Pular para o conteúdo principal

Samba-enredo faz referência a Bolsonaro: não há futuro com 'messias de arma'

O samba-enredo da escola Mangueira do Carnaval 2020 faz uma referência direta ao presidente Bolsonaro no refrão "Favela, pega a visão / Não tem futuro sem compartilhamento / Nem messias de arma na mão".

O nome do meio de Jair Bolsonaro é "Messias".

O tema do enredo é "A Verdade Vos Fará Livre", que apresentará uma biografia de Jesus Cristo e as intolerâncias que ele sofreria nos dias atuais, mostrando as várias faces que poderia ter.

A frase Bíblia "E conhecerei a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32) e suas variantes são muito citadas por Bolsonaro e líderes religiosos neste momento da história brasileira em que o Estado laico nunca foi tão atacado.

Campeã do Carnaval de 2019 do Rio, Mangueira tem sofrido pressão da Igreja Católica e de denominações evangélicas por suspeita de que vá cometer blasfêmia.


No primeira estrofe, o samba diz: "Senhor, tenha piedade / Olhai para a terra / Veja as suas maldades".

Faz também menção aos "profetas da intolerância / Sem saber que a esperança / Brilha mais na escuridão".

O pastor Henrique Vieira, 32, aceitou convite da escola para desfilar como Cristo, despertando a ira de evangélicos para os quais Carnaval é uma festa de Satanás.

Esse ponto de vista é compartilhado pelo prefeito do Rio, pastor da Igreja Universal Marcelo Crivella. A expectativa é que, mais uma vez, ele tenha participação mínima, colateral, nas cerimônias de abertura do Carnaval.

O pastor Vieira comentou no Youtube: "Mostrar o rosto de Jesus no rosto de tantas pessoas que são alvo de discriminação, preconceito e violência. Isso tem um ver com o evangelho".

Seguem um vídeo da música, íntegra da letra e explicação do pastor Vieira sobre a mensagem do samba-enredo.



Senhor, tenha piedade
Olhai para a terra
Veja as suas maldades
Senhor, tenha piedade
Olhai para a terra
Veja as suas maldades

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Eu sou da Estação Primeira de Nazaré
Rosto negro, sangue, corpo de mulher
Moleque pelintra no buraco quente
Meu nome é Jesus da Gente

Nasci de peito aberto, punho cerrado
Meu pai carpinteiro, desempregado
Minha mãe é Maria das Dores Brasil

Enxugo ou quem procura e sobe a cadeira
Me encontro no amor que não encontra fronteira
Procura por mim nas fileiras contra um opressão
E no olhar da porta bandeira do seu pavilhão
E no olhar da porta bandeira do seu pavilhão

Quem será o dependente
Em cordéis e corcovados
Mas será que todo o povo receberá o meu retorno?
Porque, de novo, cravejaram ou meu corpo
Os profetas da intolerância
Sem saber que a esperança
Brilha mais na escuridão

Favela, pega a visão
Não tem futuro sem compartilhamento
Nem messias de arma na mão
Favela, pega a
visão Eu faço fé na minha gente
Que é semente do seu chão

Do céu deu pra ouvir
O desabafo sincopado da cidade
Quarei tambor, da cruz fiz esplendor
E ressurgi pro cordão da liberdade

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Eu sou da Estação Primeira de Nazaré
Rosto negro, sangue, corpo de mulher
Moleque pelintra no buraco quente
Meu nome é Jesus da Gente

Nasci de peito aberto, punho cerrado
Meu pai carpinteiro, desempregado
Minha mãe é Maria das Dores Brasil

Enxugo ou quem procura e sobe a cadeira
Me encontro no amor que não encontra fronteira
Procura por mim nas fileiras contra um opressão
E no olhar da porta bandeira do seu pavilhão
E no olhar da porta bandeira do seu pavilhão

Quem será o dependente
Em cordéis e corcovados
Mas será que todo o povo receberá o meu retorno?
Porque, de novo, cravejaram ou meu corpo
Os profetas da intolerância
Sem saber que a esperança
Brilha mais na escuridão

Favela, pega a visão
Não tem futuro sem compartilhamento
Nem messias de arma na mão
Favela, pega a
visão Eu faço fé na minha gente
Que é semente do seu chão

Do céu deu pra ouvir
O desabafo sincopado da cidade
Quarei tambor, da cruz fiz esplendor
E ressurgi pro cordão da liberdade

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também

Mangueira
Samba, teu samba é uma coisa
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão inventar mil pecados
Mas eu também estou no seu lado
E no lado do samba também



Com informação do Youtube e de outras fontes.



Crivella tem intolerância religiosa com Carnaval, dizem agências

No Carnaval, há 'oferenda aos demônios', diz R.R. Soares

TJ do Rio derruba lei que proíbe imagens sacras no Carnaval

Crivella corta verba do Carnaval. Bem feito para eleitores do Rio




Comentários

Posts + acessados hoje

Vídeo mostra que filho de Testemunhas de Jeová já discrimina colega da escola

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Carta aberta de um ateu a Damares Alves: 'Não mexa com a minha Netflix'