Pular para o conteúdo principal

Está cada vez mais difícil ler texto longo. E isso faz muito mal a você

O excesso de navegação na internet ativa no cérebro a região do vício, deixando-o preguiçoso para atividade que exige concentração, como a leitura. Leia abaixo 7 recomendações para ter o seu cérebro de volta


Teresa Rossignoli Palomeque
doutora em psicologia e professora da Universidade de Nebrija, Espanha

The Conversation
plataforma de informação e análise produzida por acadêmicos e jornalistas

O que aconteceu com você recentemente ao passar a ter dificuldade em se concentrar em leitura longa, de mais de 10 minutos? Agora, no celular e/ou computador, você pula de um texto para outro, não se fixa em uma página, e dificilmente lê mais de três parágrafos, Você acha difícil encontrar paz de espírito para se concentrar em um romance?

Vivemos imersos no uso constante de computadores, celulares e tablets. Os telemóveis são utilizados para aceder a conteúdos audiovisuais (vídeos, podcasts), navegar na internet (incluindo redes sociais), jogos, compras e serviços financeiros. Os espanhóis, por exemplo, passam em média 5,45 hs por dia conectados à rede. [Os brasileiros passam 9,5 h, sendo os recordistas]

Tudo isso tem influência em nosso cérebro. Estamos nos acostumando com um tipo de atenção  chamado “de baixo para cima”. São as emoções, despertadas pelos conteúdos digitais, que acionam a nossa atenção. Ou seja, não dirigimos voluntariamente a nossa atenção porque ela é “capturada” sem que a tenhamos consciência disso.

Obviamente o impacto depende do conteúdo. A utilização de ferramentas digitais que foram concebidas e testadas para melhorar processos cognitivos como a atenção, a memória, o planejamento e as competências matemáticas (uma utilização muito minoritária) não é a mesma que a utilização descrita acima.

O nosso cérebro, agora, aumentou suas resistências para tarefas menos atrativas, como aquelas que exigem um processamento mais lentor, como ler, analisar informações ou estudar.

O celular prende a sua
atenção em detrimento a
tarefas mais importantes

Multitarefa digital

Uma característica do conteúdo multimídia é a “multitarefa”: transitamos entre conteúdos e alternamos entre informações sem processá-las lentamente. Uma forma de leitura que impacta negativamente o desempenho escolar. Além disso, cria dependência, pois, no nível do cérebro, são ativadas áreas envolvidas nos vícios. Ou seja, esses conteúdos nos “prendem” em detrimento de outras tarefas.

Para piorar a situação, tudo isso também está afetando a qualidade do sono (que tem uma grande relação com a nossa capacidade de atenção).

Estamos acostumados a estar constantemente conectados a esses dispositivos, mesmo quando vamos dormir. Isso é um erro porque foi demonstrado que a luz das telas confunde nosso cérebro, fazendo-o “pensar” que é dia. Isso nos impede de gerar melatonina, o hormônio que nos ajuda a adormecer. O sono é essencial para estabilizar a memória e ter um desempenho atento no dia seguinte.

O manuseio rápido das telas aumentaram as dificuldades de atenção da população. Para manter a concentração precisamos não estar constantemente conectados à rede. É por isso que surge o debate nos locais de trabalho e nas salas de aula sobre a proibição ou limitação do uso de dispositivos.

Neutralize o efeito multitarefa

Tudo isto nos leva a propor uma série de recomendações para melhorar a nossa concentração e permitir-nos processar a informação de forma mais lenta.

1  Reduzir o tempo de exposição às telas, desconectando dispositivos quando necessitamos de concentração. Crianças menores de dois anos não devem acessá-los. Depois, o tempo de uso deve ser limitado, priorizando conteúdos educativos.

2  Fazer atividades ao ar livre e atividades na natureza também demonstrou trazer benefícios na atenção e até no desempenho intelectual geral.

3  A prática de atividade física não só tem efeitos positivos na saúde física, mas também na saúde mental, afetando especialmente a atenção, a memória, a autorregulação e o humor.

4  Promover uma correta higiene do sono, diminuindo progressivamente a quantidade de estimulação na hora de dormir.

5 Faça uma alimentação balanceada sem descuidar do consumo de antioxidantes e minerais, pois são essenciais para o desempenho intelectual.

6 Fazer atividades que libertem o cérebro de pensamentos fixos. Faça meditação, escute música, lea um livro.

7  Prepare o ambiente para focar nossa atenção. Por exemplo, ter espaços de trabalho diferenciados, eliminando elementos que estão visíveis e que não necessitamos naquele momento. Use cronômetros para concluir tarefas e fazer breves pausas ou pausas. Também é aconselhável realizar primeiro as atividades que exigem mais esforço ao nível da atenção, para finalizar aquelas que exigem menos esforço. Nossa atenção tende a diminuir à medida que ficamos cansados. Finalmente, aumente progressivamente nossos tempos de concentração.

Comentários

Paulo Lopes disse…
Em país onde já se lia pouco antes da era digital, como o Brasil, qualquer texto com mais de 10 linhas já é longo.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Nova espécie de ave descoberta na Caatinga tem origem em variações do São Francisco

BC muda cédulas do real, mas mantém 'Deus seja Louvado'

Louvação fere o Estado laico determinado pela Constituição  O Banco Central alterou as cédulas de R$ 10 e R$ 20, “limpou” o visual e acrescentou elementos de segurança, mas manteve a expressão inconstitucional “Deus seja Louvado”.  As novas cédulas, que fazem parte da segunda família do real, começaram a entrar em circulação no dia 23. Desde 2011, o Ministério Público Federal em São Paulo está pedindo ao Banco Central a retirada da frase das cédulas, porque ela é inconstitucional. A laicidade determinada pela Constituição de 1988 impede que o Estado abone qualquer tipo de mensagem religiosa. No governo, quanto à responsabilidade pela manutenção da frase, há um empurra-empurra. O Banco Central afirma que a questão é da alçada do CMN (Conselho Monetário Nacional), e este, composto por um colegiado, não se manifesta. Em junho deste ano, o ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que a referência a Deus no dinheiro é inconcebível em um Estado moderno, cuja

AdSense desmonetiza página do texto 'Ateísmo significa libertação do medo do sobrenatural'

Pastores do Malafaia têm salário de até R$ 20 mil, casa e carro

Pastores mais habilidosos  estão sendo disputados  pelas igrejas Silas Malafaia, 53, informou que o salário dos pastores de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, vai de R$ 3.000, para iniciantes, a R$ 20.000, com benefícios que incluem casa mobiliada, escola para filhos e plano de saúde. Pastores com experiência têm direito a carro do ano. É a primeira vez que um líder religioso neopentecostal revelou o salário dos pastores. Na falta de maiores informações, os valores citados por Malafaia podem ser tomados como referência do mercado de salários dos pregadores da Bíblia. As perspectivas desses profissionais são as melhores possíveis, considerando que não precisam ter formação universitária. Um professor de ensino médio não ganha tanto, nem sequer um médico em início de carreira, por exemplo. “Mas é preciso saber ler a Bíblia, pregar, explicar”, disse Malafaia à jornalista Daniela Pinheiro, que escreveu para a revista Piauí de setembro reportagem sobre o pastor.

Em vídeo, Malafaia pede voto para Serra e critica Universal e Lula

Malafaia disse que Lula está fazendo papel de "cabo eleitoral ridículo" A seis dias das eleições, o pastor Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, gravou um vídeo de 8 minutos [ver abaixo] pedindo votos para o candidato à prefeitura de São Paulo José Serra (PSDB) e criticou a Igreja Universal e o ex-presidente José Inácio Lula da Silva. Malafaia começou criticando o preconceito que, segundo ele, existe contra pastor que emite opinião sobre política, o mesmo não ocorrendo com outros cidadãos, como operários, sindicalistas, médicos e filósofos. O que não pode, afirmou, é a Igreja, como instituição, se posicionar politicamente. “A Igreja é de Jesus.” Ele falou que tinha de se manifestar agora porque quem for para o segundo turno, se José Serra ou se Fernando Haddad, é quase certeza que será eleito, porque Celso Russomanno está caindo nas pesquisas por causa do apoio que tem recebido da Igreja Universal. Afirmou que apoia Serra na expectativa de

Livro conta em 300 páginas histórias de papas das quais poucos sabem

Padre explica seu vídeo sobre mulher apanha porque quer

O padre cantor Fábio de Melo tem tentado nos últimos dias, nas redes sociais, rebater as acusações de que é machista.

Eleição de Haddad significará vitória contra religião, diz Chaui

Marilena Chaui criticou o apoio de Malafaia a Serra A seis dias das eleições do segundo turno, a filósofa e professora Marilena Chaui (foto), da USP, disse ontem (23) que a eleição em São Paulo do petista Fernando Haddad representará a vitória da “política contra a religião”. Na pesquisa mais recente do Datafolha sobre intenção de votos, divulgada no dia 19, Haddad estava com 49% contra 32% do tucano José Serra. Ao participar de um encontro de professores pró-Haddad, Chaui afirmou que o poder vem da política, e não da “escolha divina” de governantes. Ela criticou o apoio do pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus do Rio, a Serra. Malafaia tem feito campanha para o tucano pelo fato de o Haddad, quando esteve no Ministério da Educação, foi o mentor do frustrado programa escolar de combate à homofobia, o chamado kit gay. Na campanha do primeiro turno, Haddad criticou a intromissão de pastores na política-partidária, mas agora ele tem procurado obter o apoio dos religi

A física moderna sugere que o tempo não avança, é apenas uma ilusão