Pesquisas confirmam que a Era Secular está chegando a galope nos Estados Unidos

Jovens se afastam da religião

JAMES A. HAUGHT / 
Free Inquiry

A tão prevista Era Secular está chegando a galope. Pesquisa após pesquisa revela aumentos vertiginosos de americanos que dizem que sua religião é "nenhuma".

A Pesquisa da Família Americana de 2017 descobriu que “ninguém” passou de um terço dos adultos nos EUA — a proporção mais alta já registrada. Essas pessoas sem igreja se tornaram a maior categoria de fé do país.

Divulgada em novembro pela Brigham Young University, a pesquisa nacional descobriu que 34% dos entrevistados se autodenominavam ateus, agnósticos ou “nada em particular”. Eles ultrapassaram os protestantes (33%), católicos (21%), judeus (2%), muçulmanos (2%), mórmons (1%), hindus (1%) e “outros” (4%).

Outra pesquisa de 2017, feita pela Pew Research, descobriu que a proporção de americanos que se identificam como religiosos caiu para cerca de metade. Apenas 48% escolheram “religioso e espiritual”, 27% escolheram “espiritual, mas não religioso”, 18% escolheram “nem religioso nem espiritual” e 6% se disseram “religiosos, mas não espirituais”.

Também no mesmo ano o Public Religion Research Institute emitiu um relatório dizendo que "atualmente apenas 43% dos americanos se identificam como brancos e cristãos" e que "em 1976 cerca de 8 em 10 americanos (81%) dos americanos se identificaram como brancos e com uma denominação cristã”,

Claro, parte desse declínio impressionante decorre da demografia. Imigrantes asiáticos, hispânicos, negros e outros aumentam a população da América, reduzindo a proporção de brancos europeus tradicionais. No entanto, o recuo implacável da religião também é um fator importante na mudança.

Com base em uma pesquisa com mais de 100.000 participantes em todos os 50 estados, o PRRI disse que aqueles que respondem abertamente que não têm religião agora constituem um quarto dos adultos, excedendo os católicos (21%), evangélicos brancos (16%) e todos os grupos menores.

Vários estudos anteriores encontraram um recuo implacável da religião nas democracias ocidentais. Começou na Europa após a Segunda Guerra Mundial, depois se espalhou pelo Canadá, Austrália, Japão, Nova Zelândia e outros. No início, a América parecia uma exceção — mas a tendência chegou com força total.

O protestantismo tradicional, com ministros educados em seminários e visões políticas progressistas, foi o primeiro a sofrer o baque.

Grandes denominações começaram a entrar em colapso na década de 1960 e perderam milhões de integrantes, Na sequência, multidões de católicos abandonaram sua igreja — um êxodo tão grande que um décimo dos adultos americanos hoje são ex-católicos. Finalmente, tardiamente, as perdas começaram a atingir os evangélicos brancos.

O fundador do PRRI, Robert P. Jones, autor de The End of White Christian America , comentou que as pesquisas estão "fornecendo evidências sólidas de estar ocorrendo uma nova e segunda onda de declínio de religiões de americanos brancos, a exemplo do que houve na última década nos Estados Unidos".  

O diretor de pesquisa do PRRI, Daniel Cox, disse que especialmente os jovens americanos estão abandonando a religião — muitos deles enojados com valores intolerantes e fanáticos entre os fundamentalistas que denunciam gays, tentam proibir o aborto, protestam contra a sexualidade de Hollywood, querem manter a maconha ilegal e coisas do gênero.

“Os jovens têm muito menos probabilidade de acreditar que esta é uma 'nação cristã' ou de dar preferência à identidade cristã”, disse Cox. 

Os próprios gays renunciam à religião com quase o dobro da taxa de "heterossexuais". O estudo PRRI descobriu que 46% deles dizem que sua fé é "nenhuma".

As perdas de igrejas na América têm implicações políticas. Os evangélicos brancos são o coração do Partido Republicano, enquanto os “não” mais jovens e com formação universitária se destacam na base democrata. O segmento GOP está encolhendo enquanto o grupo liberal está crescendo. Infelizmente, muitos “não” não votam — mas mesmo assim sua ascensão muda a cultura e os valores da América.

A civilização ocidental passa por épocas — a Renascença, o Iluminismo, a Revolução Industrial, a Era Colonial, a ascensão da democracia, etc. Acho que o Ocidente agora está firmemente na Era Secular, quando a religião sobrenatural se transforma em uma franja desacreditada. 

O mundo muçulmano continua atolado na fé mágica, com consequências trágicas, mas o Ocidente está mudando em direção à honestidade intelectual.

Êxodo começou na década de 60

> James A. Haught é jornalista e membro da FFRF (Freedom From Religion Foundation), organização sem fins lucrativos que se dedica à defesa da separação entre o Estado e a Igreja. O artigo acima foi publicado em junho de 2018 no Free Inquiry. Ele se mantém atual porque pesquisas mais recentes confirmam suas premissas.

Secularização orgânica que ocorre nos Estados Unidos é força do bem 



Igreja Católica da Alemanha perde mais de 400.000 fiéis somente em 2019


Comentários

  1. Nada é puro para os impuros. Quem não tem o Espirito de Deus não compreende as coisas de Deus. Não devemos deturpar as Escrituras Sagradas. Se o olho for mau...

    ResponderExcluir

Postar um comentário