Liminar impede Crivella de apreender livros LGBT em bienal

Comportamento de Crivella
 tem sido mais com bispo da
 Universal que prefeito do Rio

O Tribunal de Justiça concedeu no começo da noite de 6 de setembro de 2019, sexta-feira, uma liminar que impede os fiscais da prefeitura do Rio a fazerem "busca e apreensão" na Bienal do Livro de obras que o prefeito Marcelo Crivella considerem impróprias para crianças.

Crivella chegou a ameaçar cassar o licenciamento de funcionamento do evento após se queixar de uma HQ onde aparece dois garotos se beijando. Destinada ao público adulto, a publicação se esgotou depois da manifestação de Crivella.

O desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes concedeu a liminar para "compelir as autoridades impetradas a se absterem de buscar e apreender obras em função do seu conteúdo, notadamente aquelas que tratam do homotransexualismo (sic)".

"Concede-se a liminar, igualmente, para compelir as autoridades impetradas a se absterem de cassar a licença para a Bienal, em decorrência dos fatos veiculados neste mandamus", diz trecho da decisão.

Entidades, escritores e organizações que defendem a livre manifestação de pensamento têm feito crítica ao prefeito, que é bispo da Igreja Universal.

Com informação do Tribunal de Justiça.



Felipe Neto vai distribuir livros com temas LBGT em reação a Crivella

Crivella manda fiscais a bienal de livro para censurar HQ Vingadores

Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

O que pode ocorrer com ateus em um país em que 'Deus está acima de tudo'?





Comentários

Daniela disse…
Chupa, Crivella!