Cristãos e ateus disputam vagas de avaliadores de livros do MEC


Evangélicos querem
 'filtrar' os livros

Evangélicos tem feito pela rede social campanha para que “cristãos” se candidatem para avaliar livros didáticos do MEC.

O objetivo é barrar nas escolas públicas livros que promovem “ideologia de gênero” e a destruição da família brasileira.

Em reação, há pessoas mobilizando “ateus, comunistas, feministas e LGBTs” para garantir a pluralidade desses livros, que são financiados por verba pública.


Até dezembro de 2017, o MEC vai selecionar 600 professores de escolas públicas e privadas da educação básica e superior.

Os candidatos precisam ter mestrado.

Os interessados poderão se inscrever neste link.

Ultimamente, os livros do MEC têm sofrido patrulhamento de religiosos que tentam censurar inclusive conteúdos científicos


Com informação de “O Globo”, MEC e de outras fontes




Prefeito danifica livros didáticos para suprimir menções a gays