Pular para o conteúdo principal

Governo da Argentina deixa de pagar salário a arcebispos e bispos. Demorou

Benefício foi concedido durante o governo militar. A sua extinção já vinha sendo discutida antes do governo de ultradireita de Javier Milei


A partir deste mês, janeiro de 2024, o governo da Argentina deixará de pagar um salário a arcebispos e bispos. Na rede social, a Conferência Episcopal da Argentina anuncia que "renunciou" ao benefício.

A Igreja Católica, a única a se beneficiar dos cofres públicos, poderia ter tomado a decisão bem antes. O mesmo poderia ter feito o governo, primeiro para aliviar suas finanças e, segundo, para o país ser de fato um Estado laico.

A ajuda financeira aos sacerdotes da cúpula da igreja foi concedida durante a ditadura militar, no governo do general Jorge Rafael Videla.

A lei 21.950 de 1979 estabelecia que os prelados recebessem 80% da remuneração de um juiz nacional de primeira instância e os bispos auxiliares e o secretário-geral do Episcopado, 70%.

Privilégio à Igreja Católica 
foi concedido durante a
ditadura militar, no 
governo de Videla

O valor do salário não vinha sendo atualizado, e cada bispo (e arcebispo) ganhava em média por mês o equivalente a R$ 315 reais (55 mil pesos), sem contar com o salário pago pela Igreja. Cem sacerdotes desfrutavam do benefício.

A pressão dos argentinos contra a ajuda do Governo a sacerdotes cresceu nos anos mais recentes, quando se acelerou a pobreza no país, com muita gente passando fome.

Em 2018, quando a Igreja fez campanha contra a aprovação da lei do aborto, aumentaram, em revide, as críticas ao subsídio oficial à Igreja. A lei do aborto foi aprovado, e Igreja e governo iniciaram uma contagem regressiva para o fim do pagamento.

A Argentina é historicamente católica, mas, a exemplo de outros países, a Igreja se distanciou da população, sendo contra o divórcio, contra a educação sexual abrangentes e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

> Com informação do El País e de outras fontes.

• Em 11 anos, argentinos sem religião aumentam de 11,3% para 18,9%

• Cardeal facilitou sequestro de padres, afirma testemunha

Comentários

CBTF disse…
Por isso que a Argentina está quebrada financeiramente, financiar bispos, padres, etc.. com o dinheiro do povo, logo o Brasil vai estar nessa se não parar de crescer a bancada religiosa daqui.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Cientistas brasileiros e mexicanos descobrem pequena espécie de morcego

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Um em cada 4 brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto, mostra IBGE

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Quatro séculos tentando provar a existência de Deus. E fica cada vez mais difícil

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

Padre autor do mosaico de Aparecida é acusado de invocar a Trindade para ter sexo a três

Ministro 'terrivelmente' evangélico decide que financiar monumento religioso é constitucional