Pular para o conteúdo principal

Justiça recusa pedido de igreja de indenização de R$ 1 bilhão pelo Porta dos Fundos

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou um pedido da Igreja Pentecostal Brasa Viva para que
o Netflix retire de sua plataforma o curta-metragem do Porta dos Fundos “Se Beber, não ceie, de 2018.

O que chamou a atenção nação foi o pedido de indenização por danos morais no valor de R$ 1 bilhão.

A 5ª Vara Cível lembrou à igreja evangélica que no Brasil existe na Constituição o direito à liberdade de expressão.



Dinamarca extingue lei da blasfêmia depois de 151 anos

Grécia deixa de ter lei da blasfêmia e juramento religioso

Católicos franceses descobrem blasfêmia no pai-nosso

Limitar casamento com crianças é 'blasfêmia', diz órgão islâmico



Comentários

  1. Kkkkk crentes vao perder sempre.

    ResponderExcluir
  2. Olha o nome do local, Brasa Viva, deve ser referência a inquisição, kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico