Pular para o conteúdo principal

"O jihadismo nada tem a ver com a política do Ocidente, o capitalismo global e os privilégios dos brancos" (Sam Harris)

Leia íntegra do texto sobre entrevista que o neurocientista Sam Harris concedeu em 2016 e que continua atual



“América do Sul tem reclamações
 legítimas dos Estados Unidos,
mas nem por isso a região é
produtora de homens-bomba”

Comentários

betoquintas disse…
A miopia do Sam continua impressionante.
Lá vem com o bordão de "privilégio" branco, superado há décadas. Sendo o problema real sócio-econômico: elitismo com muita aporofobia.
Agora do PRIVILÉGIO CISGÊNERO, HETEROSSEXUAL, MASCULINISTA e PATRIARCAL continua muito firme e forte. Mesmo nos países "democráticos", com algumas excessões. Nem citando dos PRIVILÉGIOS religiosos... Muito mais firmes e fortes, atentando sempre contra o Laicismo ou Secularismo, anticientificismo...
Esses ateuzinhos, incluindo céticos, organizações "científicas" e afins, "Nutella" ou "de fim de semana"... Ao menos no que se referem aos Direitos Humanos, com forte viés cisgenerista, heterossexista, machista e patriarcalista. Isso quando misóginos e LGBTfóbicos mesmo. Mas consagrou-se o CHAUVINISMO racial, onde há muita pseudagem.
Em relação ao Islã, especificamente seriam as vertentes Asarias que lamentavelmente predominaram largamente, pois os Mutazilites admitem questionamentos, admitem o Alcorão não ser infalível, há o contexto histórico etc.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios