Pular para o conteúdo principal

Rei Charles está com câncer. Ele vai se tratar com medicina alternativa, que tanto defende?

Militante da adoção de "remédios" sem comprovação científica, ele já defendeu a cura da doença com procedimento nutricional e desintoxicante

Edzard Ernst
professor emérito da Escola de Medicina da Península, na Universidade de Exeter, Inglaterra

O rei Charles está com câncer. Ele havia ido ao hospital para uma cirurgia de aumento de próstata. Inicialmente, a notícia foi positiva, sendo confirmado que não se tratava de câncer de próstata.

Durante as investigações, porém, os médicos descobriram um câncer que aparentemente não tem relação com a próstata.

Desde o anúncio da doença, muitos jornalistas e outras pessoas escreveram-me perguntando o que penso sobre isso e que tratamento Charles provavelmente receberá. Resolvi então escrever um pequeno post sobre o assunto.

Charles, afinal, deixará
de ser um inimigo
do Iluminismo?

Como médico e como ser humano, lamento muito sempre que ouço dizer que alguém ficou doente, especialmente se a condição for grave e potencialmente fatal. Que isso inclui Charles, nem é preciso dizer.

Da mesma forma, é evidente que desejo que tudo lhe corra bem, que o tratamento que alegadamente já iniciou não seja demasiado árduo, que se mantenha de bom humor, que tenha o apoio empático de toda a sua família e que recupere rápida e totalmente

Charles terá, tenho certeza, o melhor tratamento que alguém poderia desejar.

Ele usará a chamada medicina alternativa, por exemplo, a terapia Gerson [procedimento nutricional e desintoxicante], que ele certa vez promoveu como cura do câncer? Claro que não! Ele receberá os cuidados mais eficazes e baseados em evidências disponíveis atualmente.

Se recorrer a algum tipo de tratamento alternativo, certamente ele o fará com sabedoria, com uma medida de apoio, não como tratamento de cura.

No meu livro sobre este assunto, analiso todas as evidências relevantes e concluo que, embora a medicina alternativa não seja uma cura para o câncer, ele pode ter um lugar nos cuidados de suporte ao câncer.

Dependendo dos sintomas que se desenvolvem durante e após os tratamentos convencionais, certos procedimentos podem, de acordo com evidências bastante sólidas, ser úteis para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida do paciente

Passar por uma batalha contra o câncer costuma ser uma experiência muito humilhante.

Tenho esperança, portanto, que, à medida que ele vai se recuperar da sua provação, Charles verá que a medicina moderna — uma vez ele a descreveu como desequilibrada como a torre inclinada de Pisa — não é apenas eficaz, empática e atenciosa, mas também não tão desequilibrado e pouco holístico como ele frequentemente proclamava que era.

A experiência poderá reformar o nosso rei e — quem sabe? — ele poderá, afinal, torna-se um amigo do Iluminismo, deixando de ser um autoproclamado inimigo.

Este texto foi traduzido para o português e aqui publicado com autorização de Edzard Ernst.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Cientistas brasileiros e mexicanos descobrem pequena espécie de morcego

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Um em cada 4 brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto, mostra IBGE

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Quatro séculos tentando provar a existência de Deus. E fica cada vez mais difícil

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

Padre autor do mosaico de Aparecida é acusado de invocar a Trindade para ter sexo a três

Ministro 'terrivelmente' evangélico decide que financiar monumento religioso é constitucional