Polícia prende suspeitos de enfiarem agulhas em bebê

Agulhas foram enfiadas na cabeça e abdômen
da menina em suposto ritual religioso
A polícia de São Pedro da Cipa, no Mato Grosso, prendeu quatro suspeitos de terem enfiado três agulhas na cabeça e uma no abdômen de uma menina de três meses em um ritual religioso.

A Justiça decretou prisão temporária (30 dias) de Iraci Queiroz dos Santos (conhecida como Baiana), 42, e sua filha Débora Queiroz e genro Ricardo dos Santos.

A cidade tem cerca de 4 mil habitantes e fica 151 km de Cuiabá. [Ver mapa abaixo]

A polícia suspeita que pais da menina — Wellinton de Jesus Costa, 28, e uma adolescente de 17 anos — concordaram em ceder a criança para o ritual.

Em troca, o pai teria recebido R$ 250.

Ele também foi preso.

A mãe ficou detida para depoimento e foi colocada em liberdade porque está grávida.

Baiana é a suspeita de ter conduzido o ritual.

Ela disse ao delegado Marcelo Melo de Laet que, agora, espera que a criança seja entregue a Deus.

Todos negaram ter havido um ritual.

Quem alertou a polícia sobre os maus-tratos ao bebê foram médicos do Hospital Municipal de Jaciara, onde a criança foi internada.

Os médicos já fizeram duas tentativas de retiradas das agulhas e não conseguiram por causa dos riscos de sequelas, como lesões no cérebro e óbito do bebê.

Agulha no abdômen 


Com informação das agências.
Postar um comentário