Uma em cada quatro brasileiras é agredida por companheiro ou ex

No período de setembro de 2008 ao mesmo mês de 2009, uma em cada quatro brasileiras foi agredida pelo cônjuge ou  ex, informa o IBGE com base na Pnd (pesqusa Nacional por Amostra de Domicílios).

Desse total, 280 mil (25,9%) foram vítimas de seus companheiros. Em relação aos homens, 2% sofreram agressão de sua mulher. Nos dois casos, 80,5% das agressões ocorreram na residência.

Jurema Werneck, da ong Criola, afirmou que a pesquisa mostra que a sociedade continua a tolerar a violência contra as mulheres.

"Os homens se sentem no direito de tratar a mulher como inferior, como propriedade deles", disse.

Uma covardia que se repete


Com informação da Agência Brasil.

> Marido espanca mulher porque ela o traía ‘em pensamento’.
outubro de 2010

Comentários

  1. Quero ver algum machista cristão falar que é bonzinho aqui com sua companheira! Duvido!

    Sempre soube que a religião é um veneno para mulheres, pois o fundamentalismo machsita está tão impregnado que elas nem tem direito de usufruirem de sua liberdade enquanto mulheres.

    Mulheres, se libertem desses grilhões, pois seus direitos estão sendo atacados em nome da fé!

    ResponderExcluir
  2. fui casada a quatro anos, não foi um casamento dos sonhos, pois era pegar ou lagar, já que tinha saído de casa, mas ele sempre se mostrou compreensivo, uma pessoa amiga,fomos morar em outra cidade, eu não me adaptei onde morava, o casamento era mais amizade,eu só enxerguei que o casamento não estava bom quando me apaixonei por outro,como agente sempre fomos sinceros um com outro, falei pra ele que era melhor agente se separar, porque ao me apaixonar, vi como minha vida estava vazia, era trabalho e casa, ele pareceu compreender oque falei, mas começou a querer conquistar,me levar pra passear, mas não adiantou,apesar de tudo quando chegava anoite eu dormindo ele insistia em ter relação sexual,eu parecia uma boneca inflável,comecei a a pegar nojo e resolvi ir pra casa da minha mãe, melhor ver o mau estar dela do que aguenta oque estava acontecendo,ele aceitou que eu fosse pra casa da minha mãe ficou bastante intimo da família, um amigão, compro uma casa na minha cidade, eu ia na casa dele, principalmente porque teve uma época que ele ficou doente, e minha mãe insistiu pra eu cuidar dele, afinal ele não tinha ninguém na cidade, a filha dele veio passar ferias, e eu ficava fazendo companhia para ela, no começo ele falou pra eu não comentar que estávamos separados, mas as pessoas já percebiam, e eu ia falando pra quem eu tinha mais intimidade, enfim se mostrou um ótimo ex marido, ate eu conhecer meu atual marido e marcar minha data de casamento, quando ele ficou sabendo, disse que suspeitava que eu estava gravida, e que se fosse o filho era dele, ou seja todo o tempo em que ele se fingia ser um ótimo ex,um amigo pra todas as horas, na verdade ele me dopava e mantinha relação sexual comigo,agora estou gravida,casada com outro e rezando pra esse filho não ser dele, a unica prova que eu vou ter contra ele, vai ser quando ele pedi o DNA, afinal como posso esta gravida de uma pessoa que estou separada a mais de um ano.
    O ruim foi que ele fez da minha felicidade um inferno,to passando a minha gestação preocupada,e eu não consigo acreditar mais nas pessoas, peguei trauma, acho que o ser humano esta cada vez pior.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site