Suspeito de lavar dinheiro, Malafaia acusa 'as trevas'

Em um áudio postado na rede social (ouça abaixo), o pastor Silas Malafaia (foto) se defendeu da acusação de lavagem de dinheiro dizendo ter apenas recebido uma “oferta” de R$ 100 mil em cheque, há dois ou três anos, e que, agora, é vítima do "poder das trevas".

Pastor disse que
apenas aceitou
oferta de 100 mil
“Não sou ladrão, foi uma oferta.”

Ele disse que o cheque foi depositado, mas não revelou o nome do generoso fiel.

Hoje pela manhã, a Polícia Federal foi à casa do pastor no Rio para levá-lo coercitivamente, de modo a prestar esclarecimento sobre suspeita de que esteja envolvido em uma mega operação de lavagem de dinheiro.

Malafaia disse, na gravação, que estava em São Paulo e que ia se apresentar à Polícia Federal.

A PF suspeita que ele “emprestou” contas bancárias da Assembleia de Deus Vitória em Cristo para um escritório que montou um esquema corrupto de cobrança judicial de royalties de exploração mineral.

Malafaia afirmou que, se fosse convocado, se apresentaria às autoridades para dar depoimento.

Acusou a PF de fazer um “show pirotécnico” para tentar desmoralizá-lo.

Depois, ele divulgou um vídeo para expor a sua indignação. [ver abaixo]





Com informação do audito do pastor.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Revista de negócios aponta Malafaia como exemplo a seguir


Postar um comentário