Grã-Bretanha pede desculpas pela castração de Turing



Alan Turing
Matemático é
tido como o pai
da computação
O matemático Alan Turing (foto) é considerado o pai da computação. Aos 24 anos projetou uma máquina para manipular símbolos – foi o mecanismo precursor do computador.

 Com essa máquina ele decifrou o código criptografado usado por Hitler para se comunicar com seus generais durante a Segunda Guerra Mundial. O código mudava com frequência, mas Turing conseguia desvendá-lo com rapidez.

Depois da guerra, Turing foi condenado por ter ‘vícios impróprios’. Ele era gay confesso.

Obrigado a se afastar de suas pesquisas sobre computação, o matemático foi submetido a uma castração química à base de estrogênio, um hormônio feminino. Seus seios cresceram, e ele se sentiu humilhado.
Ele nasceu em Londres em 1912 e, deprimido, matou-se em no dia 7 de junho de 1954, ao comer uma maçã envenenada com cianeto.

Hoje, Gordon Brown, primeiro-ministro britânico, apresentou pedido póstumo de desculpas pela castração de Turing, embora na época o procedimento estivesse previsto em lei. A informação é da BBC Brasil.

Em artigo publicado no The Daily Telegraph, Brown escreve que o tratamento químico foi injusto. “Lamentamos profundamente o que ocorreu com ele.”

Mesmo com o fim dos preconceitos mais rígidos contra os homossexuais, a memória de Turing vinha sendo mantida no limbo. Foi o programador de computador John Graham-Cumming, com o apoio do escritor Ian McEwan, que iniciou uma campanha para resgatá-la.



Ateus famosos

Comentários

Lucio Ferro disse…
Alan Turing foi um grande cientista, prestou um serviço de valor inestimável, seus estudos certamente ajudaram a encurtar a segunda guerra mundial, mas graças a maldita praga da RELIGIÃO ele foi condenado de forma absurda por um crime imaginário, pelo fato de ser homosexual. Este é mais um exemplo do poder nefasto da maior praga da história da humanidade, a RELIGIÃO!