Pular para o conteúdo principal

Governo alemão critica ofensiva de Trump de tomar pesquisa de vacina

Deutsche Welle O governo alemão criticou nesta segunda-feira (16/03) a ofensiva financeira do presidente dos EUA, Donald Trump, para adquirir uma potencial vacina contra o novo coronavírus, em desenvolvimento pela empresa alemã CureVac.

O caso foi revelado no domingo pelo jornal alemão Welt am Sonntag, que apontou que Trump ofereceu uma grande quantia de dinheiro aos cientistas alemães para garantir o direito exclusivo sobre a vacina, em detrimento de uma colaboração internacional.

PETER ALTMAIER, MINISTRO DA
ECONOMIA, DISSE QUE A 'ALEMANHA
NÃO ESTÁ À VENDA'

"Pesquisadores alemães desempenham uma posição de liderança no desenvolvimento de remédios e vacinas no âmbito de colaborações internacionais. Não podemos permitir que outros busquem a exclusividade dos resultados dessas pesquisas", disse hoje o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, ao grupo de mídia Funke.

Maass também salientou que a Alemanha procura uma maior cooperação para combater o novo coronavírus. 

"Nós só vamos derrotar esse vírus em conjunto, e não agindo um contra o outro", completou Maas.

No domingo, o jornal citou uma fonte anônima próxima do governo alemão dizendo que Trump está fazendo de tudo para obter o agente imunizador: o presidente teria oferecido "1 bilhão de dólares" para garantir que a vacina seja "apenas para os Estados Unidos".


Antes de Maas, o ministro da Economia, Peter Altmaier, já havia reagido à reportagem do Welt, que traz a manchete "Trump vs Berlim" em sua capa, afirmando que a "Alemanha não está à venda".

Altmaier ainda elogiou a empresa por não ser tentada pela oferta americana. "Foi uma ótima decisão", disse ele em um programa de televisão na noite de domingo. 

Ele também disse que o governo alemão "garantirá que a ajuda necessária esteja disponível" para a empresa no desenvolvimento da vacina. E ele alertou que o governo alemão deve intervir caso ocorra alguma tentativa de tomada hostil da empresa. 

"Quando se trata de infraestrutura importante e de interesses nacionais e europeus", disse ele, "agiremos se for necessário".

O bilionário alemão Dietmar Hopp, que detém a maior parte das acoes do laboratório CureVac, também criticou a ofensiva de Trump, apontando que falta solidariedade ao presidente americano. "Assim que — o esperamos que seja em breve — conseguirmos desenvolver uma vacina eficaz contra o coronavírus, ela deve alcançar, proteger e ajudar as pessoas, não apenas num aspecto regional, mas seguindo o espírito de solidariedade em todo o mundo", disse Hopp.

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.




Em tempo de coronavírus, a religião tem de se ajoelhar diante da ciência

Vacina contra o coronavírus deve sair em um ano e meio, diz professor da USP

Saiba como se proteger do coronavírus

Estudo confirma que coronavírus oferece maior risco de morte aos idosos

Coronavírus faz Centro Adventista cancelar palestra com criacionista

Trump declara emergência para poder desbloquear US$ 50 bi contra o coronavírus





Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Morre de Covid-19 o segundo pastor bolsonarista da Assembleia de Deus

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19