Fisco ameaça cancelar isenção tributária de igrejas que lucram


Lucram e não pagam impostos

A Receita Federal está investigando igrejas que mantêm atividades lucrativas, para suspender a imunidade tributária delas. 

Pelo que informou a Folha de S.Paulo, a investigação se restringe às igrejas que, no total, devem US$ 1 bilhão sobre suas operações lucrativas e/ou irregulares.


Isso significa que as igrejas que pagaram os impostos relativos às suas atividades lucrativas não serão investigadas.

Está errado, porque igrejas não podem ter lucros, mesmo pagando os impostos, porque, ainda assim, continua sendo crime tributário.

Por causa do sigilo fiscal, o jornal não conseguiu informação detalhada sobre os caloteiros, incluindo times de futebol e entidades filantrópicas, que também desfrutam de privilégios tributários e devem mais de R$ 13 bilhões.

Mas não é segredo que entre as igrejas devedoras está a Internacional da Graça, de RR Soares. Igreja que gasta uma fortuna na compra de horário na TV e na manutenção de seus aviões (há pelo menos dois).


A pressão da Receita resultará em nada, porque não é crível que em um ano eleitoral o impopular presidente de Temer seja capaz de contrariar os interesses das igrejas.

Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, são amiguinhos de lideranças evangélicas. Um vive recebendo evangélicos no Palácio da Alvorada e outro, "pregando" economia em cultos.

Além disso, uma investigação séria que abrangesse todas as igrejas, evangélicas e católicas, fecharia milhares de templos.

E ninguém, em sã consciência, acredita que isso possa ocorrer tão já no Brasil.

Com informação da Folha de S.Paulo.




Dívida de igrejas desfalca fundo de aposentado e desempregado

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários