Emenda oportunista aprova isenções para igrejas de SP


Igrejas sempre querem mais

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou no dia 31 de outubro de 2017 um projeto de lei que prevê isenção de taxas administrativas diversas para igrejas.

Ou seja, além da imunidade fiscal que as igrejas desfrutam em âmbito federal, as igrejas de São Paulo vão obter isenção “diversa”, o que não se sabe ao certo o que é, mas pode ser tudo quanto é taxas municipais, como emissão de alvarás e de fiscalização.

A aprovação do privilégio se deve à esperteza do vereador Eduardo Tuma (PSDB), da bancada religiosa, que enfiou uma emenda no projeto de lei de cobrança de impostos de serviços do Netflix e Spotify. 


Observe a malandragem: a bancada religiosa aproveitou uma iniciativa de arrecadação de mais impostos do entretenimento da população para obter mais isenção.

O projeto de lei ainda dependente de sanção do prefeito João Dória (PSDB), que poderá vetar a emenda, ou não, já que ele tem se esforçado para agradar os religiosos, para o caso de vir a ser candidato a presidente da República.

Com informação da Câmara Municipal.




Igreja tem de pagar imposto porque é negócio, diz Villa

Isenção de IPTU às igrejas custa a São Paulo 22 creches por ano

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.