Filhos elogiam a mãe que preferiu morrer a se submeter à transfusão

Testemunha de Jeová morreu
 por causa do sangramento
 de uma gastrite

O médico Gianfausto Iarrobino, de um hospital da cidade de Piedimonte Matese, Itália, fez um apelo a uma mulher para que ela concordasse em receber uma transfusão de sangue, mas ela, uma Testemunha de Jeová, disse que preferia morrer. 

Iarrobino tentou sensibilizar os três filhos, seguidores da mesma religião, mas eles apoiaram a decisão da mãe, que morreu no dia 23 de setembro de 2019.

Diante da mãe morta, ainda no leito do hospital, um dos filhos disse: “Mãe, você foi ótima, você deu uma lição a todos os médicos e enfermeiros”.

Às 23h17 daquele dia, Irarrobino postou no Facebook: “Hoje estou triste e ao mesmo tempo bastante irritado. Uma paciente morreu em meu departamento porque ela se recusou a uma transfusão de sangue. Ela era Testemunha de Jeová. Eu poderia salvá-la com 100% de certeza, mas ela se recusou e morreu. Seus filhos e parentes apoiaram a decisão dela. Eu fiz de tudo. Me confrontei com todos os familiares, mas... nada”.

Depois de escrever como os filhos ficaram orgulhosos da atitude da mãe, o médico acrescentou: “1) Como religião pode nos atuais dias permitir um suicídio; 2 ) Como é possível que eu, que fiz juramento para salvar vidas humanas, tenha sido forçado a assistir e garantir um suicídio assistido?”.

A mulher tinha sido internada com uma hemorragia de uma gastrite e sangrou até morrer.

Diante da repercussão do caso, a família da mulher escreveu uma carta ao jornal Il Mensageiro acusando os médicos de negligência.

“Eles [os médicos] nem sequer fizeram investigações instrumentais (exceto uma gastroscopia 12 horas após a internação) que lhes permitissem localizar o ponto do sangramento, para interrompê-lo”.

O lamento do médico Irarrobino no Facebook tem uma centena de comentários.

Um dos primeiros diz: "Essa é uma família de idiotas".



Com informação do Ilmessaggero e de outras fontes, com foto meramente ilustrativa.



Testemunha de Jeová recusa sangue, morre e deixa 9 filhos

Testemunhas de Jeová não podem coletar dados sem autorização, diz tribunal europeu

O que há em comum entre Islã e Testemunhas de Jeová

Corpo Governante das Testemunhas de Jeová abrigou molestador por 36 anos




Comentários

Paul Muadib disse…
Bem, foi um suicídio e portanto menos um imbecil no mundo.
Emerson Santos disse…
Completamente louco o sujeito(a) que chegue essa seita ... por mim .. que morram qdo precisarem de sangue .. sobra mais pra quem realmente quer viver ...
MAURÃO disse…
Vão dizer que o suicídio, a eutanásia, são os piores dos pecados; mas não se recusam a fiéis nenhum - o hemofílico, por exemplo. Tamanha tão evidente contradição deveria ser criminalizada, criminalizam a eutanásia e o suicídio assistido e o aborto e as pesquisas com células-tronco, só em alguns exemplos. As religiões, cristãs então, são, e a história deles revela muito bem isso, a desgraça do mundo inteiro. Um simulacro que sempre vai depender da ignorância generalizada e, por isso mesmo, fizeram-se pioneiros, e estão até hoje aí, no papel de educadores no Brasil e num pedação de mundo todo. Principalmente para os latino americanos.
Satã 2 disse…
Deveria ser dado é veneno para os Cristãos, pois Jesus disse que quem crer, se tomar veneno, não vai sofrer mal.

"17.Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, 18.manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados”."
São Marcos, 16 - Bíblia Católica Online

Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/sao-marcos/16/