Padre é acusado de masturbar crianças de seminário

Luís Miguel Campos Mendes
Mendes também gosta
de se vestir de mulher
O padre Luís Miguel Campos Mendes (foto), 37, vice-reitor do Seminário do Fundão, em Portugal, está sendo acusado por internos e seus familiares de abuso sexual. À noite, de acordo com as acusações, ele se deitava com as crianças, sob o lençol, e as masturbava. “E fazia algumas coisas mais”, disse um interno ue testemunhou alguns assédios. Pelo menos cinco crianças confirmaram que sofreram abuso.

Preso em domicílio, o padre negou que vinha molestando as crianças, mas admitiu que dormia com algumas delas, para “confortá-las” por estarem longe da família ou doente. Disse que tocava no rosto das crianças e fazia cócegas para que rissem e que cuidava delas como se fosse seu pai e mãe.

Um adolescente de 15 anos contou que à noite, no dormitório, a turma escolhia um garoto para ficar acordado, de modo a avisar quando o padre chegasse. “"Fazíamos vigias para nos protegermos, para fugir do padre.”

O padre Mendes disse a um juiz que sofre de depressão há cerca de cinco anos por causa de excesso de trabalho.

Padre escolhia no dormitório
uma criança com a qual se deitar
Uma mãe de uma vítima não fazer sentido a alegação do padre, porque, ela como enfermeira, nunca soube que a pedofilia sirva de cura para a depressão.

A polícia teve de acalmar um pai que queria invadir o seminário ou a casa do padre para matá-lo.

O consumia pornografia e gostava de se vestir de mulher. A polícia descobriu em seu computador havia uma foto onde ele e um ex-aluno estavam vestidos de mulher.

Também havia fotos de seminaristas com pênis excitado e parte do corpo coberto com espuma de barbear.

O padre vai ser julgado por 18 crimes de abuso sexual.

Com informação da imprensa portuguesa.





Vaticano protege arcebispo de acusações de ser pedófilo
setembro de 2013

Padres pedófilos