MP investiga policiais que deram proteção a João de Deus contra denúncias

O Ministério Público do Estado de Goiás denunciou (acusação formal à Justiça) um PM sob a suspeita de ele ter obrigado uma mulher a produzir um documento falso inocentando o curandeiro João de Deus de abuso sexual.

O PM teria intimidado a mulher (uma suposta vítima do curandeiro), segundo uma arma de forma ostensiva.

O MP também está investigando policiais civis — entre eles dois delegados — que teriam blindado João de Deus de denúncias de abuso sexual.

Um delegado teria dito à mulher que queixa na polícia contra o curandeiro não daria em nada.

João de Deus está preso desde dezembro de 2018 sob a acusação de ter abusado sexualmente de dezenas de mulheres, incluindo uma filha dele.

Curandeiro é suspeito
 de ter um esquema
 policial para protegê-lo das
denúncias de suas vítimas

Com informação da Agência Brasil e de outras fontes e foto de divulgação.




Aviso de novo post por e-mail

Ministério Público denuncia filho de João de Deus por ameaçar testemunha

Editora suspende distribuição do livro que enaltece João de Deus

Ex-guia da Casa de João de Deus: 'Ele começou a orar e pôs minha mão em seu p...."




Filha de João de Deus move ação contra o médium sob a acusação de abuso


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários


EDITOR DESTE SITE

Paulo Lopes é jornalista profissional
diplomado. Trabalhou no jornal centenário
Diario Popular, Folha de S.Paulo,
revistas da Editora Abril e em
outras publicações.