Nos EUA, 56% dizem que ser bom independe de crer em Deus


Firma-se nova tendência

A maioria (56%) dos americanos acredita não ser necessário acreditar em Deus para ser bom.

É o que revela pesquisa feita pelo Pew Research Center entre 18 de junho e 27 de julho de 2017.

Em igual período de 2011, o percentual correspondia a 49% da população.

A diferença de 7 pontos percentuais pode parecer pouco no prazo de 6 anos, mas o mais importante, no caso, é o estabelecimento de uma tendência em um país dos mais religiosos do mundo, ainda.

A crença de Deus como valor de moralidade está declinando por causa do número de “nones”, como são chamados os indivíduos que não afiliados a nenhuma religião, incluindo os ateus e agnósticos.

Em 2011, os sem religião eram 18%; agora, 25%.


A convivência com a ascensão dos “nones” tem mudado da percepção dos afiliados a uma religião.

Entre eles, crer em Deus para ser bom deixou de obrigatório para 45%, com aumento de 4 pontos percentuais em relação a 2011.

Em relação ao Brasil, o Pew apurou em 2014 que, para 86% da população, é essencial acreditar em Deus para moralmente correto.





Como Deus não existe, a questão é por que há tantos religiosos

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.