Pular para o conteúdo principal

Fanáticos religiosos de conselho tutelar tentaram convencer menina a não abortar

A menina de 10 engravidada por um tio estuprador teve de entrar em um hospital de Recife dentro do porta-mala de um carro, para escapar da fúria de fundamentalistas religiosos.

Sabe-se agora que a garota e a sua avó antes já tinham enfrentado fanáticos religiosos que estão onde não deveriam estar: em um conselho tutelar, no caso no do Espírito Santo.

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, 38, informou que o conselho tutelar — cujos integrantes mais da metade são fundamentalistas cristãos — tentou convencer a menina a não fazer o aborto.

Os extremistas religiosos contaram com a colaboração de um obstetra da cidade de Mateus, que avaliou que a menina podia ter um parto por ter pelve de 13 anos.

Nésio Fernandes, que também é médico, ficou chocado com o laudo do obstetra. “Coisa horrorosa.”

A avó e a menina tiveram de ser fortes e determinadas porque o conselho tutelar tentou protelar o caso para que, com o avanço da gestação, se tornasse inviável o aborto.

Evangélico batista, o secretário Fernandes foi quem tirou a menina das garras dos fundamentalistas.

Ele agiu rapidamente, providenciando a transferência da menina para um hospital de referência de Recife, onde sem problema ocorreu a interrupção da gestação, exceto pelo circo montado por fundamentalistas e políticos oportunistas.

“O problema é que os fundamentalistas gritam muito alto. Esses setores mais radicalizados têm uma capacidade de repercutir posições e criar escândalo que é bem impressionante”, disse Fernandes.

Comentários

Posts + acessados hoje

Derrota de Crivella abala projeto de poder de Bolsonaro e o de Edir Macedo

'Penha me transformou em monstro', afirma ex-marido

Bolsonaro impõe sigilo em telegramas de interferência em crise da Universal em Angola