Pular para o conteúdo principal

Procuradoria pede apuração sobre presença de Crivella e Bretas em evento gospel

A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio pediu ao Ministério Público do Estado que apure a ilegalidade ou não da participação do prefeito Marcelo Crivella, do Rio, e do juiz federal Marcelo Bretas em um evento gospel no dia 15 de fevereiro de 2020, juntamente com o presidente Bolsonaro.

Bispo da Igreja Universal, Crivella já se encontra em campanha para reeleição.Ele perdeu popularidade durante seu mandato.

O bispo e o presidente, no evento, dançaram juntos ao som de uma música gospel [vídeo abaixo].

Bretas é titular da 7.ª Vara Federal Criminal e responsável pela Operação Lava Jato Rio.


É “terrivelmente evangélico”, de acordo com uma expressão cunhada por Bolsonaro. Usa o Twitter para fazer citação da Bíblia.

Em ofício encaminhado ao Ministério Público, a procuradora regional Silvana Batini levanta a possibilidade de ter havido um ilícito eleitoral e pede uma apuração.

A Procuradoria-Geral do Município do Rio de emitiu nota que Crivella não cometeu nenhuma infração porque não pediu votos à plateia do evento.

O juiz Bretas preferiu não se manifestar.


Com informação do Estado de S.Paulo e de outras fontes.



Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

Bolsonaro vai ter de aceitar que a Constituição está acima de Deus

Governo Bolsonoro usa verba publicitária para pagar ‘dízimo’ às igrejas amigas

Fundamentalismo religioso de Bolsonaro é pior que o da Idade Média, diz Roberto Freire




Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos