Em nova denúncia, João de Deus é acusado de abuso por dez mulheres

Curandeiro praticava
 o abuso na "Sala
 da Entidade"


O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) ofereceu nova denúncia (acusação formal à Justiça) por crimes sexuais contra João de Deus (foto), 77.

Desta vez, o número de supostas vítimas do curandeiro é dez, o maior grupo entre as denúncias já formuladas.

De acordo com essa denúncia, o curandeiro abusava de mulheres na “Sala da Entidade”, onde ele orava com pessoas que lhe procuravam na Casa Dom Inácio de Loyola na expectativa de obter milagres.

O curandeiro obrigava as pessoas a ficarem de olhos fechados durante a oração e quem não o fizesse era retirado da sala.

Os funcionários de João de Deus ficavam de olhos abertos e sabem o que acontecia ali, de acordo com o Ministério Público.

Nesta denúncia, as mulheres têm entre 20 e 35 anos. São de São Paulo, Paraná e Distrito Federal.

Com informação da Agência Brasil e de outras fontes, com foto de divulgação.





STJ decide que o curandeiro João de Deus tem de voltar para a prisão

João de Deus é acusado de ter estuprado outras seis mulheres

MP investiga policiais que deram proteção a João de Deus contra denúncias

MP investiga denúncia de que João de Deus cobrava mensalidade de pousadas

Mulher diz ter sido estuprada por João de Deus quando tinha 8 anos



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.