Médico indenizará paciente que ficou com gaze no corpo

O médico de Três Marias (Minas) que esqueceu um pedaço de gaze na barriga de uma paciente de cesariana, uma doméstica, vai ter de pagar a indenização de R$ 30 mil por danos morais, conforme decisão do TJ (Tribunal de Justiça) daquele Estado. O nome de ambos não foi liberado para divulgação.

Ele fez o parto em 24 de maio de 1999, pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e só agora, nove anos depois, é que saiu a sentença do TJ. A informação é do site Consultor Jurídico.

Além da indenização, o médico deveria ser condenado a algo como freqüentar o curso de aperfeiçoamento em sua especialidade. Porque, claro, esse médico, na faculdade, não deve ter feito as lições de casa ou faltado na aula em que se ensinou que não se deve deixar gaze ou qualquer coisa que seja em corpo do paciente.

O médico foi incompetente duas vezes: a primeira, quando deixou a gaze no corpo da doméstica, e a segunda, quando ela voltou queixando-se de fortes dores abdominais e ele, após uma ultra-sonografia, diagnosticou a existência de uma “fistula externa cutânea pós-cesárea”.

Como as dores não passavam com os remédios receitados pelo médico, a doméstica – e já estamos em janeiro de 2000 – procurou outro profissional na cidade vizinha de Curvelo.

Pois bem: esse outro médico bateu o olho na ultra-sonografia e viu que a tal de “fistula” se tratava de um pedaço de gaze.

O médico de Três Marias deve ter faltado também às aulas de interpretação de imagens de ultra-sonografia.

A doméstica teve de ser operada de novo e ficou com uma grande cicatriz, sem contar os transtornos pelos quais passou, as dores, os gastos com remédios, os dias perdidos de trabalho e o risco de contrair uma infecção generalizada e morrer.

Apesar disso, o médico condenado considerou exorbitante o valor da indenização e reafirmou que não esqueceu a gaze na barriga da paciente.

Vai ver então que a gaze “nasceu” na barriga da doméstica, assim, do nada.

> Erros médicos?