Pular para o conteúdo principal

Bienal de Livro entra com mandado para impedir que Crivella suspenda o evento

Crivella ameaçou cancelar a
licença da exposição por causa
 de uma publicação de adultos
 com beijo gay


por Douglas Corrêa 
para Agência Brasil

A direção da Bienal Internacional do Livro Rio entrou com pedido de mandado de segurança preventivo no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro nesta sexta-feira (6 de setembro de 2019), a fim de garantir o direito dos expositores de comercializar obras literárias sobre as mais diversas temáticas e o pleno funcionamento do evento.

“Consagrada como o maior evento literário do país, a Bienal do Livro mantém sua programação para o fim de semana, dando voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados”, diz nota da organização do evento.

Até domingo (8 de setembro de 2019), a bienal recebe autores, artistas, pensadores e acadêmicos do Brasil e do exterior para participar de 39 painéis sobre temas variados, como fake news, felicidade, ciências, maternidade, teatro, literatura trans, LGBTQA+ e outros. 

Há um pavilhão dedicado às crianças, com contação de histórias, lançamento de livros e espetáculos circenses.

Entenda o caso

O mandado de segurança impetrado pela bienal na Justiça é contra decisão anunciada ontem (5) pelo prefeito Marcelo Crivella, que determinou que os organizadores do evento recolhessem o livro "Os Vingadores, a Cruzada das Crianças". 

Segundo Crivella a publicação traz conteúdo imprório para menores. "Livros assim precisam estar embalados em plástico preto e lacrado, informando o conteúdo. Desta forma, a prefeitura do Rio está protegendo os menores de nossa cidade”, diz a nota do prefeito.

Escrito há dois anos por Allan Heinberg e Jim Chang, o livro traz uma ilustração de dois homens se beijando.

Hoje, a prefeitura do Rio distribuiu nota para informar que a notificação visa a adequar obras expostas na feira aos artigos 74 a 80 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O Artigo 78 do ECA diz que “as revistas e publicações contendo material impróprio ou inadequado a crianças e adolescentes deverão ser comercializadas em embalagem lacrada, com a advertência de seu conteúdo”.

“No caso em questão, a prefeitura entendeu inadequado, de acordo com o ECA, que uma obra de super-heróis apresente e ilustre o tema do homossexualismo [homossexualidade] a adolescentes e crianças, inclusive menores de dez anos, sem que se avise antes qual seja o seu conteúdo”, diz a nota.

A prefeitura alega também que houve reclamação de frequentadores da feira: “A obra estava lacrada. Não havia, porém, uma advertência neste sentido, para que as pessoas fizessem sua livre opção de consumir obra artística de super-heróis retratados de forma diversa da esperada. Houve reclamação de frequentadores da feira, que têm direito à livre opinião e opção quanto ao conteúdo de leitura de filhos e adolescentes, pessoas em formação”.

A prefeitura advertiu que, em caso de descumprimento, o material será apreendido e o evento poderá ter a licença de funcionamento cassada”.

Fiscais da Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop) estiveram no Riocentro para fazer a apreensão dos livros. Entretanto, todos os mais de 20 mil exemplares de "Os Vingadores, a Cruzada das Crianças" se esgotaram em menos de 40 minutos, após a abertura da bienal.



Felipe Neto vai distribuir livros com temas LBGT em reação a Crivella

Crivella manda fiscais a bienal de livro para censurar HQ Vingadores

Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

O que pode ocorrer com ateus em um país em que 'Deus está acima de tudo'?





Comentários

Posts mais acessados na semana

Associação Humanista Americana retira prêmio de Dawkins por ele questionar pessoas trans

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Governo de Angola suspende as transmissões da TV Record