Pular para o conteúdo principal

Holanda começa a multar mulheres que usam o véu islâmico

O Governo da Holanda vai multar a partir de 1º de agosto de 2019 em 150 euros as mulheres que cubrem o rosto com burca ou com nikab (véu islâmico).

A multa inclui tudo que esconda o rosto, como touca ninja, capacete e mascara.

A proibição vale para locais públicos, como praças, hospitais, transporte e edifícios do governo.

A multa será mais alta para reincidente.

Entidades muçulmanas afirmam que se trata de perseguição religiosa, e autoridades governamentais defendem a nova lei como medida de segurança.

Com informação das agências.



Site sobre religião, ateísmo e ciência.



Áustria aprova lei que proíbe uso do véu islâmico em escolas primárias

Dinamarca proíbe uso em público de véu islâmico que cobre o rosto

Irã condena a um ano de prisão mulher que protestou contra uso de véu

Alemãs acusam exposição de moda islâmica de promover opressão à mulher


Comentários

Anônimo disse…
Também tinha que multar os HOMENS muçulmanos que forçam as suas esposas, irmãs e filhas a usar o véu. E se a mulher estiver usando voluntariamente, aí se deveria cogitar de responsabilidade solidária. Entendo que quando as autoridades surpreendem u'a mulher usando véu islâmico em público, ela não deveria ser punida sozinha, mas todo o grupo familiar deve ser responsabilizado, inclusive obrigando aos parentes homens a freqüentar cursos para que aprendam a assimilar a cultura ocidental que eles tanto desprezam com suas ações.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa