Muçulmanos de universidade britânica rejeitam a evolução


Charles Darwin (1809-1882),
autor da teoria da evolução
Estudantes muçulmanos de medicina da University College London, na Grã-Bretanha, têm boicotado as palestras sobre a teoria da evolução das espécies de Darwin com a alegação de que ela conflita com as ideia criacionista do Corão. Os muçulmanos, assim como os cristãos fundamentalistas, acreditam que Deus criou o mundo e todos os seres vivos. 

Steve Jones, professor emérito de genética humana da universidade, disse não entender por que esses estudantes se decidiram por um curso cuja base é a ciência.

“Eles [os estudantes] não comparecem às palestras e depois reclamam que não deveriam ser submetidos a esse tipo de coisa”, disse.

No começo do ano, radicais muçulmanos ameaçaram de morte Usama Hasan, imã de uma mesquita em Leyton, porque ele afirmou que o Islã e o darwinismo não se excluem.

O biólogo Richard Dawkins manifestou preocupação com o número crescente de estudantes de medicina que recusam a evolução por motivo religioso.

O Daily Mail informou que os livros e as palestras do turco criacionista Harum Yah têm conseguido boa acolhida na comunidade islâmica da Grã-Bretanha. Para o autor, a teoria da evolução e o nazismo estão ligados entre si.

Com informação do Daily Mail.



Estudo diz que teoria da evolução é ignorada por 1 bilhão de muçulmanos