Rio gasta R$ 2,9 milhões no festival evangélico da Globo

Foi Malafaia que sugeriu à Globo
a realização do Promessas
A prefeitura do Rio gastou R$ 2,9 milhões com a infraestrutura do Festival Promessas, de músicas gospel, realizado no dia 10, um sábado, no Aterro do Flamengo para a gravação de um especial da Rede Globo. Os gastos foram calculados para um público de 200 mil pessoas, mas compareceram apenas 20 mil, embora a apresentação tivesse incluído as principais estrelas desse tipo de música.

Os gastos são questionáveis primeiro porque a prefeitura financiou um evento de caráter religioso, o que a Constituição impede por se incompatível com o Estado laico, e, segundo, os recursos públicos beneficiaram uma emissora TV do setor privado.

O festival vai ao ar hoje (18) a partir das 13h. Temendo a repetição do fiasco na audiência da emissora, a cantora e pastora Ana Paula Valadão e o pastor Silas Malafaia fizeram apelo aos fiéis para que não deixassem de ver o programa.

A Folha de S.Paulo informou que Promessas surgiu de uma sugestão que Malafaia fez em 2010 a João Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo. A sugestão “coincidiu com intenção antiga de se aproximar mais do segmento gospel”, de acordo com informação da emissora. O mercado gospel movimenta cerca de R$ 2 bilhões por ano.

Malafaia disse que a plateia do Promessas foi abaixo da expectativa porque os evangélicos estão “desconfiados” com a emissora por estarem “apanhando” dela há anos. “Globo tem doutorado em tecnologia, mas em mundo evangélico é analfabeta.”

Entre outras coisas, os evangélicos teriam ficado ofendidos com a referência do noticiário da emissora aos “ídolos” gospel porque eles rejeitam a idolatria.

Com informação da Folha de S.Paulo

Caldeirão do Huck confirma adesão da Rede Globo à música evangélica.
dezembro de 2011

Rede Globo produz pela primeira vez mensagem para o Dia da Bíblia.
dezembro de 2011

Religião na TV.     Religião no Estado laico.