Pular para o conteúdo principal

Barroso critica ação do fanatismo religioso contra menina violentada

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, criticou o tumulto causado por religiosos na porta do hospital em Recife onde houve aborto em uma menina de 10 anos que tinha sido estuprada por um tio de 33 anos.

Barroso disse que se tratou de uma manifestação de fanatismo religioso. Houve agressões a funcionários do hospital e a menina foi chamada de “assassina”.

“Eu tenho muita dificuldade e de compreender esse Deus agressivo e intolerante que inspira essas pessoas”, disse o ministro.

“Na minha posição filosófica antiga, acho que enquanto o feto não tem nenhuma viabilidade de vida extrauterina e enquanto não haja risco para a mãe, qualquer mulher tem o direito de interromper uma gestação.”

A participar na sexta-feira (21) de um debate promovido pela Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho, Barroso disse que o aborto ocorreu por uma decisão “legítima”.

“Ali, o que se teve foi evidentemente o direito daquela menina, sendo que é uma das exceções previstas no Código Penal para interrupção legitima da gestação.”

Com informação da videoconferência.



Padre afirma que menina gostava de ser violentada pelo tio e ri (‘kkkkk’)



Comentários

Posts + acessados hoje

Antes de dizer em live 'aceitem a paz do Senhor', pastor xinga sua mulher

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Ateus tentam impedir gasto de R$ 80 mi em centro evangélico disfarçado de museu