Pular para o conteúdo principal

MP investiga denúncia de que João de Deus cobrava mensalidade de pousadas

O Ministério Público de Goiás está investigando denúncias de que o João de Deus cobrava mensalidade de até R$ 5.000 por pousada de Abadiânia, onde o curandeiro dava suas consultas.

Até que João de Deus fosse preso sob investigação de abuso e estupro de mulheres, as pousadas da cidade ficavam lotadas com visitantes brasileiros e estrangeiros.

Lojistas também pagavam “caixinha” ao curandeiro, de acordo com relatos obtidos pelo MP.

João de Deus é um homem milionário, com duas fazendas e imóveis.

Quando soube que seria levado para o presídio, ele tentou sacar de suas aplicações financeiras R$ 35 milhões, mas o banco não pagou.


Caixinha seria uma
explicação da fortuna
 do curandeiro, que nada
 cobrava dos pacientes

Com informação de “O Globo”.





Aviso de novo post por e-mail

Fortuna de João de Deus inclui garimpo e fazenda de R$ 2 milhões

Só agora a Federação Espírita afirma que João de Deus não é confiável

João de Deus 'usa velhos truques', afirma James Randi




Eu, Zahira Lieneke, 34, sofri abuso de João de Deus


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

O dia em que Bill Gates, defensor da ciência, previu a pandemia, em 2015