Paulopes

Religião, ateísmo, ciência e astronomia

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Estudo comprova que poder de cura da homeopatia é nulo

Imunologista alerta que a enganação da
homeopatia coloca  pacientes em risco
O Conselho Nacional de Pesquisa Médica e Saúde da Austrália fez um estudo cuja conclusão diz não haver "nenhuma evidência confiável de que a homeopatia seja eficaz”.

O comitê de peritos médicos que fez o estudo constatou que a homeopatia não apresentou nenhum efeito em 68 casos de doenças ou debilidade de saúde. Ela se mostrou inócua, por exemplo, em relação a asma, artrite, distúrbios do sono, gripe, síndrome de fadiga crônica, eczema, cólera, queimadura, malária e vícios em heroína.

Associação Homeopática Australiana sustenta que esse ramo da medicina trata do paciente como uma “pessoa inteira, tendo em conta a sua personalidade, estilo de vida e fatores hereditários, além da história da doença”.

Contudo, John Dwyer, imunologista, professor emérito de medicina da Universidade de New South Wales e conselheiro do governo, afirmou que os medicamentos homeopáticos não passam de placebos..

Ele disse que o efeito placebo já foi suficientemente estudado e que pode ocorrer em diferentes circunstâncias. “Sabemos [por exemplo] que muitas pessoas têm doenças que são de curta duração, por sua própria natureza, e seus corpos irão curá-los. Por isso é muito fácil as pessoas caírem na armadilha de que se curaram com homeopatia ou porque fizeram isso ou aquilo.”

Para Dwyer, não é ético prescrever um placebo e “enganar as pessoas”. Ele disse estar preocupado principalmente com o uso da homeopatia como vacina.

“Do meu ponto de vista como imunologista, a questão mais grave tem sido a difusão do conceito de que a homeopatia pode ser usada na produção de vacinas, porque as pessoas acreditam que estão protegendo a si mesmos e aos seus filhos.”

Lamentou que homeopatas estivessem prescrevendo vacinas para diversas formas de doenças, incluindo tuberculose, malária e HIV.

O criador da homeopatia foi Samuel Hahnemann (1755-1843), que publicou uma dissertação defendendo o princípio de que a doença é uma perturbação da energia vital que pode ser combatida por substâncias diluídas em água que causam os mesmos efeitos desses transtornos. Seria uma espécie de vacina a posteriori.

Como as doses das substâncias são extremamente diluídas, os remédios homeopáticos são considerados pelos seus críticos como praticamente água.

O químico italiano Amadeo Avogadro (1776-1856) já provou que o efeito da homeopatia é nulo porque não contém nenhuma molécula do princípio ativo da substância diluída.

Com informação do The Guardian.





Médicos católicos alemães dizem curar gay com homeopatia
junho de 2011


Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...