Universal indenizará pastor em R$ 200 mil por induzir vasectomia

Pastor moveu ação contra
 a Igreja porque, segundo
 ele, teve de se esterilizar
para obter consagração

A Justiça do Trabalho condenou a Igreja Mundial a pagar indenização por danos morais de R$ 200 mil a um pastor por induzi-lo a fazer vasectomia.

A decisão é da juíza Glaucia Alves Gomes, da 7ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro.

O pastor recorreu à Justiça com o argumento de que, aos 28 anos, solteiro, para se consagrado como titular teve de se submeter à esterilidade.

Acrescentou que foi demitido pela Universal após seis anos de trabalho sem obter qualquer compensação financeira.

A Universal nega que tenha obrigado o pastor a fazer vasectomia e diz não haver vínculo de trabalho entre igreja e pastores, porque se trata de uma vocação.

A Universal vai recorrer da decisão.

Existem outras denúncias contra a Universal de que ela força seus pastores ao procedimento de esterilidade, para que filhos não atrapalhem a dedicação dos pregadores.

Com informação do Tribunal Regional do Trabalho.



Tempo dos eunucos já passou, diz juíza sobre vasectomia em pastores da Universal

MP vai investigar se Universal força esterilização de pastores

Jornal de Angola diz que Igreja Universal impõe vasectomia a pastores

MPF pede à Universal R$ 100 milhões para indenizar pastores esterilizados


Comentários

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.