Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Seis inconsistências na construção do mito Jesus

Das tantas inconsistências na construção da imagem de Jesus pelos cristãos da antiguidade, a americana Valerie Tarico, psicóloga e estudiosa de sistemas de crença, separou algumas delas. Segue um resumo de seis.

1 - Casado 
Jesus pode
 ter sido morto
 em um poste

Os cristãos vendem a ideia de que Jesus se manteve solteiro. Isso não é verdade. Um papiro encontrado em 2014 refere-se claramente à mulher de Jesus.

Textos antigos, incluindo os do Novo Testamento canônico , apontam para uma relação especial entre Maria Madalena e Jesus.

O Evangelho de Felipe, apócrifo, diz: "[Jesus] a amava mais do que todos os discípulos e costumava beijá-la muitas vezes na boca".

Além disso, os judeus não têm a tradição do celibato entre os líderes religiosos. Jesus e seus discípulos teriam sido judeus praticantes, e todos os grandes rabinos eram e são casados.

Um rabino ser celibatário teria sido tão incomum que alguns escritores modernos têm argumentado a possibilidade de o Jesus ter sido gay.

2 -  Cabelo curto

Na imagem do mito, Jesus tem cabelos longos, o que não convence a quem tem um mínimo de conhecimento da história romana.

Os homens judeus da época de Cristo não usavam cabelos longos. Entre outras provas documentais, um arco do triunfo romano daquele tempo representa os escravos judeus com cabelo curto.

O apóstolo Paulo escreveu: "Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?” (1 Coríntios 11:14)

Durante os anos 1960, cristãos conservadores citavam esse trecho bíblico para expressar seu desgosto contra o movimento hippie, rotulando-o de anticristão.

3 – Morte em um poste

A palavra stauros, que aparece na versão grega do Novo Testamento, tem sido traduzida para "cruz", que teria sido o instrumento da morte de Jesus.

Mas estudiosos do grego sabem que essa palavra se refere a mais uma posição vertical, como uma “estaca de tortura”.

Os romanos não tinham um padrão para crucificar prisioneiros.

Flávio Josefo, o historiador, registrou que, durante o cerco a Jerusalém, os soldados romanos pregavam ou amaram os prisioneiros em um poste ou em uma árvore.

Como a Bíblia não diz que Jesus foi morto em uma cruz, é possível ele tenha sido dependurado em um poste.

4 - Baixa estatura

Cristãos acreditam que Jesus tenha sido alto. Pela proporções do Sudário de Turim, por exemplo, o filho de Deus teria cerca de seis pés (1,82 m).

Mas o homem judeu típico da época do Império Romano tinha um pouco mais de cinco pés (1,52 m), o que, para os padrões modernos, é baixa estatura.

Cristãos não admitem que Jesus foi um baixinho, mais provavelmente.

5 - Nasceu em uma casa

A história do nascimento de Jesus é um evento que foi introduzido na Bíblia no segundo século.

Quando Maria ficou misteriosamente grávida, ela e José provavelmente se instalaram em uma casa de parente.

Mais uma vez, ao que parece, mais um erro de tradução se perpetuou.

A frase “não há espaço para eles na hospedaria” teria sido, na verdade, “não há espaço para eles na sala superior”.

Assim, eles ficaram em uma sala inferior, onde, aliás, animais domésticos frequentavam sem serem incomodados.

Daí dizer que Jesus nasceu em uma manjedoura é grande diferença.

6 - Número de apóstolos

Como os nomes dos apóstolos variam de acordo com a versão da Bíblia, é discutível que esses primeiros seguidores de Jesus tenham sido 12.

Para os cristãos da antiguidade, estabelecer em 12 o número de apóstolos foi bem conveniente, porque há uma referência as 12 tribos de Israel.

Há também a possibilidade de os cristãos terem se inspirado nos 12 signos do zodíaco, 12 deuses do Olimpo ou 12 filhos de Odin.

Esse texto foi resumido e adaptado do inglês para o português por este site.


Jesus é uma farsa criada pelos romanos, afirma pesquisador


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...