Procuradoria pede apuração sobre presença de Crivella e Bretas em evento gospel

A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio pediu ao Ministério Público do Estado que apure a ilegalidade ou não da participação do prefeito Marcelo Crivella, do Rio, e do juiz federal Marcelo Bretas em um evento gospel no dia 15 de fevereiro de 2020, juntamente com o presidente Bolsonaro.

Bispo da Igreja Universal, Crivella já se encontra em campanha para reeleição.Ele perdeu popularidade durante seu mandato.

O bispo e o presidente, no evento, dançaram juntos ao som de uma música gospel [vídeo abaixo].

Bretas é titular da 7.ª Vara Federal Criminal e responsável pela Operação Lava Jato Rio.


É “terrivelmente evangélico”, de acordo com uma expressão cunhada por Bolsonaro. Usa o Twitter para fazer citação da Bíblia.

Em ofício encaminhado ao Ministério Público, a procuradora regional Silvana Batini levanta a possibilidade de ter havido um ilícito eleitoral e pede uma apuração.

A Procuradoria-Geral do Município do Rio de emitiu nota que Crivella não cometeu nenhuma infração porque não pediu votos à plateia do evento.

O juiz Bretas preferiu não se manifestar.


Com informação do Estado de S.Paulo e de outras fontes.



Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

Bolsonaro vai ter de aceitar que a Constituição está acima de Deus

Governo Bolsonoro usa verba publicitária para pagar ‘dízimo’ às igrejas amigas

Fundamentalismo religioso de Bolsonaro é pior que o da Idade Média, diz Roberto Freire




Comentários

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Historiadora diz que Moisés não existiu. E sofre ameaças de morte