Pular para o conteúdo principal

Igrejas pentecostais brigam na Justiça pela marca ‘Deus é Amor’

A Igreja Pentecostal Deus é Amor moveu ação contra um pastor dissidente que abriu em 2019 uma igreja com a ‘marca’ “Deus é Amor”.

Trata-se da Igreja Pentecostal Deus é Amor Renovada, Ministério São Paulo, de Reginaldo Gaudêncio.


O juiz Rodrigo Carlos Alves de Melo, da 1ª Vara de Brotas (SP), decidiu que a expressão “Deus é Amor” não pode ser registrada como marca, e agora a briga judicial continua na segunda instância.

Fundada pelo pastor Davi Miranda (1936-2015),  a Igreja Pentecostal Deus é Amor tem como trunfo o registro que fez em 2002 de “Deus é Amor” no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual. Em tese, ninguém mais pode usar a "marca". 

A igreja fundada por Miranda tem 22 mil templos no Brasil e em 136 países. Há o temor dos dirigentes que Gaudêncio “roube” parte dos fiéis da “marca”.

Na verdade, o que as igrejas estão disputando mesmo é o dízimo dos fiéis. 

Com informação de Edelberto Behs, do IHU Online, e Folha de S.Paulo.



Deputado evangélico tem projeto para que dízimo seja descontado do salário

Embora mais pobres, fiéis da Igreja Universal pagam o maior dízimo

Quem não paga dízimo fica exposto ao Satanás, afirma Edir

Para famílias de baixa renda, dízimo é despesa prioritária




Comentários

Posts + acessados hoje

Pregação criacionista abre evento científico da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Robinho e Neymar se negam a ver crianças de lar espírita

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade