Tibetanos continuam se matando. E Dalai Lama não os detém

O Prêmio Nobel da Paz é "neutro" em relação às autoimolações
Stephen Prothero, especialista em religião da Universidade de Boston (EUA), escreveu um artigo manifestando estranhamento com o fato de o Dalai Lama (foto) se manter neutro em relação às autoimolações de tibetanos em protesto pela ocupação chinesa do Tibete.

Desde 16 de março de 2011, mais de 40 tibetanos se sacrificaram dessa dessa forma, e o Prêmio Nobel da Paz Dalai Lama nada fez para deter essa epidemia de autoimolações. A neutralidade, nesse caso, não é uma forma de conivência, uma aquiescência descompromissada? Covardia, até?

A própria opinião internacional parece não se comover mais com esse festival de suicídios, esse desprezo incandescente pela vida.

Nem sempre foi assim, lembrou Prothero. Em 1963, o mundo se comoveu com a foto do jornalista americano Malcolm Wilde Browne que mostra o monge vietnamita Thich Quang Duc colocando fogo em seu corpo em protesto contra a perseguição aos budistas pelo governo sul-vietnamita.

A foto ganhou o Prêmio Pulitzer e o governo já desgastado do católico Ngo Dinh Diem caiu em novembro daquele ano. Ele foi deposto e executado.

Prothero destacou que os ocidentais ficam indignados com os homens-bombas islâmicos, mas não com as autoimolações, embora a motivação nos dois casos seja a mesma — a morte em nome da religião. Ele deu razão aos novos ateus que protestam contra toda matança em nome de Deus ou de Buda.

Por que, com exceção dos ateus, ninguém protesta contra as manifestações suicidas de tibetanos?, indaga Prothero.

Em 1963, esta foto comoveu o mundo, mas
 agora só os homens-bomba causam indignação
Ele reconheceu que desde o século 4, pelo menos, a autoimolação se incorporou ao budismo, fazendo hoje parte da tradição. Mas tradições existem para serem quebradas, ainda mais quando se trata da preservação da vida de pessoas.

“Há também no budismo uma forte ética de compaixão”, escreveu Prothero. “E onde está essa compaixão?”

Em uma entrevista publicada no dia 9 deste mês, o líder espiritual dos tibetanos foi questionado sobre as autoimolações. Ele explicou que se mantém neutro porque se trata de uma questão delicada: dependendo do que afirmar, poderá ser criticado pelo governo chinês ou magoar os parentes das pessoas que se suicidaram.

“Eles [os imolados] sacrificaram a sua própria vida, e eu não quero criar algum tipo de impressão [para os parentes deles] de que isso é errado”, disse. “Por isso a melhor coisa é me manter neutro.”

Ou seja, Dalai Lama evita correr risco, se mantém confortavelmente em cima do muro e não demonstra que se incomoda com o cheiro da carne humana queimada.

Prothero ficou estarrecido com o líder espiritual por ele não querer dar a “impressão” de que o suicídio é errado, mesmo quando se trata de uma “causa nobre”.

Ele escreveu que Dalai Lama está com as mãos manchadas de sangue porque a sua suposta neutralidade  funciona como um incentivo às imolações, quando ele deveria usar a sua influência moral e espiritual para dar um basta a esses rituais de sacrifício humano.

Com informação do site da CNN

 Morre mais uma monja tibetana que ateou fogo ao seu corpo.
novembro de 2011

Comentários

  1. As autoimolações nada tem a ver com religião, são manifestações políticas em prol da liberdade cultural e religiosa. Assim como inúmeros ateus morreram por suas causas, os monges o fazem porque, segundo eles, "viver sem liberdade é o mesmo que estar morto".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você está navegando na maionese. Ateu não se mata em nome do ateísmo. Religiosos se matam porque acham que vão ter outra vida no transcendente. E ateu não acredita em transcendência.

      Excluir
    2. Não foi dito que um ateu se mata em nome do ateísmo, mas sim em nome de uma causa maior.

      Excluir
    3. Uma causa maior = Transcendência, só depende do ponto de vista... kkkk

      Excluir
    4. Uma "causa maior" é qualquer causa que assim pareça ao defensor dela. Por exemplo: uma causa política. A "causa maior" não precisa ser "transcendente", no sentido religioso ou espiritualista tradicional.

      Por exemplo, no Brasil e em outros países, alguns ateus comunistas morreram (e mataram) tentando implementar sua sonhada ditadura, que para eles era o "mundo melhor", a "causa maior" pela qual lutavam.

      Excluir
    5. http://pt.wikipedia.org/wiki/Jan_Palach

      Excluir
    6. Gouvea!!!
      Você voltou?!!
      Fez as pazes com o Paulo Lopes?

      Excluir
    7. perfeito Anônimo14 de julho de 2012 13:11

      e comparar os homens bomba que MATAM outras pessoas
      com os tibetanos em sua auto imolação foi de uma ignorância ímpar do autor do texto

      Excluir
    8. É o que você acha, Rita Candeu. Porque para mim não é ignorância, não. Veja: em ambos os casos, há desperdício de vida em nome da religião. Os homens-bomba matam outras pessoas, claro. Mas quem se imola, que se mata, acaba incentivando outras pessoas a fazerem o mesmo. Se não fosse isso, não haveria essa epidemia de autoimolações. A vida de homem-bomba e a de suas vítimas valem tanto quando a vida de um tibetano suicida e a de seus seguidores. Queira você ou não. Ser humanista é isto, minha cara, exige postura incondicional pela vida.

      Excluir
    9. queria entender, como se matar ajuda em alguma coisa?

      Excluir
    10. Quem se mata, deve estar achando que será o último sofrimento da vida, mas, e se não for?

      Excluir
    11. mas que ignorancia é essa gente? nao se esqueçam, de todas as pessoas que lutaram com as suas vidas por uma causa! quantos filosofos, ideologos, militantes, feministas, pacifistas morreram em protesto, sem medo! por religiao ou nao, estes monges estao em protesto, respeitem e calem a boca. se voce é ateu, diga-se de passagem eu tambem sou, a primeira coisa q vc devia saber é que o ser humano é livre, respeite para ser respeitado, principalmente quando a luta é por um bem (fisico, real, necessario e geral)como a paz.

      Excluir
  2. Não entendo o que as pessoas tem contra o suicídio. Viver ou não é uma escolha de cada um e ninguem tem o direito de escolher por outra pessoa.
    MrHykru

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! O budismo, na minha opinião, está a parte e muito a frente de qualquer outra religião, se é que merece ser chamada por esse termo que já considero pejorativo. O autor do texto se demonstra na verdade intolerante com os budistas, um grupo com valores pouquíssimos dogmáticos e muito mais racionais que os cristãos. O pensamento oriental, apesar de desconhecido por muitos de nós, é para muitos filósofos ocidentais considerado muito perspicaz e avançado intelectualmente, recebendo elogios de Schopenhauer e até Nietzsche. É preciso entender que eles vivem costumes culturais muito diferentes dos nossos e pouco cabe a nós acusá-los frente a nossa ignorância sobre a doutrina.

      Excluir
    2. O texto é uma cobrança, uma forma de patrulhamento ateísta. Exige que o Dalai Lama se comporte como os ateístas acham que é "o certo".

      Excluir
    3. Lá vem os trollzada do Paulopes... '--

      Excluir
  3. ridiculo esse artigo, mostra a "extrema falta de conhecimento" do autor, vai estudar filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tai um comentario sensato, ridiculo. ponto.

      Excluir
  4. Todos aqueles que tiram as suas vidas infelizmente vão para o inferno, assim disse a bíblia .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Inferno" tal como a bíblia prega não existe amigo! É a forma mais pura manipulação do medo humano.

      Excluir
    2. Além disso, estamos falando de budismo, não cristianismo...

      Excluir
    3. Eles estão cagando e andando para bíblia.

      Excluir
    4. Complete: não alimente os t_o_l_s.

      Excluir
    5. Nossa, essa é a coisa mais bonita que já ouvi de um crente. É tanto amor. Sério, vou pegar um lenço para enxugar minhas lágrimas.

      Excluir
    6. Quem se suicida apenas morre. Não vai para lugar algum, provavelmente a coragem advem da promessa de vida melhor apos a morte.
      Vejam o que as religiões pregam.
      De sua vida para nós, que lhe daremos o paraiso na outra como se essa existisse.
      Verdadeiro conto do vigario, como do caipira que comprou o viaduto do chá. Evidente que nenhum comprador do paraiso voltou para reclamar.

      Excluir
    7. valdecy, vou contar-te um segredo, tua religião é falsa e não existe inferno, nem deus.

      Excluir
    8. crenças ateístas14 de julho de 2012 17:28

      Quanta certeza ateísta sobre o que é falso ou verdadeiro, e sobre o que não existe depois da morte...

      Excluir
    9. Dalai Lama não tem que se posicionar se não quiser. Por que ele tem que carregar uma culpa? Fala sério...

      Excluir
    10. crenças ateístas, Warner está dizendo o mais sensato e realista possível, o que não quer dizer que é a certeza absoluta.

      Seu "identificador" (ou nome) já denota um esteriótipo que ateu não acredita em céu, vida eterna, espiritualidade, etc. Não, ateus só não creem em deus(es). Existe ateu de todos os tipos (gays, crentes em vida após a morte, héteros, e mais uma cacetada de divisões). Não existe crenças, só crença, no singular. Leia o livro "O espírito do ateísmo" de André Comte-Sponville, um excelente livro refletindo questões espirituais em relação ao ateísmo.

      O Questionador de Tudo - Questionando aquilo que nos cerca

      Excluir
    11. Então o Questionador está admitindo que existem sim crenças ateístas, no plural, já que há ateus com vários tipos de crenças.

      Excluir
    12. Será mesmo que este anônimo não entendeu? Sua debilidade me impressiona...

      Excluir
  5. Queriam que Dalai Lama se suicidasse para protestar contra a morte dos que morreram?! kkkkkkkkkkk Cada coisa esses pseudo itelectuais inventam...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde você leu isso? kkkkkkkk
      Que imbecil, ler o primeiro paragrafo e vem comentar.

      Excluir
  6. Se há coisa que eu nunca tolerei foi o repúdio ao suicídio. Nunca entendi por que diabos alguém se sente no direito de dizer o que outra pessoa pode ou não pode fazer da vida dela. O suicídio devia ser um direito sagrado de todas as pessoas.

    O mais curioso nisso tudo é que a sociedade só condena o suicídio quando não pode obter dele nenhum benefício. Se eu me mato para me livrar dos meus próprios sofrimentos, a sociedade diz que sou covarde. Mas se eu me mato para poupar a sociedade de algum sofrimento, aí eu sou um benfeitor. Eu já escrevi num dos meus livros: "Ética cristã: Judas se matou por horror aos próprios pecados. Logo é um pecador. Cristo se deixou matar para redimir nossos pecados. Logo é o nosso salvador". Quando nós ganhamos alguma coisa com o suicídio alheio, nosso julgamento sobre este "ato abominável" muda da água para o vinho.

    Não creio que o Dalai Lama seja uma grande pessoa. O Hitchens diz horrores sobre ele no "Deus não é grande". Mas acho que neste caso ele está coberto de razão. No lugar dele, eu também não me meteria com isso. Ora, alguém quer se matar - e daí? "Há um direito que nos permite tirar a vida de alguém", escreveu Nietzsche, talvez pensando em situações de legítima defesa ou em casos de guerra, "mas não há nenhum que nos permite tirar dele a morte: isso é pura crueldade".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez seja pq não adianta de nada, eles estão morrendo em vão. Estamos avisando que há meios melhores de militar mas parece que a gordura de Buda não deixa eles escutarem.

      Excluir
    2. Eles não estão morrendo em vão!
      Cada ato de auto extermínio, ligado à causa política que defendem, acrescenta um volt de tensão ao pensamento de ativistas internacionais.
      Vai chegar um dia em que tanta tensão se manifestará em pura indignação e protestos generalizados. A pressão será sobre os parceiros econômicos da China, já que é tão importante o sucesso, para aquele Governo Comunista, no Mundo Capitalista.
      Investidores, Industriários, Cabeças de todas áreas de negócio vão ser convencidos a sacrificarem suas metas de lucros e abandonarão a China, desinstrumentando-a de capital intelectual e financeiro.
      Paralelamente, os Governos Mundiais recusarão empréstimos e apoio político.
      Surgirão dissidências internas, exércitos e governos paralelos. A China voltará ao Século IV.
      A análise do Dalai Lama está correta. Matematicamente correta, se colocarmos os dados em dispositivos da Teoria dos Jogos.
      Os Budistas são grandes homens e mulheres que acham que não vale à pena viver tendo suas convicções desrespeitadas, desconsideradas, imoladas.

      Excluir
    3. rodrigo, conspiratus, seus lindos!

      Excluir
  7. “Há também no budismo uma forte ética de compaixão”
    O budismo não interfere no livre arbítrio das pessoas. Todo mundo é livre, desde que não façam mal as pessoas. Apesar de valorizarem a vida, não irão impedir que alguém tire a própria vida.

    ResponderExcluir
  8. Desperdicio completo, não atinge os objetivos, levanta risos dos inimigos, indiferença dos lideres e serve de mal exemplo para o proximo. Toda luta que traz beneficios deve ser incentivada, mas esta não funciona mais na sociedade moderna.

    ResponderExcluir
  9. sou ateu e apoio o Dalai Lama nesta atitude, afinal um doido que ateia fogo no próprio corpo por uma causa é uma bomba ambulante. Se nem a própria integridade física dele ele respeita, teme ou preserva, o que dirá se ele enfiar uma ideia na cabeça e achar que seu semelhante é um obstáculo ao seu propósito? Sem falar que o direito ao suicídio deveria ser assegurado a todo ser humano. Quem acha que tem o direito de impor sua forma de pensar a alguém determinando que tal pessoa viva ou morra?

    ResponderExcluir
  10. Liberdades individuais, pessoal. Se alguém quer se matar, e acha que isso vai resolver alguma coisa, que se matem. Dalai Lama não deveria ter as mãos sujas de sangue por causa de algumas pessoas que se autoimolam como protesto. Foi escolha delas, e ele não pediu para fazerem isso.

    Apesar de eu achar isso tudo lamentável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderiamos chamar isso de livre arbitrio?

      Excluir
    2. existe mas não existe14 de julho de 2012 22:23

      Não existe mais livre arbítrio?

      Achei que era de livre arbítrio que o Luan Cunha estava falando no seu comentário anterior (14 de julho de 2012 14:33).

      Como as coisas mudam rápido!

      Excluir
    3. Primeiro, defina livre-arbitrio.

      Se estiver se referindo ao descrito na bíblia, adivinha? Não existe!

      Excluir
    4. existe mas não existe15 de julho de 2012 00:28

      Ora, só porque está na Bíblia então não existe? É muita implicância com o livro, muito preconceito ateísta, levando à pirraça.

      O livre arbítrio descrito na Bíblia é o mesmo livre arbítrio descrito pelo senso comum, e que todo mundo tem idéia do que é.

      É a liberdade, escolha, que as pessoas têm de fazer o que quiserem, com boas consequências ou não.

      Aliás, é o mesmo livre arbítrio que você estava defendendo no seu comentário anterior.

      Excluir
  11. Este foi o texto mais infeliz que eu li nesse blog.

    ResponderExcluir
  12. Antes se atear fogo que sair se explodindo por aí, matando inocentes, como as cadelinhas do Islã fazem.
    Islã é a maior praga do mundo.

    ResponderExcluir
  13. Direito ao suicidio , é antes de tudo um desperdicio. Onde estão as religioes que não ensinam a seus devotos o quanto é maravilhosa e unica esta vida. Esse lider não se incomoda, então incentiva. Que pratica mais burra. Algumas pessoas deveriam trabalhar para melhorar o mundo atraves de bom exemplos que certamente não passam perto do suicidio. O qual a meu ver so pode ser aceito em casos de eutanazia por motivos de doença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, o budismo não incentiva o suicídio. Eles estão fazendo isso porque eles querem. A vida é importante, mas o único responsável pela vida são eles mesmos, não é do budismo, muito menos do Dalai Lama. E ninguém é obrigado a trabalhar por um mundo melhor.

      Excluir
  14. Cada um é dono de si e tem o direito de fazer o que quiser com o corpo, mesmo suicidar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anonimo voce não acha que o finado estava iludido ?

      Excluir
  15. Totalmente Infeliz o Post. Associar um homem que preza por valor basicos, como paz, harmonia, compaixão. O que ele pode fazer quanto ao suicídio? impedir suicídios? Só lembrando que ele ganhou um Nobel da Paz, justamente pela luta PACÍFICA na libertação do Tibet. Entendo voc}ês que se julgam ateístas gostarem de atacar lideres religiosos. Porém, se o caso é pegar no pé de um Nobel da paz, pega no pé do Obama, que nunca fez nada pra melhorar isso.Colocar estas mortes como "culpa" ou descaso do Dalai Lama só pode ser piada ou falta de informação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou ateu (sou agnóstico) e só pq UM faz/fala uma coisa, não quer dizer que TODOS respondem por ele...

      Excluir
  16. O governo chinês (ateu por excelência) classifica os autoimoladores como "terroristas" e criminosos e acusa tibetanos exilados e o líder espiritual tibetano exilado, Dalai Lama, de incitá-los. Muito parecido com o discurso do Mr. Stephen Prothero.

    "Por que, com exceção dos ateus, ninguém protesta contra as manifestações suicidas de tibetanos?, indaga Prothero." Estão se esquecendo dos cristãos, que com a mesma preocupação hipócrita, dizem: "Olhe como o budismo é uma religião degradante, por incentivar o suicídio. E seu líder espiritual, o Dalai Lama, corresponsável pelas autoimolações, afinal ele se mantem 'neutro'."

    Com certeza esses "novos ateus" nem dormem a noite, tamanha a preocupação com as autoimulações, com os atentados de homens-bomba, com as guerras santas, todas causadas pela religião. Deixemos a hipocrisia de lado por um instante, ninguém, salvo raras exceções, está realmente preocupado com as situações degradantes que acontecem no mundo, sem nenhum motivo particular. A não ser é claro, se essas situações nos afetarem diretamente ou forem muito úteis ao nosso discurso político de "salvadores do mundo".

    P.S.: A primeira foto/colagem foi uma piada de muito bom gosto, a segunda foto valeu somente porque ganhou o Prêmio Pulitzer, afinal estamos criticando as autoimolações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. contribuição ateísta14 de julho de 2012 18:12

      Bem observado:

      " O governo chinês (ateu por excelência) classifica os autoimoladores como "terroristas" e criminosos e acusa tibetanos exilados e o líder espiritual tibetano exilado, Dalai Lama, de incitá-los. Muito parecido com o discurso do Mr. Stephen Prothero. "

      É curioso também como é omitido, no texto e nas lamúrias e cobranças do tal Prothero, o fato de o governo chinês invasor (essencialmente ateu) ser a causa da reação dos monges tibetanos.

      Preferiu-se, como de costume, falar em coisas como "morte causada e incentivada por religião", religiosos "com as mãos manchadas de sangue"... e em "preocupação ateísta com a vida humana".

      Curiosamente, o ateísmo do governo chinês, invasor e perseguidor, não figurou como incitador da morte.

      Excluir
    2. Cara, você não sabe o que diz, porque os chineses tomaram o Tibete, mas não em nome do ateísmo. Não tem nada ver.

      Excluir
    3. contribuição ateísta14 de julho de 2012 18:33

      Não importa se os chineses invadiram o Tibete declaradamente "em nome do ateísmo" ou não.

      Importa é que o regime chinês comunista e materialista - e essencialmente ateísta - ocupa o Tibete, persegue religiosos (no Tibet e na própria China) e é, em algum grau, causador da morte e dos suicídios dos monges budistas.

      Excluir
    4. E durante o neo-colonialismo, a Europa cristã, educada espiritualmente, praticou genocídios pra dominar países da África dentre outros.

      Argumento furado, anônimo, eles não mataram pq são ateus ou materialista (todo ser humanos é materialista, diga-se de passagem), mas pq são gananciosos e queriam os recursos dessas terras. Agora vá pastar.

      Excluir
    5. contribuição ateísta14 de julho de 2012 21:09

      Já conheço a lorota padrão ateísta:

      1) Quando religiosos fazem besteiras, a religião sempre tem culpa.
      2) Quando ateus fazem merda, nunca o ateísmo tem a ver. A motivação é sempre qualquer outra coisa, menos o ateísmo.

      No mais, vá aprender o que significa "materialismo", pra ver se consegue falar menos besteira.

      Enquanto isso, continue pastando, se alimentando bastante, pra não ser derrubado pelos seus próprios relinchos e coices.

      Excluir
    6. Importa é que o regime chinês comunista e materialista - e essencialmente ateísta -

      E daí que é ateísta? Isso é o motivador? NÃO
      Mesma coisa do Nazismo, que era muito ambientalista, logo o ambientalismo em si é ruim? CLARO QUE NÃO!

      Excluir
    7. 2) Quando ateus fazem merda, nunca o ateísmo tem a ver. A motivação é sempre qualquer outra coisa, menos o ateísmo.
      Me dê um exemplo de um cara que matou em "nome da inexistência de uma divindade"...
      Tão ridículo quanto se matar pela inexistência de um... sei lá, de um rato?

      Excluir
    8. contribuição ateísta14 de julho de 2012 21:48

      1)

      Se o ambientalismo servisse de motivo para os nazistas perseguirem e matarem os não-ambientalistas, então seria o caso de pensarmos seriamente no quê o ambientalismo fanático é capaz de causar.

      Caso semelhante ao do ateísmo, que fundamenta a visão de mundo comunista, e que lhe serve de motivador para perseguir, punir e matar religiosos.

      Excluir
    9. contribuição ateísta14 de julho de 2012 21:57

      2)

      Esse papo ateísta, repetido à exaustão, de que ninguém nunca matou "em nome do ateísmo" é pura conversa fiada. Já está até cansando.

      Até mesmo porque ateus (comunistas e revolucionários franceses, por exemplo) mataram sim "em nome da inexistência de uma divindade":

      Esses ateístas mataram religiosos, clérigos, freiras, etc. motivados pela "certeza" da "inexistência de divindades" e pela "certeza" de que religiosos são um mal a ser extirpado.

      Portanto, esses ateístas mataram em nome do ateísmo.

      Excluir
    10. contribuição ateísta, erra ao dizer que o ateísmo que fundamenta a visão de mundo comunista. O fundamento do comunismo ditatorial é o egoísmo, o desejo de controlar as pessoas e a natureza se for possível. Jogue um simulador de vida, onde você pode controlar tudo, como The Sims. É muito bom controlar a realidade lá, não?

      Isso é o motivador: o desejo do controle. Neste caso, a crença na existência ou inexistência de um Deus é irrelevante. Neste caso, se as pessoas creem em Deus, o ditador pode usar esta crença a seu favor. Agora, a descrença não é um fator que ajuda a controlar as pessoas.

      Excerto se o ditador ter ÓDIO por crenças, usará outra forma de controlar (força, medo, etc.) e possivelmente matará crentes. Mas isso é por ódio, não pelo ateísmo em si. Espero ter sido claro.

      O Questionador de Tudo - Questionando aquilo que nos cerca.

      Excluir
    11. contribuição ateísta15 de julho de 2012 02:41

      O comunismo não se fundamenta exatamente no "egoísmo", mas em algo que é meio que o oposto: o "coletivismo". Comunistas acreditam estarem sendo agentes de um processo histórico de "emancipação da massa proletária", rumo ao "mundo melhor", "igualitário", e todo aquele blablablá marxista.

      De fato, o egoísmo e o egocentrismo de ditadores puderam e podem contribuir em muito para os comunistas fazerem, ainda mais, as merdas que se especializaram em fazer.

      Quanto ao "desejo de controlar" e ao "ódio" também são, sem dúvida, grandes motores da máquina assassina comunista, juntamente com o ateísmo.

      É importante notar que a o ateísmo militante e a visão ateísta do mundo (que fundamentam o comunismo, mas não somente ele, pois são comuns também em outros ambientes ateístas) frequentemente vêm acompanhados desses dois elementos anteriormente citados: o ódio (ódio às religiões, aos religiosos e a tudo relacionado) e o desejo de controlar (desejo de controlar a sociedade, controlar o que pode ou não pode ser feito e falado, determinar que tem de ser permitido ou proibido, etc.).

      Como se pode constatar facilmente, até mesmo observando a produção ateísta atual, ateísmo, ódio e desejo de controle são coisas que frequentemente andam juntas e se alimentam mutuamente. Aconteceu nos regimes comunistas, e acontece também hoje, basta observar a maior parte do discurso e da prática militante ateísta no Brasil e pelo mundo afora. Esse ateísmo militante, com seu ódio e seu desejo de controlar, se empenhou e se empenha em reprimir, perseguir e punir o que odeia.

      E, para avançar e logo passar para o estágio de matar o que odeia, é só mais um passo. A História nos mostra que quando os ateístas tiveram oportunidade e poder político suficiente, puderam externar seu desejo de controle e seu ódio mais à vontade, e da forma que acharam mais interessante: não só perseguindo e punindo, mas também matando milhões de pessoas.

      Excluir
    12. Não adianta tentar argumentar, é só um troll.
      Ele vai continuar inventando besteira como:
      "Quando religiosos fazem besteiras, a religião sempre tem culpa.
      Quando ateus fazem merda, nunca o ateísmo tem a ver."
      Onde ele mesmo se refuta. Não dando exemplo algum de gente matando "em nome da descrença em deus". Tanto é que eu não acredito em deus e não quero matar ninguem, diferente dos comunistas, deixando assim obvio que não é a descrença em deuses que motivam alguem a matar ou deixar de matar alguem.
      Em quinhentas linhas ele nem sequer conseguiu por o argumento do Questionador em cheque.

      Excluir
    13. contribuição ateísta15 de julho de 2012 03:51

      Caro Yuri, seu empenho em disparar xingamentos bobinhos de "troll" e em fazer de conta que não eu mas você é quem está "argumentando", apenas torna seu comentário mais ridículo, além de sem razão.

      Delirar que eu mesmo estou "me refutando" quando exponho, resumidamente, como funciona a "lógica" ateísta safada que pre-determina culpados e inocentes e tira o ateísmo da reta nos casos de crimes em que ele está envolvido, também não te ajuda muito em sua falta de argumentos.

      Repetir, igual a um disco rachado, a lorota de que "não há provas" de que ateus matam movidos pelo ateísmo é, também, um equívoco, falta de atenção ao que já escrevi acima, demonstração de fanatismo ateísta cego, ou pura má-fé da sua parte.

      Tentar "provar" que ateísmo não pode ser causador ou motivador de assassinatos e outros crimes, apelando para o exemplo particular de que você é ateu e não quer matar ninguém, sinceramente, até parece piada.

      É um "argumento" semelhante a alguém dizer algo esdrúxulo como:

      "Está provado que revólveres não matam ninguém, pois eu já dei vários tiros na parede do meu quarto e nunca matei sequer uma pessoa!"

      Quanto ao que comentei sobre o que outros comentaristas disseram, está aí. Se você não gostou, paciência. Tem muitos outros pitacos por aí, repetindo o que você gosta de falar e de ouvir, e que vão te manter satisfeito e confortável com suas crenças ateístas. Bom proveito.

      Excluir
    14. Bonito isso. Agora escreve algo que não seja chupação do olavinho e que seja menos preconceituoso. Você consegue.

      Excluir
    15. contribuição ateísta15 de julho de 2012 04:42

      Bonito é viver apavorado vendo o Olavo de Carvalho em todo canto e lamuriando que o que não te agrada é "preconceituoso", tadinho.

      Excluir
    16. Não disse que era troll mesmo?
      Analogias furadas. Atirar com revolver depende das motivações pessoais do usuário, e até hoje ninguem usou o ateísmo como instrumento motivados ou sequer arma pra matar alguem.
      Continue tentando, trollzinho, quem sabe um dia desse tu consiga subir um Hg/mm na pressão arterial de alguem com essa bobalheira olavista.

      Excluir
    17. Olavo só tá em todo canto do youtube, onde as olavetes ficam pondo tags sem ter nada a ver com o assunto do vídeo. Outra vez tava assistindo um trailer de um filme de ficção quando lá estava, o deficiente mental nos vídeos recomendados.

      Excluir
    18. Me dá uma pena que exista trolls deste tipo... Mas a minha preocupação mesmo é com outras pessoas que se convencem das baboseiras dos trolls...

      Excluir
    19. contribuição ateísta16 de julho de 2012 05:40

      Yuri, vou exercitar minha paciência mais um pouco e te responder, apesar de você ser, pelo que demonstra, um sujeito com alguma dificuldade para entender o que está escrito e cujo melhor "argumento" é xingar os outros de "troll" (como alguns de seus colegas também gostam), ou um fanático pirracento defensor do seu credo ateísta, com "verdades" prontas que não suporta ver contestadas e desmentidas.

      A analogia que fiz (revólver/ateísmo) expressa o fato de que seu exemplo, particular e isolado ("sou ateu e não quero matar ninguém") não serve para isentar o ateísmo dos crimes em que está envolvido. Não é porque você diz "não querer matar ninguém" com seu revólver que isso signifique que o revólver seja sempre incapaz de matar ninguém. Idem para o ateísmo.

      Se você quer ser ou se fazer de tonto, ignorar o que já comentei, expliquei e exemplifiquei em comentários anteriores, e prefere continuar repetindo, até o fim dos tempos, que nunca o ateísmo serviu de motivação ou instrumento para matar pessoas, fique à vontade. É um direito seu acreditar na mentira que quiser e falar besteiras (inclusive as baboseiras e mentiras que você aprendeu com o seu adestrador Richard Dawkins no YouTube, e quer continuar repetindo até o fim da vida).

      Excluir
    20. Claro que o meu caso é isolado, fui na comunidade Ateísmo Brasil, no orkut, lá as pessoas ficam discutindo quem matou mais em nome da descrença em deus. Tem uma garota lá que matou gêmeos pq eles eram batizados. :-)

      Excluir
  17. A situação é complexa, pois assim como no Oriente Médio, envolve religião e política e portanto, não há resposta fácil.
    Se a autoimolação deve ser criticada, por ser vista como cruel e até um desperdício da vida, qual seria a postura adequada diante da ocupação chinesa? Guerrilha? Terrorismo? Homens-bomba? Rendição? Subserviência à China?
    Acho complicado julgar a atitude dessa gente sem viver na pele deles.

    ResponderExcluir
  18. Chines é ateu, ainda bem, se fossem religiosos ja teriam exterminado os infieis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. me engana que eu gosto14 de julho de 2012 17:43

      Ateu é tão bonzinho. Até parece que ateus nunca se mostraram eficientes máquinas de matar adversários.

      Excluir
    2. O budismo é neutro nesta questão de Deus Criador... Algum problema?
      Um ateu não responde por todos, pois ateísmo não é doutrina ou ideologia.

      Excluir
  19. Uma parte do artigo diz assim:

    "Mas tradições existem para serem quebradas, ainda mais quando se trata da preservação da vida de pessoas"

    Porque não se dizem a ateus,como Dawkins por exemplo,ou os criadores da sitcom South Park quebrarem suas tradições e deixarem de fazer suas "brincadeiras" com a religião alheia?Concernente a sitcom que "brincou" com muçulmanos,isso poderia ter resultado em morte como aconteceu com
    Theo Van Gogh”, cineasta assassinado por muçulmanos em 2004 por filmar a violência praticada contra as mulheres em países islâmicos.(fonte paulo lopes).Se mataram por coisa mais seria,que se dira brincando com suas coisas sagradas.Agora eu pergunto:Porque continuar com isso,de brincar com a religião de outros,se isso pode trazer morte?Não é melhor preservar vidas,deixando de fazer isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pergunta por que ateus não deixam de fazer brincadeiras com a religião alheia. Essa eu posso lhe responder: neste mundo, todos estão sujeitos a ser vítimas de troça. O ex-presidente Lula era ridicularizado pela turma do Casseta e Planeta toda terça-feira e, por mais que ele se sentisse ofendido com isso, jamais tentou matar o Bussunda, seu imitador. Os religiosos devem aprender a lidar com o ridículo. Que eles não gostem da zombaria dos ateus é um direito que lhes assiste, mas daí a ter direito de praticar assassinatos é coisa bem diferente. Nós ateus não exigimos nada dos religiosos que não exigimos dos outros. Ao contrário, apenas queremos que eles entrem na dança.

      Excluir
    2. Avise os gays (amigos dos ateístas) para também aprenderem a lidar com opiniões contrárias e piadas.

      Excluir
    3. Que ateístas? Um ateu não responde por todos, pois ateísmo não é doutrina ou ideologia. E fala como se os gays fossem algo ruim. Achar os gays ruins é homofobia, babaca.

      Excluir
    4. Anônimo 14 de julho de 2012 18:26 paranóico falando coisas sem sentido sobre ateísmo e "homofobia", e esbravejando.

      Ou você tem dificuldades pra ler o que está escrito, ou está sob efeito de drogas pesadas (excesso de propaganda gay na cabeça, por exemplo).

      Excluir
    5. Você entendeu o que eu quis dizer...

      Excluir
    6. Não, é sensatez mesmo, vc já viu alguém matando em nome do movimento GLBT? Mesmo que existisse, o movimento não prega violência, ao contrário dos homofóbicos. E sim, vc é homofóbico, não aguenta levar uma discussão sem enfiar gays no meio, pra depois meter o pau neles.
      Tudo o que o anônimo falou teve sentido, vc é que tá tentando trollar e fazer os outros passarem pelo o ridículo. Só tentando.

      Excluir
    7. Eu (que escrevi em 14 de julho de 2012 18:26 e 14 de julho de 2012 20:05) estava respondendo ao Anônimo14 de julho de 2012 18:23...

      Excluir
    8. E eu sou o Anônimo das 18:23.

      Respondendo aos coices gays:

      1) Achar que não se pode criticar gays, pois qualquer pronunciamento nesse sentido é "homofobia", é prova de que muitos gays militantes (como o outro Anônimo e o Yuri) são incapazes de conviver com opiniões contrárias.

      2) O movimento LGBT não prega violência nem tenta matar ninguém? Assumidamente, parece que não, pelo menos por enquanto. Talvez em breve. No momento, a militância gay "apenas" promove campanhas de linchamento moral contra seus desafetos, enxurradas de processos e ações para calar e punir quem lhes desagrada, e coisas do tipo. Além de publicar nomes, endereços e outros dados pessoais de seus "inimigos", para exercer a intimidação e a ameaça de forma mais efetiva.

      3) Achar que é "sensatez" qualquer bobagem dita por alguém, só porque o autor é da sua turma, é infantil, Yuri.

      4) Ficar xingando os outros de "troll" e "homofóbico" é mais infantil ainda. Vê se cresce, Yuri.

      5) Lamento frustrar seus anseios, Yuri, mas não tenho nenhuma intenção de "meter o pau" nos gays. Sou hetero.

      Passar bem.

      Excluir
    9. Cara, você é um paranoico, vai se tratar.

      Excluir
    10. Militantes gays, paranóicos por excelência, não têm muita moral para chamar os outros de paranóicos.

      Uma curiosidade. Posso também mandar um gay ir "se tratar"? Ou seria muita homofobia da minha parte?

      Excluir
    11. Anônimo n.1, criticar negativamente homossexuais pelo fato de sentirem atração pelo mesmo sexo é homofobia, sendo que eles não tem culpa por isso.
      Criticar positivamente ou negativamente ATOS homossexuais já não é, mas é bobagem, porque não interessa para você o que as pessoas fazem com suas bocas, ânus e genitália. Mas pode se transformar em homofobia se você usa isso para rebaixar a pessoa, como "Quem faz sexo com a pessoa do mesmo sexo é um *&#&$(_ (escolha um adjetivo negativo).

      LGBT no futuro pregue a violência? Uma premissa estúpida e falaciosa, o qual o nome é Derrapagem (bola de neve) ou Declive Escorregadio. Nem vou responder tudo de tão falacioso que está.

      Para finalizar, quero dizer que você trollou (colocou uma afirmação ridícula e estúpida), logo você É um troll. Já homofóbico discordo parcialmente com o Yuri, SE você, Anônimo n.1, não for uma pessoa que odeia homossexuais pelo fato de serem homossexuais.

      Excluir
    12. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    13. Uma curiosidade. Posso também mandar um gay ir "se tratar"? Ou seria muita homofobia da minha parte?

      É homofobia mandar e/ou forçar um gay se tratar, visto que homossexualidade não é doença e não existe técnicas comprovadas que possam reverter a sexualidade.
      Mas se existir uma forma de reverter, aí precisa ser uma escolha 100% pessoal.

      O Questionador De Tudo - Questionando aquilo que nos cerca

      Excluir
    14. Por mais homofobico que ele seja, onde está o direito dele criticar determinados comportamentos, visto que muitos aqui fazem o mesmo, sem se importar com o sentimentos dos outros.

      Excluir
    15. Gentem, quanta indignação gay, quantas acusações de "trollagem" e "homofobia" contra mim, quantos tratados sobre homofobia e descrições pormenorizadas sobre o que é permitido ou não dizer a respeito de homossexuais e homossexualidade!

      E tudo isso simplesmente porque eu fiz um pedido, simples e sincero, ao cara que estava falando sobre a necessidade de religiosos aprenderem a conviver com críticas e gozações:

      "Avise os gays (amigos dos ateístas) para também aprenderem a lidar com opiniões contrárias e piadas."

      Eis aí o meu comentário inicial, terrivelmente "troll" e "homofóbico" segundo os autoritários que acham que homossexuais e homossexualidade são assuntos tabu, intocáveis (a não ser pra apoiar, elogiar, bater palminhas e achar lindo, claro).

      Excluir
    16. Discordo, Anônimo n.1. O que você escreveu parece uma provocação e sem sentido: "Avise os gays (amigos dos ateístas)".
      Gays são amigos de ateus? Quais? Qual é a relação de gays e ateus, fora a discriminação milenar que sofrem em sociedades ocidentais?
      Além disso, lidar com opiniões contrárias e piadas no qual sentido? Se for no sentido de piadas de crentes fazem com os não-crentes, lidaria muito bem se eu visse uma. Agora opiniões precisam de lógica, base, etc e a maioria das opiniões dos crentes é realmente ridícula para lidar...

      Excluir
    17. Falei "gays (amigos dos ateístas)" no geral, claro, visto que ateus e gays (pelo menos a parcela militante desses dois grupos) geralmente são parceiros na luta contra a religião, e também contra o que você mesmo (e eles também) chama de "discriminação milenar que sofrem em sociedades ocidentais".

      Tanto é que você, que pelo visto é ateu, mas não sei se é gay, defende praticamente o mesmo repertório de idéias que a militância gay defende. Como também o faz a maior parte da militânca ateísta, sempre pronta a apoiar todo o discurso da militância gay.

      Quanto a piadas e opiniões, cada um faz e expressa de acordo com seu gosto, capacidade e preferência, independentemente do quanto de "lógica", "base", ou coisa parecida você ou qualquer um queira determinar que seja necessário para serem permitidas.

      Excluir
    18. Olavete detected!

      Excluir
    19. Generalização apressada é preconceito do mesmo jeito, Anônimo n.1

      Excluir
    20. Lógica do anônimo:
      "Se alguem me mata por fazer piadinha religiosa, a culpa é minha."
      mas
      "Se alguem me processa por discrimanar e prejudicar homossexuais, a culpa é dos homossexuais que não aguentam 'críticas'"

      A culpa é sempre de quem ele não tem afinidade. Patético.

      Excluir
    21. Esse Yuri é especialista em viajar na maionese, não entender nada, e acusar os outros de qualquer bobagem que lhe dê na telha.

      Excluir
    22. O Questionador de Tudo responde:
      Falei "gays (amigos dos ateístas)" no geral, claro, visto que ateus e gays (pelo menos a parcela militante desses dois grupos) geralmente são parceiros na luta contra a religião, e também contra o que você mesmo (e eles também) chama de "discriminação milenar que sofrem em sociedades ocidentais".

      Pessoalmente, não gosto de usar a palavra "grupo", prefiro "divisão humana".
      Homossexualidade e ateísmo só tem uma coisa em comum: são rejeitados por uma grande parcela da sociedade brasileira. Se há grupos (e o termo é esse) ateus e grupos com gays, tais grupos tem o objetivo de propagar a ideia que somos iguais e que não há problema ou defeito em ser ateu e/ou gay, podendo apenas se aliar para acabar com a discriminação. Apesar de todo grupo haver um certo nível de radicalismo e sectarismo, originalmente estes grupos não lutam contra a religião e sim contra ideologias discriminatórias.

      Tanto é que você, que pelo visto é ateu, mas não sei se é gay, defende praticamente o mesmo repertório de idéias que a militância gay defende. Como também o faz a maior parte da militânca ateísta, sempre pronta a apoiar todo o discurso da militância gay.
      O Questionador De Tudo não tem objetivos de apoiar causas X ou Y e sim defender argumentos e posturas lógicas, ou seja, um livre pensador. As coisas que sou ou deixo de ser são irrelevantes. Se ideias de militantes forem convincentes, eu as defenderei. Se não, vou rebatê-las. Mais simples que isso impossível.

      Quanto a piadas e opiniões, cada um faz e expressa de acordo com seu gosto, capacidade e preferência, independentemente do quanto de "lógica", "base", ou coisa parecida você ou qualquer um queira determinar que seja necessário para serem permitidas.
      Corretíssimo. Mas você entendeu tudo o que eu disse, né?

      Excluir
  20. já vai se fazer de coitadinho né seu crentosco, pregadores eram para sertem expulsos este blog

    ResponderExcluir
  21. É Rodrigo Cesar,mas se mata e se morre por isso...se vc leu a materia,la diz que preservar vidas é melhor(eu tambem acho) do que tradição...não falei a nivel de Brasil e nem de cristão(somos bem tolerantes),mas sim a nivel mundial,e principalmente com muçulmanos.
    Na visão do autor e na sua,morrer por tradição não pode,mas por brincadeiras,pode?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cristão(somos bem tolerantes) só se for no que a galinha criar dentes

      Excluir
    2. Carlos, você está preocupado em defender a vida dos ateus zombeteiros ou quer apenas conceder imunidade à religião contra a zombaria?

      Excluir
  22. _Líder espiritual? Francamente! É um grande covarde, isso sim! A neutralidade que apresenta diante de tais absurdos, cristaliza muito bem a sua condição espiritual.
    _Enquanto isso, as pessoas "racionais", continuam lendo os textos do prêmio nobel da paz e achando tudo maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem minha adversaria Salamandra, esse lider é um covarde.

      Excluir
    2. Não acho a osga uma adversária. No máximo uma boba da corte.

      Excluir
    3. _Que não chega ao seu nível de imbecilidade e estupidez!

      Excluir
    4. Liberdade individual.

      Excluir
    5. Acho o Dalai Lama um indivíduo extremamente bondoso e maravilho, na minha opinião. Porém, ele não é obrigado a se posicionar em nada. E apenas porque ele é neutro ou não se comove, não quer dizer que ele é covarde ou frio.

      Excluir
    6. Ver pessoas se queimando por causa da mesma fé que a dele é sinal de covardia sim, se ele se pronunciase isso não acomteceria mais ou então diminuiria, ele é COVARDE sim senhor questionador de tudo.

      Excluir
    7. É por causa da fé (budistas tem fé?) que estes monges estão se queimando? Para mim, está claro que estão se queimando como protesto, não pelo budismo.

      Tenzin Gyatso, o 14º Dalai Lama, pode até ser um covarde, mas isso não diminui suas outras qualidades. E, fala sério, ser neutro não quer dizer não estou nem aí. Como vamos saber o que se passa na cabeça dele? Será que ele só não está dizendo ser neutro em público, mas na verdade ter uma opinião firme que só ele sabe? Não dá para saber...

      E se preservar um pouco também não me parece tão ruim assim...

      Excluir
    8. Ela mesmo se chamou de imbecil e estúpida. KKKKK

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Como dizem em castelhano "Quien calla otorga”. No bom e velho português: "Quem cala, consente". Quem não se manifesta contra uma atitude, concorda com ela. O Dalai Lama não pode ficar calado diante desse tipo de manifestação. Há formas mais bem sucedidas de se fazer um protesto.

    O governo centralista de Pequim é desumano e autoritário para com certas minorias étnicas e religiosas. O governo chinês estimula a migração de chineses han (etnia majoritária) para as regiões onde as minorias tendem a ser maioria da população, para acabar com qualquer manifestação pró-autonomia ou pró-independência. E isso não é só com o Tibet não. Há uma província que os nativos chamam de Turquestão Oriental (os chineses chamam de Xinjiang). É uma região onde a maioria da população é de maioria islâmica e formada por descendentes de turcos (já mestiços com chineses). Eles também possuem movimentos independentistas, mas o governo chinês utiliza todas as armas para atacá-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção: É uma região onde a maioria da população é de religião islâmica

      Excluir
  25. Tibetanos continuam se matando. E Deus não os detém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tibetanos continuam se matando. E os ateus não os detêm.

      Excluir
    2. Sabia que o Budismo não tem Deus?
      Só estou avisando para evitar falar bosta, beleza?

      Excluir
    3. Por que não os detém?

      Excluir
    4. Sabia que, segundo o hinduísmo, Buda foi um dos avatares do deus Vixnu?
      E por que Deus, o Pai de Jesus Cristo, não impede que os tibetanos continuem se matando?

      Excluir
  26. Cara, acho isso um sensacionalismo. O que você quer que o cara faça? Se queime junto? É uma forma de protesto contra a situação que é imposta a eles.

    ResponderExcluir
  27. Enquanto humanistas, que a maioria dos leitores daqui deve ser, suponho, concordamos que os seres humanos podem e conseguem resolver a maioria de próprios problemas por si mesmos, e a morte, exceto em casos particulares, não resolve problema algum. E o suicídio, para piorar, causa mais problemas que resolve, como podemos ver nessa matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que os humanistas podem fazer para impedir isso? Podem aconselhar, mas não podem impedi-los, principalmente porque o Tibet está sofrendo muito por tudo que está acontecendo. Se este sofrimento não cessa de uma vez, alguns vão preferir a morte. Até eu iria querer a morte do que viver sofrendo...

      Excluir
  28. Ignorância religiosa é isso aih...

    ResponderExcluir
  29. Esta matéria foi apelativa, em especial a montagem da foto do Dalai Lama rindo da cena de autoimolação tenta criar um clima emocional que não contribui a uma discussão racional.

    ResponderExcluir
  30. Acho o suicídio totalmente condenável, seja qual for a finalidade dele. No caso dos budistas, deveiam buscar outas formas de protestos. O Dalai Lama deveria se pronunciar a respeito, e tentar acabar com essa prática da autoimolação que, como citado na matéria, deixou até de comover tanto a opinião pública -- beirando mais a insanidade dos praticantes daquela seita.

    Deus é o autor da nossa vida. Querer subverter a ordem das coisas, ao tirarmos nossa própria vida, é negá-lo -- além de ser uma covardia em não enfrentarmos as circunstâncias adversas da nossa existência. Se negarmos o nosso criador, Deus, este também nos negará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No primeiro parágrafo você até que foi bem, mas tinha que vir com esse proselitismo porco depois? Toda essa baboseira é muito maçante!

      Excluir
    2. Cristão condenando o suicídio chega a ser engraçado. Engraçado por dois motivos: primeiro, porque o fundador do cristianismo foi, ele próprio, um suicida. Cristo sabia que iria morrer e, embora tivesse poder para se livrar da morte, não fez nada para evitá-la. E segundo porque, no início da era cristã, o cristianismo não titubeou em estimular o suicídio. Todo livro sobre suicídio conta a mesma história. Pegue, por exemplo, "O Deus selvagem, um estudo do suicídio", do Al. Alvares, e lá você lerá: "No entanto, a verdade é que o suicídio, toscamente disfarçado de martírio, foi a primeira pedra sobre a qual a Igreja se fundou". Leia "A Gaia Ciência", do Nietzsche, e no capítulo 131 você encontrará: "Durante sua formação, o cristianismo serviu-se do enorme desejo de suicídio como alavanca da sua potência". Cristão condenando suicídio é como político condenando a corrupção e a roubalheira.

      Excluir
  31. _Você enumerou duas razões!
    _A terceira razão fala acerca da sua falta de entendimento da Palavra de Deus!
    _Você enumerou alguns dos conceitos que leu em materiais seculares e que nada tem a ver com Deus, haja vista, a intenção clara de seus títulos: só para começar!
    _O material que deveria ler e entender(de nada vale somente ler se não meditar acerca do que leu),é a Bíblia Sagrada; somente assim, terá a oportunidade de se ver livre de todas essas filosofias que só tendem a confundir a mente das pessoas.
    _Procure rever seus conceitos!
    _Você está totalmente equivocado a respeito de Jesus ser um suicida!
    _Vejo que não conhece a mensagem da cruz; se for humilde para ir à busca, certamente, encontrará.

    ResponderExcluir
  32. Jesus cometeu uma espécie de suicídio passivo. No suicídio ativo, o sujeito vai à procura da morte. É o caso desses tibetanos que o artigo do Paulo menciona. O suicida passivo é aquele que sabe que vai morrer e não faz nada para evitar. É o caso de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você discorda, me diga qual é a diferença entre se matar e se deixar matar.

      Excluir
    2. Se matando, o agente age contra si mesmo(pula de um penhasco, dá um tiro em si mesmo).
      Deixando-se matar, o agente não age contra si mesmo(é empurrado de um penhasco, recebe um tiro de alguém).

      Excluir
  33. _Entendi o que escreveu!
    _Meu desejo sincero, é que possa se aprofundar na mensagem que o Senhor Jesus veio trazer ao mundo!
    _Ouça: me parece que a diferença que reside nas situações acima, é gritante! Penso que é perfeitamente capaz de distinguir os dois casos.
    _A morte não se resume somente no corpo, no que é material, entende? Pode-se matar alguém por dentro, ainda que seu corpo pareça não sofrer dano algum.
    _Foi o que o Senhor Jesus fez: morreu a morte do corpo(que é algo transitório, do ser humano), para nos dar a Sua Vida(que é espiritual e eterna).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual é a diferença entre se matar e se deixar matar?

      Excluir
    2. Usando premissas baseadas apenas em biblia e achismos vc deixa a sua argumentaçao sem substancia alguma. Pura desonestidade intelectual.

      Excluir
  34. Questao complicada. O Dalai-lama é líder espiritual com interesses políticos. Ele muito provavelmente deve apoiar esses suicídios pra seus intentos. Nao esqueçamos que o Tibet era uma teocracia antes da invasao chinesa.
    Portanto, exigir que ele se manifeste contra os suicídios é ridículo. Ele só nao os apoia diretamente porque o budismo é mais discreto que o cristianismo e o islamismo. Mas, tais práticas lhe sao muito boas. Pois, ele poderá usalas pra comover a comunidade internacional contra a China.

    Leandro

    ResponderExcluir
  35. Salamandra, tu és uma graça, toda educada, bem diferente de alguns comentadores cristãos que andam por aqui ou que vão lá no Diário Ateísta. Com relação ao nosso assunto, não vejo em que possamos concordar, por mais que discutamos. Eu não vejo qualquer diferença entre se matar e se deixar matar. Para mim, é a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  36. Car@s,

    O post em si não passa de uma peça panfletária de um novo grupo, que vem surgindo na atualidade, merecedor de toda atenção daqueles comprometidos com a manutenção dos ideais de uma sociedade democrática.

    Podemos classificá-los como antirreligiosos e/ou antiteístas. Vale destacar que ateus, agnósticos e céticos não estão alinhados a esse tipo de gente. Os primeiros querem cassar o direito à crença religiosa da população mundial, o direito a uma cosmovisão transcendental.

    Senão vejamos, o texto faz um proselitismo descarado aquilo que eu chamaria de pseudo-ateus que, segundo o post, foram os únicos que criticaram a "neutralidade" do Dalai Lama.

    Ora, o Dalai Lama explicou sua postura diante dos fatos, claramente, eu posso ser contra ou a favor, entretanto o autor do post se dá ao direito de fazer um julgamento, ou seja, ele faz juízo de valor, de acordo com aquilo que ele considera moralmente correto. O líder espiritual pode não ter condenado o ato, mas também não o incentivou.

    Particularmente, eu sou da opinião que o Dalai Lama poderia se colocar contrário a tais atos, agora daí a condená-lo por decisões de outrem é preciso ter outras motivações para fazê-lo, como, por exemplo, a intolerância à religiosidade alheia.

    Por outro lado, os comentários em defesa do direito ao suicídio me causam, eu não sei muito bem o quê, talvez seja, espanto, ou ainda, perplexidade. Quando os leio e percebo apenas que são escritos por apedeutas me causam um riso, mas sabem aqueles risos sem graça? De quem esboça uma reação inesperada diante do absurdo? Pois é esse o meu riso.

    Defender o suicídio em nome de um suposto direito absoluto sobre o próprio corpo é, por demais, simplório. Quem o faz não sabe o que está dizendo ou defende o estabelecimento da barbárie humana. Se for dado ao ser humano o direito de dar fim à própria vida, eu pergunto: O que mais pode ser legitimado?

    O dia em que isso for uma realidade, podem ter certeza, estaremos mais distantes, ainda, de sermos reconhecidos pelas gerações futuras como seres dotados de qualquer tipo de civilidade, seremos reconhecidos como povos bárbaros.

    Em tempo: As fotos usadas nesse post vão fazer, a partir de hoje, parte do meu "top 10" de profundo mal-gosto.

    Sem mais, abraços!!

    ResponderExcluir
  37. Esselider religioso* não quer substituir o dominio da China no tibet por uma democracia e sim por um governo teocrático controlado por ele e seus parceiros*.............

    ResponderExcluir
  38. Car@s,

    O post em si não passa de uma peça panfletária de um novo grupo, surgido na atualidade, merecedor de toda atenção daqueles comprometidos com a manutenção dos ideais de uma sociedade democrática.

    Podemos classificá-los como antirreligiosos e/ou antiteístas. Vale destacar que ateus, agnósticos e céticos não estão alinhados a esse tipo de gente. Os primeiros querem cassar o direito à crença religiosa da população mundial, o direito a uma cosmovisão transcendental.

    Senão vejamos, o texto faz um proselitismo descarado aquilo que eu chamaria de pseudo-ateus que, segundo o post, foram os únicos que criticaram a "neutralidade" do Dalai Lama.

    Ora, o Dalai Lama explicou sua postura diante dos fatos, claramente, eu posso ser contra ou a favor, entretanto o autor do post se dá ao direito de fazer um julgamento, ou seja, ele faz juízo de valor, de acordo com aquilo que ele considera moralmente correto. O líder espiritual pode não ter condenado o ato, mas também não o incentivou.

    Particularmente, eu sou da opinião que o Dalai Lama poderia se colocar contrário a tais atos, agora daí a condená-lo por decisões de outrem é preciso ter outras motivações para fazê-lo, como, por exemplo, a intolerância à religiosidade alheia.

    Por outro lado, os comentários em defesa do direito ao suicídio me causam, eu não sei muito bem o quê, talvez seja, espanto, ou ainda, perplexidade. Quando os leio e percebo apenas que são escritos por apedeutas me causam um riso, mas sabem aqueles risos sem graça? De quem esboça uma reação inesperada diante do absurdo? Pois é esse o meu riso.

    Defender o suicídio em nome de um suposto direito absoluto sobre o próprio corpo é, por demais, simplório. Quem o faz não sabe o que está dizendo ou defende o estabelecimento da barbárie humana. Se for dado ao ser humano o direito de dar fim à própria vida, eu pergunto: O que mais pode ser legitimado?

    O dia em que isso for uma realidade, podem ter certeza, estaremos mais distantes, ainda, de sermos reconhecidos pelas gerações futuras como seres dotados de qualquer tipo de civilidade, seremos reconhecidos como povos bárbaros.

    Em tempo: A montagem de fotos usadas neste post vai fazer, a partir de hoje, parte do meu "top 10" de profundo mau gosto.

    Sem mais, abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por acaso o ser humano nao deveria ter o direito a tirar.a propria vida? Deveria ser fiscalizado (pelo estado?) quanto a tendencias suicidas e criminalizado por cada tentativa? Nao entendi o ponto da sua critica, a nao ser que seja um arroubo religioso.

      Excluir
    2. Caro Anônimo,

      Eu não tenho formação na área das ciências jurídicas, porém vou esclarecê-lo sobre suas indagações.

      Pelo menos no Brasil, que eu saiba, ninguém tem o "direito" de atentar contra a própria vida. Isso constitui um ilícito, ou seja, não é um crime previsto no código penal, mas, esse fato, não permite que os cidadãos saíam, por aí, cometendo esse ato que, em razão da sua natureza, só pode nos provocar um profundo nojo.

      Felizmente, o Estado não penaliza o suicida, pois entende que ele não está gozando de suas melhores faculdades mentais. Na verdade o Estado deve colaborar para que este indivíduo possa retomar sua vida em sociedade de forma saudável, por meio de um acompanhamento psiquiátrico ou mesmo, quando for o caso, de internação.

      E qualquer agente estatal pode impedir de forma legitimada a tentativa de um suicídio

      Vale destacar que induzir, instigar ou auxiliar alguém no ato suicida é crime previsto no código penal.(Art. 122).

      Na minha opinião a lei é perfeita digna de qualquer sociedade que se queira civilizada.

      A vida - bem como o direito à vida - deve possuir um valor supremo. Eu penso que é o único bem que não pode ser relativizado, do contrário, estaremos colocando em risco a sobrevivência da nossa própria espécie.

      Finalmente, arroubo religioso? Meu caro, os religiosos têm todo direito a terem opinião da mesma forma que qualquer outro cidadão. Só não podem é impor valores morais e/ou religiosos aos demais membros da sociedade. A participação, deste segmento da sociedade, nos debates públicos é legítima quer você queira ou não.

      Abraços!!

      Excluir
  39. Olha, o autor deste artigo é bem fraco, ou esteve fraco desta vez. Muito tendencioso o texto. Exige uma postura não-neutra da parte de Dalai Lama, que não é obrigado a se posicionar sobre questões pessoais de ninguém, não respeita o direito que cada um tem de se suicidar (mesmo que seja um ato inútil), e passa uma imagem muito negativa do ateísmo, que deveria ser somente a descrença em deuses, mas que freqüentemente é usado, modelado e explorado a torto e a direito para a difusão das mais loucas idéias possíveis. Hoje o ateísmo não só indaga apenas, mas tem opinião própria sobre tudo, gosta disso e daquilo, veste tal roupa, curte tal música e prefere a mesma comida. RIDÍCULO! Estão massificando o ateísmo, doutrinando-o, escolhendo personalidade e vendendo a todos um ateísmo-padrão. Ateísmo industrializado, com receita e tudo! Mais uma vez, RIDÍCULO!
    A imagem realmente é de mal gosto, assim como foi o texto, mas, de qualquer maneira, o objetivo é a informação, e o mesmo foi alcançado.

    Winston Smith

    ResponderExcluir
  40. Dalai Lama está se importando mais com o dinheiro que recebe dos EUA para se passar por "oprimido" e fingir que seu passado "obscuro" não existiu. No antigo Tibet, existia uma sociedade teocrática pior até que a Europa na Idade Média, com imposição do Budismo, trabalho escravo, tortura e com uma pequena classe monástica detentora de toda fortuna. Tudo com aval do Dalai Lama.

    Não defendendo a ditadura chinesa atual, mas ela ainda é um paraíso se comparado ao Tibet Antigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta mentira, senhor...

      Excluir
    2. Salve o Tibete!
      Os que morrem, reencarnarão, por isso o Dalai não preocupa-se tanto.

      Excluir
    3. mentira?

      Pesquise por você mesmo então, existem vários historiadores e jornalistas que estiveram no Tibet antes da década de 50 e relatam os horrores lá vividos.

      Recomendo isso, apesar de ser de uma fonte de esquerda, ela utiliza como fontes históricas vários documentos e relatos sem vinculação política:
      http://www.paginavermelha.org/documentos/tibete/tibete1.htm

      Excluir
    4. No Antigo Tibet existia trabalho escravo e servidão, o que era justificado pelo argumento de "carma" e "reencarnação". Os mais pobres eram obrigados a trabalhar para a aristocracia monástica, quando algum escravo se recusava a trabalhar ou pagar os altos tributos, severamente torturado e abandonado para morrer congelado, o que não era visto como algo errado, já que os monges acreditavam que os escravos e torturados estavam somente "pagando carma".
      Outra é que a linhagem tibetana de Dalai Lama estava em conflito e perseguia várias outras linhagens, numa sociedade de extrema intolerância religiosa, fora que a linhagem do Dalai Lama era a mais machista e misógina de todas.

      Excluir
  41. Ora bolas, agora ele é obrigado a impedir os outros de se sucididarem ? Dalai Lama é o líder religioso do budismo tibetano, e não o psicólogo de cada um deles.

    ResponderExcluir
  42. _Altamente..., conveniente pensar dessa maneira!

    ResponderExcluir
  43. Bom, gosto do blog mas sabe, pra falar algumas coisas a gente tem que procurar conenhecer melhor um pouco outras culturas. Dalai Lama intervindo ou não, posso garantir que não mudará em nada, sei disso porque conheço um pouco de budismo, conhecendo um pouco então, nem me espanta o que ele disse e nem me espanta o suicidio budista, e pra quem conhece um pouca mais sabe bem que esse suicidio budista não é fruto de alguma desordem psiquica, na verdade esses caras estão é mais lucidos que nós. O texto pecou mesmo pela falta de conhecimento do autor sobre eles. Encare isso como uma critica construtiva por favor, é que é meio chato você conhecer uma coisa e depois se deparar com textos do tipo que parecem que é so algo fruto de uma certa falta de desconhecimento, até parece um texto que so tenta incitar um sentimento de repulsa por religião, não sou religioso, tem esse detalhe.

    ResponderExcluir
  44. No Antigo Tibet existia trabalho escravo e servidão, o que era justificado pelo argumento de "carma" e "reencarnação". Os mais pobres eram obrigados a trabalhar para a aristocracia monástica, quando algum escravo se recusava a trabalhar ou pagar os altos tributos, era severamente torturado e abandonado para morrer congelado, o que não era visto como algo errado, já que os monges acreditavam que os escravos e torturados estavam somente "pagando carma".
    Outra é que a linhagem tibetana de Dalai Lama estava em conflito e perseguia várias outras linhagens, numa sociedade de extrema intolerância religiosa, fora que a linhagem dele era a mais machista e misógina de todas.

    Duvidam? Pesquisem por vocês mesmo em relatos de jornalistas e historiados que viveram no Tibet antes da década de 50.

    Quem protesta são somente os descendentes da aristocracia monástica (minoria), que perderam suas mordomias, já que a imensa maioria dos tibetanos está muito melhor hoje, do que no tempo em que eram escravos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário