Fundamentalismo católico da Polônia prende mulher por alterar imagem de Virgem

Para o governo de
 extrema direita, adicionar
 as cores do movimento
gay à imagem é crime

O governo fundamentalista católico da Polônia mandou prender uma mulher de 51 anos porque ela retratou a Virgem Maria de Częstochowa com as cores do arco íris, ao fundo.

Acusada pelo ministro Joachim Brudziński (Interior) de “ofender o sentimento religioso”, a mulher estava no Exterior quando saiu a ordem de prisão e foi pega pela polícia quando voltou.

Ela está à disposição da Justiça na cidade de Plock e poderá ser condenados até a dois anos de prisão por ter associado a santa às cores do movimento gay.

O fanatismo religioso que está no poder da Polônia é comparável à teocracia do Irã, onde a crença islâmica é usada para amordaçar a livre expressão do pensamento.

Prender alguém que alterou a imagem da Virgem Maria corresponde a encarcerar uma pessoa por ter representado Maomé.

No embalo do Governo Bolsonaro, o Brasil está indo no mesmo rumo, só que, aqui, o fundamentalismo que está se firmando é evangélico.

Nas Assembleias e na Câmara Federal, têm aumentado as propostas de deputados evangélicos de punição aos "ofensores" do cristianismo, como aqueles que usam imagem de santos no Carnaval.

Com informação do The Guardian.





Polônia está se tornando a pátria do fanatismo católico

Padres da Polônia queimam livros de Harry Potter para combater bruxaria

Polônia condena cantora a pagar multa por ofender católicos

Menina de 12 anos se enforca para ficar com seu pai no céu



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários