Em quatro anos, um quarto dos cristãos estará na África


Cristianismo está se concentrando em países pobres
O cristianismo está crescendo mais rápido na África do que em outras regiões e se encontra em queda livre em alguns países europeus.

Com isso, em quatro anos, um quarto dos fiéis de religiões cristãs, como destaque para a católica, estará na África.

Se essa a tendência se mantiver nas próximas décadas, o catolicismo, principalmente ele, se tornará uma religião majoritariamente de africanos.

Essa é a conclusão à qual leva “A Antologia do Cristianismo Africano”, que é uma coleção em 1.400 páginas de dados colhidos e editados por Isabel Apawo Phiri, Dietrich Werner, Chammah Kaunda e Kennedy Owino.

Com base em quase uma centena de pesquisas, a “Antologia” contém sessenta artigos que abordam as questões sociais dos cristãos da África.

Um dos fatores que explicam a rápida expansão do cristianismo no continente é a difusão de religiões desse ramo por intermédio da educação.

É no continente africano onde ocorre o embate mais ferrenho entre cristianismo e islamismo.

Os cristãos são predominantes em 31 países, e os muçulmanos em 21.

O conjunto de dados reforça os estudos segundo os quais os países mais pobres são mais atrelados à religiões, em comparação com as nações desenvolvidas, onde só tem aumentado o distanciamento entre população e igrejas.

Com informação do Riforma.it e de outras fontes e foto de divulgação.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Igreja Católica boicota vacinação contra a poliomielite no Quênia