Pular para o conteúdo principal

Escritor cristão admite que evangélicos têm 'estranha atração por figuras autoritárias'

Ao falar sobre o prestígio que o presidente Bolsonaro tem por parte de evangélicos, mesmo ele sugerindo a compra de rifle em vez de feijão, o escritor americano Mark Galli, 69, afirmou que, "por razões muito complexas", esses religiosos "têm uma estranha atração pelo poder bruto e por figuras autoritárias, especialmente se elas se declararem cristãs".

"Eles [os evangélicos] gostam de líderes decisivos e que assumem o comando. Você vê isso na história da Guatemala, onde o brutal ditador Efraín Ríos Montt teve grande apoio nos anos 1980 porque se dizia evangélico. A contradição entre sua fé e suas ações, que incluíam genocídio, não intimidou a maioria dos evangélicos".

Convertido ao catolicismo em 2020, quando se aposentou do jornalismo, Galli foi editor-chefe por sete anos da revista Christianity Today e acaba o livro “Quando Foi que Começamos a Nos Esquecer de Deus?”, que discorre sobre as diferentes correntes da igreja evangélica americana.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Galli lamentou que a política esteja triunfando sobre a fé, o que explica, segundo ele, a eleição de políticos de direita, como Trump, "um homem de caráter profundamente perturbador".

"Seria necessário um longo ensaio para mostrar como tudo isso se relaciona, mas basta dizer que eles [os evangélicos] confundiram a missão evangélica, que tinha como foco 'ganhar os perdidos' para Cristo."

O escritor falou de uma contradição que se aplica tanto aos Estados Unidos como ao Brasil.

Ressaltou que os evangélicos gostam de líderes autoritários, mas reagem a medidas de governos as quais supostamente restringem sua liberdade e convicção religiosas, pelo menos nestes tempos de pandemia, como evitar aglomeração nos templos e tomar vacina.

Na entrevista a Anna Virginia Balloussier, o escritor também se mostrou contraditório. Ao mesmo tempo em que reconhece que os evangélicos estão substituindo a fé pela política, com um forte viés ideológico à direita, ele reclamou da "perseguição" que esse segmento religioso sofre da imprensa, citando o liberal News York Times.

Evangélicos mantêm
apoio a Bolsonaro,
apesar do fracasso no
combate à pandemia

> Com informação da Folha de S.Paulo.

Fortalecidos pelo bolsonarismo, juristas evangélicos ameaçam o Estado laico 



Brasil é a terra prometida dos evangélicos, diz sociólogo


Comentários

  1. Claro, o próprio Jeová é uma figura autoritária, matou inclusive crianças afogadas no dilúvio, só pq seus pais não seguiam a ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. E não só Jesus. A Bíblia toda é recheada de patriarcas autoritários.

      Excluir
  2. Alguém que crê que um homem mulher adolescente ou criança irá sofrer eternamente os tormentos em um lago de fogo por causa de um pecado original cometido por um casal imaginário , o qual nem conhecemos , mas carregamos a culpa deles , e tudo isso porque o deus cristão é amor , na me choca em nada . Até acho nós cristãos extremamente bondosos diante de uma cultura tão perturbada sádica e masoquista que encontra nas narrativas de tortura e sofrimento tanto a redenção de Cristo e o juízo divino sobre os infiéis . Somos é muito sãos . Ainda bem que boa parte das.pessoas reservam a loucura apenas para o âmbito religiosa particular . O.problema se dá quando tenta levar esse irracionalismo para a vida pública .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ainda bem que boa parte das.pessoas reservam a loucura apenas para o âmbito religiosa particular ." O problema que essa maioria, mesmo PODENDO INTERFERIR nos horrores que seus líderres fazem, NADA o fazem. São CONIVENTES com os horrores. Por isso nem é errado dizer da esmagadora maioria crédulo é ruim mesmo. Uma minoria déspota e a maioria conivente.

      Excluir
  3. Os rebanhos sofrem de falta de autonomia, de personalidade, falta de liberdade de pensamento, os fanáticos precisam de cães pastores, "profetas" que lhes mostrem o caminho, pois eles nunca sabem o que fazer, para onde ir. Esses debiloides estão sempre perguntando: "Quem eu sou?". "por que estou aqui?", "de onde venho?", "para onde vou?". Sem os Moisés, os papas, os pastores, os Jim Jones, David Koresh, e dezenas de milhares de líderes religiosos cristão fanáticos enlouquecidos pedófilos, assassinos, estupradores, dementes, sociopatas, psicopatas. A Internet, grande presente dos cientistas para a humanidade está repleta desses monstros.


    ResponderExcluir
  4. Religiões são poderosas formas de controle social, e pelas posturas, basicamente quase sempre para adestramento, submissão, servidão, ter povo gado... E o monoteísmo foi deliberadamente esenvolvido para tal, no mal sentido mesmo. Controle absoluto, promover intolerãncia, ódio e tudo que é ruim aos "de fora" dos valores religiosos.
    Nem sempre por dolo, pois há quem tem TDI e acredita que está "recebendo um espírito", ou esquizofrêncicos em que "conversam com Deus". Muitos até acreditam "estar ajudando", afinal dissonância cognitiva é coisa bem típica de crédulos de fé.
    Como a maioria da população admite ser controlada, fica mais fácil déspotas tirarem proveito disso. Recentemente muitas dessa crenças "no além" foram substituídas por sistemas políticos, mas estes, por mais força que tenham, nunca sobrepujará a religiao e afins, pois estas tem o apelo maior da "vida após a morte" e as inumeras invencionices "de castigos ou benesses no além" conforme comportamentos dos adeptos. A (extrema) Direita tira belo proveito com o tal Deus e afins. Por isso sempre associados com algum tipo de religião.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Colégio adventista expõe réplicas de dinossauros em evento criacionista

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber