Pular para o conteúdo principal

Luta entre Cristo e Lúcifer no Carnaval de SP não foi blasfêmia, decide juíza

A escola de samba Gaviões da Fiel não cometeu blasfêmia ao apresentar uma luta entre Jesus e Lúcifer, entre o bem e o mal, no Carnaval de 2019 de São Paulo.

A decisão é da juíza Camila Rodrigues Borges de Azevedo, da 19ª Vara Cível do Foro Central Cível de São Paulo, que rejeitou uma Ação Civil Pública movida pela LCM (Liga Cristã Mundial).

A LCM queria que a escola de samba pagasse R$ 5 milhões de indenização por danos morais, por “blasfêmia” ao “sentimento religioso dos cristãos”.

O argumento da Liga Cristã é que, no desfile de Carnaval, o demônio deu “empurrões, debochando e dando gargalhadas” de Cristo.

A Liga Cristã Mundial é uma entidade de extrema direita. Bolsonarista, defende os “tradicionais valores cristãos”.

A sua página no Facebook diz que age “ fervorosamente em defesa da fé cristã, combatendo a oposição maligna e terrorista oriunda de diversos segmentos, que querem destruir a nós, Igreja”.

A juíza sentenciou que a apresentação da escola de samba não feriu a liberdade de culto nem pode ser classificada como um discurso de ódio.

“O Carnaval e suas representações são, de fato, uma expressão artística e cultural, independentemente das valorações positivas ou negativas que cada um faça de acordo com suas individualidades, afirmou a juíza ao rejeitar o pedido da Liga Cristã.

“A limitação é incompatível com a expressão artística e cultural”, disse, acrescentando que o “questionamento” e a “subversão” fazem parte da liberdade de expressão.

Ela citou o caso do escritor português José Saramago (1922-2010). Prêmio Nobel da literatura, o único da língua portuguesa, o escritor mudou-se para a Espanha porque em seu país foi muito criticado por seus romances tido como anticatólicos.

“Nem sempre a arte e seus gênios estão a serviço do que se convencionou como ‘certo’, ‘possível’, ‘aceito’ e ‘admissível’”, escreveu a juíza Camila Azevedo.


Lesão no cérebro resulta em fanatismo religioso, diz estudo

Autor mostra em 'Lunáticos por Deus' a insanidade das religiões

Onde termina o extremismo religioso e começa a loucura?

Fanatismo evangélico ameaça a democracia no Brasil, diz reverendo

Comentários

Anônimo disse…
Blasfêmia = crime sem vítimas.
Paul Muadib disse…
O deusinho da bíblia é tão fraco que sequer aparece para se defender. Também, esperar o quê de um folclore ?

Posts + acessados hoje

Igreja do 'santo' Maradona tem altar, cultos e mandamentos

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade