Pular para o conteúdo principal

Projeto de nação de Bolsonaro é uma versão tropical do Talibã, afirma cientista

Jair Bolsonaro se elegeu pregando combate à corrupção de políticos, surfando na Lava Jato. Ele prometeu medidas do liberalismo econômico e, sobretudo, fez uma defesa valores tradicionais do cristianismo. Em dois anos, ele se aliou aos corruptos e sua política econômica é fracasso.

Assim, o bolsonarismo só tem se firmado cada vez mais como um movimento radical religioso nacionalista, apostando na beligerância política para impor o seu projeto de nação indissociável da fé em Deus. E o presidente Bolsonaro passou a ameaçar a democracia diariamente, exorcizando o cadáver do golpe militar.

Por isso, o cientista político Guilherme Casarões vê algo em comum entre o bolsonarismo e o Talibã, que retornou ao poder no Afeganistão: um projeto de nação indissociável da fé em Deus. 

Casarões ressalva que, por motivos óbvios, não dá, em uma visão mais ampla comparar o atual governo brasileiro com o regime do Talibã, porque no Brasil, entre outras coisas, há democracia e suas instituições estão funcionando, ainda que não tão bem como era de se esperar. Quanto a isso, não comparação possível.

Mas não dá para negar, ressaltou o cientista político, que o bolsonarismo e os talibãs têm uma visão radical religiosa de nacionalismo. 

No Brasil, cuja Constituição estabelece a laicidade de Estado, há ministros que submetem políticas públicas a preceitos religiosos conservadores, mais associados ao neocapitalismo do que a outros ramos do cristianismo, os quais estão mais associados ao neopentecostalismo do que a qualquer outro ramo do cristianismo.

"Apoiadores do governo enxergam o mandato de Bolsonaro como parte de uma guerra santa contra inimigos genéricos como o comunismo, o globalismo e o marxismo cultural", disse Casarões à Folha de S. Paulo.

O cientista observou que na proposta para a criação do partido Aliança pelo Brasil, de Bolsonaro, está definido que "a relação entre esta Nação e Cristo é intrínseca, fundante e inseparável”.

"A essa altura, está claro que Bolsonaro lidera um movimento reacionário, marcado por desrespeito às instituições democráticas, sectarismo religioso e violência política. Em muitos sentidos, um Talibã tropical."

Semelhança criada
pelo fundamentalismo
religioso 

> Com informação da Folha de S.Paulo.

Bolsonaro é fantoche de fundamentalistas religiosos, denuncia pastor 



Bolsonaro aprova lei que permite que adventistas faltem em dia de prova


Comentários

  1. Esse "cientista" que falou esta besteira, porque será que tem 99,99% de chance de ser um esquerdopata?

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente acho que o senhor está voando com os olhos vendados, uma rolha nos ouvidos, Bolsonaro tem sido o melhor presidente que o Brasil já teve, olha a multidão que ele arrasta, amamos nosso presidente e você é um comunista desgraçado que torce pelo nosso mal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preço do gás nas alturas, inflação chegando a dois dígitos, gasolina a 7 reais, quase 15 milhões de desempregados, aumento da pobresa, retorno ao mapa da fome, meio milhão de mortos por negligência política. E vc ainda tem coragem de dizer que o Bolsonaro é o melhor presidente. Não a toa o chamam de mito mesmo, pq o mito é impermeável à realidade. Seu presidente é tão sujo, que, com discurso anti-corrupção, ele governa com o quadrilhão do PP: Ricardo Barros, Arthur Lira, Ciro Nogueira, o triunvirato da corrupção. Ele é tão burro e inepto, que até o Lula, até pouco tempo carta fora do baralho, ressuscitou, não por mérito do Lula, mas por incapacidade do genocida. O apoio do seu mito ao centrão, aos latinfundiários, aos pastores, aos empresários mostra q ele não é, nunca foi anti-sistema, pelo contrário. A regra dele é: para os empresários, tudo; para os trabalhadores, fins dos direitos. Ele só quer defender os filhos bandidos, e vcs, burros, acreditaram ser Messias quem na verdade nunca passou de Judas. É o pior presidente da nossa História. Nenhum outro riu sobre cadáveres.

      Excluir
  3. Petralhosos e petralhudos deste respeitável, porém abobalhado blog... Minhas saudações! E as perguntas que não tem vossa resposta? Lula não é truta do Hamas? Cuba é um país democrático? Venezuela está numa boa? Vocês fazem amor pensando no Bolsonaro?

    ResponderExcluir
  4. Realmente a comparação não é cabível, o bolsonarismo carece da coragem dos talibãs. Aqui o amor ao fuzil não passa de retórica e a fé em Deus é bem mais limitada do que a fé que aquele povo tem em Alá. Lá se morre por Alá, aqui só se ganha dinheiro com Deus. O bolsonarismo só sabe fazer dancinha do impeachment e pintar a cara de verde e amarelo. Enquanto o radicalismo do Talibã é capaz de enfrentar os Estados Unidos, o radicalismo bolsonarista se dissolve com uma mera notinha de ministro do STF. A comparação é realmente descabida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que o idiota do Paulo Coelho foi o primeiro a falar num Talibã Cristão. O idiota me parece certo em princípio ou nos princípios, mas concordo nas diferenças citadas. A comparação não é descabida no sentido de que Bolsonaro e os Talibãs são movimentos conservadores e anti comunistas. Ambos são "reações". O tema merece apraprofundamento.

      Excluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Constelação familiar é tóxica e pode causar danos irreparáveis, alerta psicólogo

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Escritor cristão admite que evangélicos têm 'estranha atração por figuras autoritárias'