MP vai denunciar criminalmente pastor bolsonarista por pregar que vacina dá câncer

As promotorias criminais e de responsabilização civil do Ministério Público do Ceará comunicou à Secretaria de Saúde daquele Estado que vai acionar judicialmente o pastor Davi Goés.

Em culto cujo vídeo viralizou, o pastor bolsonarista divulga fake news sobre a vacina CoronaVac que está sendo produzido pelo Instituto do Butantan.

Diz: "Muitas pessoas vão morrer de câncer, achando que foi câncer porque comeu alguma coisa, porque foi hereditário, porque tem família, por causa de um tumor, mas na verdade foi por causa da vacina. Depois que essa substância entrar no nosso organismo vai atingir o nosso DNA, um cientista francês disse que até HIV tem dentro dela".

De acordo com o MP, o pastor cometeu crime ou contravenção ao provocar alarde com o anúncio de perigo inexistente. A pena é prisão de até 15 dias ou multa.

Quanto à responsabilização civil, Goés pode ser enquadrado na lei do Ceará que pune com multa de R$ 2 mil propagadores de fakes news.

Nesse caso, o caso será apreciado pelos Juizados Especiais Criminais.

O pastor ainda poderá responder à Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, a Lei das Fake News.

Davi Goés divulgou nota negando que tenha propalado informação falsa, porque, alegou, o que dissera foi com base em comentário de um cientista.

O fato é que não existe nenhum estudo científico provando que qualquer uma das vacinas contra a Covid-19 altere o DNA.

Goés é acusado
de causar pânico
 

Com informação do Ministério Público do Ceará e de outras fontes e foto de reprodução da rede social

Comentários

Postar um comentário