Limitar casamento com crianças é 'blasfêmia', diz órgão islâmico




O Conselho de Ideologia Islâmica, do Paquistão, pressionou legisladores até que retirassem de tramitação um projeto de lei que, se aprovado, limitaria o casamento de adultos com meninas, o que é frequente naquele país.

União forçada de
adultos com crianças
é comum no Paquistão
O conselho é um órgão constitucional que orienta o Parlamento sobre a compatibilidade da legislação com a sharia (leis islâmicas, com base no Corão).

Para o conselho, a aprovação desse projeto de lei “não islâmico” representaria uma “blasfêmia”.

Argumentou, também, que um projeto semelhante já tinha sido arquivado em 2014.

O projeto de lei de agora impunha punições mais severas às aqueles que se cassassem com mulheres com menos de 18 anos.

Do total de meninas crianças e adolescentes do Paquistão, estima-se que 20% delas foram obrigadas a se casarem com adultos, desde os mais jovens aos mais velhos.

Muçulmanos que tomam crianças como esposas afirmam que seguem o exemplo de Maomé, que se casou com uma menina de 9 anos, a qual, entre as mulheres dele, foi a sua preferida.

Com informação do Independent. A foto acima é do casamento de homem de 40 anos com uma menina de 11. Ela foi tirada no Afeganistão, onde também se realiza esse tipo de união islâmica. De autoria da americana Stephanie Sinclair, a foto ganhou um prêmio da Unicef.




Livro conta historia da mulher de Maomé que tinha 9 anos


Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Gloria Perez defende a novela 'Salve Jorge' de críticas de religiosos

Vicente e Soraya falam do peso que é ter o nome Abdelmassih