Pastor do Paraná chama pobres de 'moreninhos, encardidos e sujos'

Entidades defensoras da dignidade de afrodescendentes deram entrada quarta-feira (17) na Justiça a processo contra o pastor Rodrigo dos Santos acusando-o de racismo.

Uma live onde conversava com sua mulher -- sobre como ela, loira, chamou a atenção dele -- o religioso a comparou considerou os demais fiéis, “pobres, moreninhos, encardidos e sujos”.

Na época em que conheceu sua mulher, Santos frequentava a Igreja Batista do Calvário, de Toledo, no oeste do Paraná.


Edna Nunes, da Embaixada Solidária de Toledo, uma das entidades que recorreram à Justiça, comentou:

"O preconceito que sentimos na fala desse moço é o que a gente vê de forma velada todos os dias.”

Em nota, a igreja informou que não endossa o preconceito e o racismo.

Diante da reação, Santos retirou da rede social a live gravada no dia 12 e pediu desculpas.

Entidades como a Associação dos Jovens Haitianos (Ajohavito), Grupo Senzala de Capoeira e o Instituto Quilombo Tekoah não vão desistir do processo judicial. 


Com informação do G1 e vídeo do Youtube.




'Sofri injúrias e agressões físicas de um pastor homofóbico'

Cardeal diz que homofobia é invenção gays que visam o 'domínio totalitário'

Padre gay expulso do Vaticano ataca a homofobia da Igreja

Diocese de Assis suspende padre que abençoou união de homossexuais