Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Líder tibetano diz que apoiar autoimolações é ‘dever sagrado’

Autoimolação de tibetano
Fanático do budismo tibetano promove um espetáculo do horror
Na abertura do 18º Congresso do Partido Comunista da China, no dia 8 deste mês, pelo menos seis tibetanos se suicidaram em Pequim ateando fogo ao próprio corpo. Desde março de 2011, o número de autoimolações de monges e freiras em protesto contra o domínio chinês do Tibete é de no mínimo 68. 

Losbsang Sangay
Para Sangay, a causa
vale mais do que vidas
O líder tibetano Losbsang Sangay (foto), sucessor político de Dalai Lama, afirmou que tem se esforçado para acabar com essa forma fatal de manifestação, mas ressaltou ser um “dever sagrado” dos exilados apoiar os monges que decidem se matar.

O “esforço” que Sangay afirma estar fazendo não o tem impedido de justificar reiteradamente as autoimolações como instrumento de pressão sobre o governo chinês.

“Os autoimoladores estão dizendo ao governo chinês que a repressão é insuportável”, disse ele em Dharmsala, Índia, onde se encontra exilado.

Como se não houvesse outra forma de protestar, Sangay afirmou que o mundo precisa prestar atenção na “causa do ato [o suicídio]”, e não apenas no ato em si.

Para humanistas ocidentais, a defesa de causa alguma pode ser validada por uma sucessão de autoimolações, as quais certamente farão com que outros fanáticos do budismo deem continuidade a esse espetáculo do horror.

O próprio Dalai Lama diz ser neutro, embora chame as autoimolações de “sacrifícios” que têm de ser respeitados em consideração aos parentes dos mortos. “Eu não quero criar a impressão [para os parentes] de que isso é errado.”

Os budistas tibetanos acreditam na superação da morte por meio do renascimento da consciência do indivíduo, o que explica, em parte, as autoimolações em série.

Isso os coloca no mesmo nível dos cristãos primitivos que se matavam para ir logo para o céu e dos atuais muçulmanos que se tornam bombas ambulantes acalentados pela ilusão de que no céu lhes esperam 72 virgens.





Com informação da Religion News Service, entre outras fontes.

Tibetanos continuam se matando. E Dalai Lama não os detém
julho de 2012


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...