Pular para o conteúdo principal

Vereadores de Engenheiro Coelho resistem, mas terão de aceitar o fim de leitura bíblica

A Justiça deu o caso como "transitado em julgado", ou seja, não cabe mais recurso judicial contra a decisão que restabeleceu a laicidade de Estado na Câmara Municipal


Quando o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo julgou inconstitucional a leitura de trecho da Bíblia no início das sessões da Câmara Municipal de Engenheiro Coelho, vereadores dessa cidade paulista esboçaram resistência em acatar a decisão judicial.

Paulo César Scholl (PSDB), presidente da Câmara, por exemplo, afirmou que o TJ não teve "bom senso" na decisão e que ia conversar com alguns deputados para tentar reverter o veto, aparentemente desconhecendo que pressão política não altera decisão judicial.

Agora, Scholl e outros vereadores que não aceitam a separação entre Igreja e Estado vão ter de se conformar porque o Tribunal deu o caso como "transitado em julgado", significando não caber mais recurso judicial contra o fim da leitura bíblica.

Entre os vereadores, além do Scholl, Salvador Figueiredo de Souza (Cidadania) se destaca em rejeitar a laicidade de Estado.

Banks é o autor da
representação que
levou o MP a propor
ação contra Câmara 

Após o TJ-SP julgar como inconstitucional a leitura Bíblica, Salvadorzinho do Bar, como o vereador é conhecido, comentou na sessão da Câmara do dia 8 de maio que a iniciativa que resultou no veto teria sido de "gente de fora" [de outra cidade] e "sem coração".

Quem acionou o Ministério Público para propor a Adin foi Eduardo Banks, carioca, ateu e militante pelo Estado laico.

"O vereador me lembra Luiz Datena, para quem ateus não têm coração", afirmou Banks, referindo-se a um episódio em que o apresentador da Band manifestou preconceito contra quem não crê em Deus.

Ele intimou judicialmente o vereador Souza a esclarecer as suas afirmações e a quem elas se referem, para descartar ou confirmar uma "discriminação por procedência nacional".

> Com informação do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, de Eduardo Banks e outras fontes. A Câmara de Engenheiro Coelho tem aqui espaço garantido caso queira se manifestar.

• Tribunal veta leitura da Bíblia na Câmara Municipal de João Pessoa

• Tribunal impõe o Estado laico à Câmara de São Carlos. Nada de Bíblia

• Religiosos não entendem que Estado laico beneficia a todos

Comentários

CBTF disse…
O Salvadorzinho do Bar não conseguiu salvar nada e além de tudo praticou discriminação por procedência nacional e contra ateus, agora terá que salvar sua própria pele.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública em Caxias

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Prefeito de Sorocaba não acata Justiça e mantém Bíblia em escolas

TJs quase conseguiram que Michael Jackson destruísse Thriller antes do lançamento