Muçulmanos creem que algumas racas de cães são demoníacas



por Samantha Kelly
para Portal do Dog

Muitos seguidores do islamismo consideram cães criaturas impuras e algumas raças são até mesmo tidas como “demoníacas”.

Cães teriam se
tornado malditos
por causa de Gabriel
O Alcorão menciona cachorros duas vezes, apesar de em nenhuma delas ser negativa.

A primeira é uma permissão de que as pessoas possam comer carne trazida por cães caçadores.

Na segunda, um grupo de fiéis e seus cães escapam dos perseguidores ao se esconder em uma caverna, onde acabam dormindo.

Apesar de haver seguidores de Maomé que acreditem que cães não devem ser considerados ofensivos, levando em consideração as passagens citadas acima do Alcorão, outros acham que as escrituras desencorajam a criação de cães, principalmente devido ao episódio em que o anjo Gabriel não encontra o profeta porque um filhote canino havia andando na casa do profeta. 

O anjo fala “Nós anjos não entramos em uma casa em que há um cachorro ou uma foto”.

Na literatura islâmica, em passagens atribuídas a Maomé, há referências mais hostis aos cães, como quando ele teria ordenado o assassinado de caninos. 

Nesse caso, estudiosos muçulmanos afirmam que muitos ditos são fabricados ou no máximo têm origem questionável.

É importante notar que cães possuem um papel importante em determinados países islâmicos, como a Turquia, e um grupo de amantes caninos criou no Facebook a página Good Muslims Love Dogs (Bons muçulmanos amam cães), para quebrar a ideia de que todos os muçulmanos não gostam de cães.

É permitido possuir um cão apenas para caça ou proteção. Já ter um pet exclusivamente para companhia, o profeta é contra porque, para ele, esses animais outros efeitos nocivos, embora Alá não faça qualquer menção sobre isso.

Com informação das agências.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.



No Irã, sair com cão na rua poderá ser ofensa a Maomé