sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Testemunha sofre ameaça de seita suspeita de agredir alunos

Uma testemunha de maus-tratos a estudante pela Ministério Verbo Vivo disse ter sido ameaçada por Lilian Freitas dos Santos, uma das responsáveis pela seita.

Em 2009, o delegado Geraldo Toledo (foto), de São Joaquim de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte (Minas), abriu um inquérito para apurar denúncias de que a escola da seita estava dando varadas em estudantes e mantendo-os em cárcere privado.

A testemunha (uma ex- fiel) disse que Lilian lhe recomendou “para o bem dela” que assinasse um documento com a declaração de que foi obrigada por policiais a fazer falsas acusações.

O próprio delegado Toledo afirmou que recebeu uma  ligação de um orelhão de Betim de um anônimo dizendo para que ele parasse de dar entrevista sobre o caso.

O delegado ouviu nesta semana as últimas cinco testemunhas de um total de 40. O inquérito – de 500 páginas – será encaminho à Justiça na próxima semana.

Toledo afirmou que, pelos depoimentos que colheu, professores da escola batem durante as aulas com vara  em estudantes considerados indisciplinados. 'E a versão moderna da palmada."

Um ex-estudante afirmou que, ao sair de lá, precisou de tratamento psicológico por causa dos maus-tratos. Uma jovem disse que, na seita, apanhou tanto, que teve problema de incontinência urinária. “Perdi minha infância e minha adolescência.”

Um ex-pastor disse que a escola não dá formação acadêmica, mas só religiosa. “O que é feito lá é uma lavagem cerebral.”

Os responsáveis pela seita não dão entrevistas e não há, portanto, como saber sobre a sua versão.

A Ministério Verbo Vivo foi criada nos Estados Unidos. No Brasil, onde está há 16 anos, sua sede fica em São Joaquim de Bicas.

Foto ilustrativa 
Os fiéis da seita ficam confinados e são submetidos a normas rígidas de disciplina. Não podem ouvir rádio e ir ao cinema e a festas, por exemplo. Os jovens não podem tomar guaraná porque a sua cor lembra a da cerveja e nem colocar as mãos no bolso para evitar que toquem em sua genitália.

Durantes os cultos os fiéis chegam a apanhar dos pastores para revelar “pensamentos imundos”.

Com informação da TV Alterosa.

> Ex-fiel acusa seita de escravizar os devotos.
abril de 2010

> Casos de fanatismo religioso.   > Casos de maus-tratos a criança.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...