Estudo comprova que poder de cura da homeopatia é nulo


Imunologista diz que 
homeopatia coloca
pacientes em risco
O Conselho Nacional de Pesquisa Médica e Saúde da Austrália fez um estudo cuja conclusão diz não haver "nenhuma evidência confiável de que a homeopatia seja eficaz”.

O comitê de peritos médicos que fez o estudo constatou que a homeopatia não apresentou nenhum efeito em 68 casos de doenças ou debilidade de saúde.

Ela se mostrou inócua, por exemplo, em relação a asma, artrite, distúrbios do sono, gripe, síndrome de fadiga crônica, eczema, cólera, queimadura, malária e vícios em heroína.

Associação Homeopática Australiana sustenta que esse ramo da medicina trata do paciente como uma “pessoa inteira, tendo em conta a sua personalidade, estilo de vida e fatores hereditários, além da história da doença”.

Contudo, John Dwyer, imunologista, professor emérito de medicina da Universidade de New South Wales e conselheiro do governo, afirmou que os medicamentos homeopáticos não passam de placebos..

Ele disse que o efeito placebo já foi suficientemente estudado e que pode ocorrer em diferentes circunstâncias.

“Sabemos [por exemplo] que muitas pessoas têm doenças que são de curta duração, por sua própria natureza, e seus corpos irão curá-los. Por isso é muito fácil as pessoas caírem na armadilha de que se curaram com homeopatia ou porque fizeram isso ou aquilo.”

Para Dwyer, não é ético prescrever um placebo e “enganar as pessoas”. Ele disse estar preocupado principalmente com o uso da homeopatia como vacina.

“Do meu ponto de vista como imunologista, a questão mais grave tem sido a difusão do conceito de que a homeopatia pode ser usada na produção de vacinas, porque as pessoas acreditam que estão protegendo a si mesmos e aos seus filhos.”

Lamentou que homeopatas estivessem prescrevendo vacinas para diversas formas de doenças, incluindo tuberculose, malária e HIV.

O criador da homeopatia foi Samuel Hahnemann (1755-1843), que publicou uma dissertação defendendo o princípio de que a doença é uma perturbação da energia vital que pode ser combatida por substâncias diluídas em água que causam os mesmos efeitos desses transtornos. Seria uma espécie de vacina a posteriori.

Como as doses das substâncias são extremamente diluídas, os remédios homeopáticos são considerados pelos seus críticos como praticamente água.

O químico italiano Amadeo Avogadro (1776-1856) já provou que o efeito da homeopatia é nulo porque não contém nenhuma molécula do princípio ativo da substância diluída.

Com informação do The Guardian.


Médicos católicos alemães dizem curar gay com homeopatia