidades europeias que, em separado, representam os dois grupos religiosos divulgaram hoje (12) um repúdio à decisão do Tribunal de Colônia (Alemanha) de proibir a circuncisão (retirada do prepúcio de crianças de oito dias).

A sentença não vale para toda a Alemanha, mas os líderes religiosos temem que, com o tempo, ela acabe sendo adotada por outros países europeus. Na Holanda, a proibição da circuncisão já é discutida há mais de um ano.

Ao julgar o caso de um garoto muçulmano que deu entrada em 2010 em um hospital com sangramento em consequência de uma circuncisão, o Tribunal de Colônia considerou esse tipo de mutilação como criminosa e determinou que a circuncisão só fosse feita em maiores de idade, que podem decidir ou não pelo procedimento.

A reação dos líderes judeus e islâmicos tem sido veemente. Para eles, trata-se de uma intolerância religiosa. O comunicado de repúdio foi assinado por entidades como o Centro Rabínico da Europa, o Parlamento Judeu Europeu, o Centro Islâmico de Bruxelas e a União Turco-Islâmica da Alemanha.

Com informação da Globo News e agências.

Tribunal da Alemanha julga como crime circuncisão de ritual religioso.
junho de 2012

Comentários

  1. intolerancia religiosa... e quem garante que o garoto multilado irá ter essa religião quando crescer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem garante que não, visto que ele sofrerá lavagem cerebral, tendo tudo que for de ruim que aconteça com ele associado a esse fato da sua infância, afinal de contas quem o criará: o estado ou a família judia dele?

      Excluir
    2. Quantos adolescentes filhos de judeus e de mulçumanos apareceram reclamando por terem sido submetidos a circuncisão sem seu consentimento aos oito dias de nascido?

      Excluir
  2. Tem que acabar sim com este "estupro" de crianças , foda-se as tradições religiosas , deixa crescer e quando e achar por bem fazer isto ele vai lá e faz. Isto é um desrespeito ao ser humano e toda que integridade intelectual ,pluralista etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. **Tem que acabar sim com este
      "estupro" de crianças , foda-se
      as tradições religiosas , deixa
      crescer e quando crescer e achar por
      bem fazer isto ele vai lá e faz.
      Isto é um desrespeito ao ser
      humano e toda sua
      integridade
      intelectual ,pluralista etc
      **

      Excluir
  3. Existem habitos religiosos que tem que ser revistos...

    ResponderExcluir
  4. Abraço por trás12 de julho de 2012 20:58

    Religiosos têm uma idéias estranhas ligadas a qualquer coisa que se relacione a órgãos genitais. Ô povo estranho.

    Porque não espera a criança crescer pra saber se ela quer ser mutilada?

    O bem-estar do ser humano em primeiro lugar. Tradições tribais devem ser esqueçedas, não vivemos mais segregados em tribos.

    ResponderExcluir
  5. É um cabo de guerra!
    De um lado, o Estado Laico; De outro, Religiosos Judeus e Muçulmanos. No meio, a pelanquinha!

    Todo e qualquer sacramento deveria ser administrado somente na maioridade do indivíduo, se ele quiser se submeter a isto!

    ResponderExcluir
  6. Ah sim...povo muito equilibrado esse, judeus e muçulmanos!

    Charles

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Nessas horas que agradeço minha mãe por me respeitar esperou eu crescer pra saber se eu queria ou não tirar minha fimose, obrigado mãe por me respeitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Circuncisão não é remover a fimose é retirar toda a pele que envolve a glande.

      Excluir
  9. Queria fontes de sites jornalísticos, por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serve a Globo News?.

      Se não, procure acessar um tal de Google. Já ouviu falar?

      Excluir
    2. https://www.google.com/webhp?sourceid=chrome-instant&ie=UTF-8&ion=1#hl=en&sa=X&ei=d3P_T66hCYzLqAG7l4DsBA&ved=0CD8QvwUoAQ&q=german+circumcision&spell=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.,cf.osb&fp=2176d1af1be1f17d&ion=1&biw=1278&bih=683

      Excluir
    3. "Queria fontes de sites jornalísticos, por favor."

      hum, e esse site, feito por um JORNALISTA, vc acha que é o que?

      Excluir
  10. O conceito por trás da circuncisão é o que é mais escroto. Se fosse questão de saúde até entenderia, mas submeter a criança a isso pra fazer aliança com o deus deles, por favor né? O bem-estar e dignidade da criança tem que vir em primeiro lugar.

    ResponderExcluir
  11. Agora a igreja catolica poderia servir de algo. Nao nao, eles estao se divertindo com meninos agora.

    ResponderExcluir
  12. Em primeiro lugar, em famílias religiosas - sejam elas muçulmanas ou judias - todas as normas dos respectivos livros sagrados devem ser cumpridas. Dificilmente uma criança que nasce em âmbito ortodoxo seguirá caminho diverso, e, vamos pensar, o que é melhor: passar pelo procedimento com 18 anos de idade, momento em que será mais doloroso e complicado, nessa idade em que o cérebro já armazena com mais eficiência os fatos (porque decidiu seguir, e ainda com o peso na consciência de ter feito isso no tempo errado) OU ser circuncidado aos oito dias - no caso dos judeus - e, caso posteriormente não siga a religião, evitar uma fimose? No caso árabe, ambas as idades (13 ou 18 anos) representam o mesmo sofrimento, mas aqui temos que pensar também na aceitação social, e na vontade do próprio indivíduo! Ele é muçulmano e vai querer realizar o ritual no tempo prescrito! O que eu acho interessante, seria a obrigatoriedade de um médico acompanhar o procedimento, para que não haja esses problemas relacionados à higiene ou a possíveis acidentes. Este último cuidado vale tanto para o muçulmanos quanto para judeus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mutilação genital é um hábito bárbaro e cruel, e que deveria ser proibida em todos os países.

      Só continua sendo praticada devido ao grande poder economico dos judeus.

      Pais não devem ter direito a amputar seus filhos só por causa de suas religiões estúpidas.

      Excluir
    2. Cachorro Auau

      >> "Dificilmente uma criança que nasce em âmbito ortodoxo seguirá caminho diverso, e, vamos pensar, o que é melhor: passar pelo procedimento com 18 anos de idade, momento em que será mais doloroso e complicado, nessa idade em que o cérebro já armazena com mais eficiência os fatos (porque decidiu seguir, e ainda com o peso na consciência de ter feito isso no tempo errado) OU ser circuncidado aos oito dias - no caso dos judeus - e, caso posteriormente não siga a religião, evitar uma fimose?"

      Vc já ouviu falar em uma coisinha chamada anestesia? Obviamente, que se o homem judeu ou muçulmano escolher fazer a circuncisão - justamente por ele ter mais discernimento - que ele procurará um médico treinado nesse tipo de procedimento onde ele será feito dentro nas normas de higiene e com anestesia.

      Ao contrário do que acontece com bebês. Além de bebês não terem discernimento suficiente para escolher a circuncisão ou não, nem sempre ela é feita com higiene e com anestesia. Tadinho do bebê, né? Além de ser forçado a ser circuncidado, vai sentir uma dor enorme e correr o risco de pegar uma infecção.

      Excluir
  13. O direito de escolha da religião da criança pelos pais de forma alguma pode ser considerada acima do direito – e da garantia – da proteção à integridade física da criança.

    Não se diferencia muito esse ato do que a mutilação à genitália feminina em alguns países mulçumanos – apesar de serem com finalidades diferentes. Não é porque é religioso que tem autorização imediata para se praticar tal ato.

    Creio que a única possibilidade de tal ato continuar é se ele for feito de forma cirúrgica, em hospitais preparados para isso, com todos os exames feitos, anestesia e com a anuência do médico de que isso não trará problemas para a criança. Fora isso, concordo com a decisão do tribunal alemão de proibir esse ritual violento em corpo de alguém que não consente para isso.

    ResponderExcluir
  14. Uma pinoia. mesmo ateu respeito certos posicionamentos religiosos, mas se você pertence a um estado deve primeiro acatar as "ordens" deste Estado, ou mudá-las legalmente. cortar bilau de criancinha é sacanagem religiosa, quando o menino crescer ele que escolha fazer a circuncisao ou não, por motivos religiosos ou de higiene, será do alvedrio dele.

    ResponderExcluir
  15. Circuncisão é muito diferente de mutilação à genitália feminina.

    E quem disse que a circuncisão não é feita em um hospital ou clínica? Mesmo o caso citado na reportagem "Ao julgar o caso de um garoto muçulmano que deu entrada em 2010 em um hospital com sangramento em consequência de uma circuncisão", foi feito por um médico. Esse tipo de decisão só vai forçar as pessoas a procurarem outros países, onde a prática é permitida, e pior, sabe-se lá em que condições sanitárias. Ou seja ainda vai haver circuncisão, mas não na Alemanha.

    E se for pra ter tanto zelo com a integridade das crianças, furar orelha de meninas também deve ser proibido.

    Medidas desse tipo, beiram à intolerância religiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A circuncisão serve para criar uma "cicatriz psicológica" no ser humano.

      Mesmo depois de adulta, ela será obrigada a contemplar aquela mutilação em seu órgão genital...

      Mas não é a marca física que importa; é a "queloide psíquica" que a obrigará a seguir um caminho que ela não escolheu; mas que foi imposto por adultos que querem controlar a força o destino das gerações futuras.

      O mesmo ocorre com o batismo de bebes na ICAR. Só que quando adulto, não haverá nenhuma marca exterior; apenas a pressão do grupo para "forçar" o indivíduo a trilhar o caminho da subserviência cristã, tipo:

      "Ocê é batizado, intonce tem di cê catolico..."

      Fora que, tanto o bebe batizado, quanto o bebe mutilado; também entram nas estatísticas de seus grupos...

      Att.: Pensador livre

      Excluir
    2. Você está errado!

      Não existe diferença nenhuma entre a mutilação genital masculina e a mutilação feminina.

      O homem que é circuncidado perde grande parte do seu prazer sexual.

      A GiBiblia sempre teve obsessão pelo sexo. Por isso, quis tirar do homem as partes do corpo que mais lhe dão prazer: a próstata e o prepúcio...

      Excluir
  16. esse deus e sua tara fálica...

    ResponderExcluir
  17. Eu não entendo é esse pacto maluco. Em troca de um pedaço do pênis o indivíduo tenta ganhar um lugar no céu. Vai entender.

    ResponderExcluir
  18. Agredir uma criança e ainda coloca-la em risco de morte é uma imoralidade total e não se justifica de maneira alguma e isso inclui a justificativa religiosa.

    ResponderExcluir
  19. Quando é que Judeus vão aprender que isto não é necessário. Querem guardar este mandamento da lei mosaica então que guardem o resto também.

    ResponderExcluir
  20. Quando é para propagar mutilações em impacapazes de se defender ou dar sua opinição, judeus e muçulmanos se unem... Isto por que são o povo 'escolhido'!

    ResponderExcluir
  21. Enquanto alguns líderes religiosos sugam sangue do pênis das crianças, outros sugam o pênis até sair sangue.

    ResponderExcluir

Postar um comentário